terça-feira, 24 de abril de 2018

Bactéria que devora carne humana torna-se epidemia na Austrália

Em Victoria, estado australiano, médicos estão alerta com a propagação de uma doença conhecida como Úlcera de Buruli, gerada por uma bactéria “comedora de carne”.

A Úlcera de Buruli ganhou as manchetes dos jornais após gerar proporções consideradas epidêmicas. Os casos aumentaram 400% nos últimos quatro anos. Mais de 271 casos foram registrados em 2017, o dobro do que foi registrado em 2016.

Este tipo de úlcera é provocado pela bactéria Mycobacterium ulcerans, mais comumente encontrada em áreas tropicais, incluindo África Ocidental e Austrália.

Após infectar a pele, a bactéria libera constantemente toxinas e substâncias que degradam os tecidos, destruindo não só a pele como vasos sanguíneos, musculatura, e até mesmo o tecido de gordura. Normalmente, a doença acomete os membros superiores e inferiores, mas pode ser identificada em qualquer parte do corpo, incluindo o rosto – onde leva à desfiguração facial.

Um recente artigo publicado na revista Medical Journey of Australia comenta que as políticas públicas precisam melhorar e questões urgentes devem ser implementadas para solucionar a evidente epidemia. As autoridades afirmam que mais de R$ 4,78 milhões foram gastos em pesquisas para combater a doença, além de massiva publicidade para conscientizar as pessoas dos riscos.

O grande problema da Úlcera de Buruli é o difícil tratamento, onde pacientes precisam de 6 a 12 meses para total recuperação das úlceras. Em muitos casos, há indicação de cirurgias plásticas reparadoras.

Na África, onde o problema também existe, locais com grande umidade geram maiores riscos de transmissão, por serem ambientes ideias de proliferação da bactéria – em água parada. A grande surpresa nos casos da Austrália se dá no fato de que os pacientes contraíram a doença na costa, local com águas em constante movimento pelas ondas.

Apesar de sintomaticamente parecida, a doença não tem conexão com a Leishmaniose.
[ Jornal de Notícias ] Foto: Reprodução /via Jornal Ciência
por  Osmairo Valverde

Relógio biológico: Por que infarto e AVC ocorrem mais de manhã?

Cuidado com o coração pela manhã

O relógio biológico do nosso corpo, configurado em parte por informações do ambiente, incluindo o ciclo luz-escuro, controla vários aspectos das funções diárias do nosso corpo, incluindo o sono, o ritmo cardíaco e a alimentação.

E parece que o sistema de defesa do nosso organismo também responde a esse relógio e influencia a capacidade do nosso corpo de se reparar e responder a lesões em diferentes momentos do dia.

Por exemplo, estatisticamente se sabe que ataques cardíacos e AVC - coágulos sanguíneos, em geral - ocorrem mais frequentemente nas primeiras horas da manhã, embora os cientistas ainda não houvessem encontrado um elo que associasse essas ocorrências ao ritmo circadiano.

Agora, finalmente se confirmou que, pela manhã, pacientes com doenças cardiovasculares têm níveis mais baixos de uma importante família de moléculas protetoras no sangue, o que pode aumentar o risco de coágulos sanguíneos e ataques cardíacos nesse período.

A expectativa é que a descoberta da importância desse composto no sangue possa levar a novas formas de diagnosticar, tratar e prevenir as doenças cardiovasculares, sobretudo em seus aspectos mais agudos.

"Para as pessoas com doenças cardíacas, de manhã, pouco antes de sair da cama, um aumento da frequência cardíaca, juntamente com outras mudanças na corrente sanguínea, resulta em uma ativação de células na corrente sanguínea. Isso leva à formação de pequenos coágulos, o que pode levar ao bloqueio dos vasos sanguíneos, resultando em um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral," explicou o Dr. Jesmond Dalli, da Universidade Queen's Mary (Reino Unido).

Mediadores especializados pró-resolução

As moléculas em questão são conhecidas como mediadores especializados pró-resolução (SPMs), que são produzidas a partir de ácidos graxos ômega-3, os mesmos ácidos graxos encontrados nos peixes e outros alimentos saudáveis. Os SPMs estão envolvidos no controle do comportamento dos glóbulos brancos e das plaquetas durante a inflamação, permitindo que o corpo se cure.

O que a equipe descobriu é que, nas pessoas saudáveis, o nível de SPMs aumenta durante as primeiras horas da manhã, ajudando a controlar o comportamento dos glóbulos brancos e das plaquetas nos vasos sanguíneos.

Nos pacientes com doença cardiovascular, no entanto, a produção desses SPMs é significativamente prejudicada e associada a um aumento acentuado na ativação de células sanguíneas e à formação de aglomerados de glóbulos brancos e plaquetas, que podem contribuir para a formação de coágulos e inflamação dos vasos sanguíneos.

Quando os pesquisadores reabasteceram os níveis de moléculas de SPMs no sangue de pacientes com doenças cardiovasculares, o comportamento das células na corrente sanguínea melhorou, reduzindo-se a inflamação dos vasos sanguíneos, como ocorre nas pessoas sem predisposição para doenças cardiovasculares.

"Ficamos surpresos ao descobrir que um pequeno grupo de moléculas de um ácido graxo essencial, que anteriormente não se acreditava ter qualquer importância clínica, realmente parece controlar esse processo vital de ativação celular. Isso nos ajuda a entender como as doenças cardiovasculares podem ocorrer e descobrir novas formas possíveis de identificar, tratar e preveni-las," disse Dalli.

Via Blog professor José Costa

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Você costuma responder perguntas pelo seu filho? Entenda por que deve parar

Anna Om
Adiantar-se para terminar a frase da criança ou para antecipar suas respostas pode gerar nos pais o conforto de poder ajudar o pequeno, mas na verdade esse hábito de não deixar a fala fluir faz mais mal do que bem.

Aprendendo a falar

A ideia de que a prática leva ao aprendizado cabe direitinho no contexto de desenvolvimento da fala da criança. É necessário que ela se esforce para formular frases, que ela pense como formulá-las, que ela deguste as palavras e, ainda que leve tempo para que uma resposta seja dada, é fundamental respeitar esse processo.

Evgeny Atamanenko/shutterstock

Interromper é dificultar

Interromper não só dificulta a articulação de um discurso, como faz com que a criança crie o hábito de esperar alguém falar por ela. O aumento do vocabulário dos pequenos, lá pelos quatro anos, anuncia travas na hora de expressar as palavras, o que é normal.


 Melhor é deixar a criança ir desatando as palavras sozinha, ao invés de falar por ela, já que essa atitude dos pais também compromete a confiança do pequeno ao se expressar em público.

Fonte: VIX- Escrito por Giulia Ebohon

Dor no ombro pode ter relação com doenças no coração, diz estudo: entenda

suriya yapin
É comum atribuir a culpa pela dor nos ombros ao stress, a tensão ou até mesmo a quantidade excessiva de exercícios. Mas um estudo realizado por pesquisadores da Escola de Medicina de Utah indicam que há um outro motivo associado à dor no ombro que precisa ser levado em conta para não gerar grandes danos à saúde.

Diálogo entre ombro e coração

Conforme a pesquisa, indivíduos com inclinações a terem doenças cardíacas podem ter maior probabilidade de ter problemas no ombro, incluindo dor nas articulações. O trabalho desenvolvido pelos pesquisadores propõe acrescentar a dor no ombro à lista de fatores de risco para doenças cardíacas.

Caminhos da pesquisa
As 36 pessoas que tinham um cruzamento de fatores de risco, apresentaram 4,6 vezes mais chance de ter dor nas articulações do ombro. Os participantes com risco cardíaco de nível médio foram de 1,5 a 3 vezes menos propensos a ter a condição do ombro.

As tendências compartilhadas reforçam que pode haver uma relação entre risco cardíaco e problemas no ombro, mas os pesquisadores precisarão acompanhar um estudo prospectivo para provar causa e efeito.

Fonte: VIX- Escrito por Giulia Ebohon

domingo, 22 de abril de 2018

Parece bobo, mas confundir gases com infarto é erro real e comum: diferencie

Kateryna Kon/Shutterstock
Sensação de aperto no peito, mal-estar e, ao final do diagnóstico, tudo não passava de um problema intestinal. Quem já confundiu infarto com gases sabe que os sintomas podem mesmo enganar e, ao que tudo indica, isso é mais comum do que parece.

Existem alguns sintomas que ajudam a diferenciar uma coisa da outra, mas, na via das dúvidas, sempre procure um médico.

Gases ou infarto? Como diferenciar

O maior motivo de confusão entre a doença e o problema com gases é causado por uma distensão da válvula que fica entre o esôfago e o estômago. Esse fenômeno acaba causando a dor semelhante a de um infarto.

Em alguns casos, ela ainda acaba por refletir no ombro esquerdo e nas costas, algo parecido com o que acontece durante a alteração do coração, como explicou o gastroenterologista Guilherme Andrade, do Hospital 9 de Julho (São Paulo) ao VIX. Por isso, estar atento aos sintomas secundários é de grande importância para definir o grau de perigo da dor que você sente.

Casos de gases, por exemplo, nunca são acompanhados de febre, sangramento, vômito, ânsia e falta de ar. Estes sinais indicam que a sensação de aperto no peito pode ser originária de algo mais grave.


Além disso, é importante ficar atento ao que foi consumido na refeição anterior. Os gases podem ser causados pelo consumo de bebidas gaseificadas, gorduras, leite e até vegetais como brócolis, cebola e frutas secas. Perceba se você está se sentindo inchado, algo que não é causado pelo problema intestinal (ele apenas causa a sensação de estufamento).

Caso o desconforto seja muito grande ou você sinta algum dos sintomas secundários, o ideal é buscar o auxílio de um médico. Segundo o especialista, exames simples conseguem determinar a causa da dor, bem como o tratamento correto.

Fonte: https://www.vix.com

O que acontece no corpo durante um beijo

Símbolo de vínculo e afeto, o encontro entre bocas apaixonadas é levado a sério pela ciência. Descubra o que ele representa para o corpo e para sua saúde

A frase é de Vinicius de Moraes, mas a sensação descrita é compartilhada pela maioria das pessoas. Será possível explicar racionalmente o que um gesto tão instintivo provoca dentro do organismo?

“O beijo é um ato que faz o indivíduo se lembrar inconscientemente da amamentação, um período de entrega total. Por isso, traz conforto e confiança”, avalia o ginecologista e sexólogo carioca Amaury Mendes Júnior. Para a psiquiatra Carmita Abdo, da Universidade de São Paulo, ele faz parte de uma espécie de iniciação no mundo. “A boca é o principal órgão da comunicação e aprendemos desde cedo a demonstrar afeto por meio do beijo”, diz.

A ciência e o beijo
Nos últimos anos, a ciência se debruçou sobre o legítimo boca a boca e busca enxergá-lo inclusive como um mecanismo de perpetuação da linhagem. O homem prefere beijos molhados, por exemplo, porque tentaria lançar mais testosterona, o hormônio do apetite sexual, no corpo da mulher, despertando seu desejo. Corre uma hipótese de que o macho poderia até mesmo inferir a quantidade de estrogênio na saliva da fêmea, indício de fertilidade e boa prole.
 
 
Também se investiga como o beijo interfere no cérebro e proporciona bem-estar. Um estudo da neurocientista Wendy Hill, do Lafayette College, nos Estados Unidos, constata que o encontro bucal aumenta a produção de ocitocina, o mesmo hormônio que instiga vínculos entre o bebê e a mãe. “O beijo aplaca o estresse e faz liberar endorfinas, substâncias por trás da sensação de tranquilidade”, diz Carmita.

Termômetro sexual
Para Mendes Júnior, as carícias entre os lábios são ainda um indicativo de uma vida sexual saudável. “Quando um casal não se beija, a relação já não tem o mesmo afeto”, afirma. Por outro lado, parceiros que investem em beijos mais calientes têm maiores chances de garantir ou resgatar a qualidade do bem-bom. “Esse ato é marcado por uma sensação erótica, já que as mucosas da boca são muito enervadas e vascularizadas, só perdendo para os genitais”, explica. Dá para entender, portanto, por que a troca de saliva estreita os laços e aumenta a autoestima entre o casal. E você há de convir que não existe melhor presente para quem quer ser eternamente namorado.


Fonte: https://saude.abril.com.br/bem-estar/o-que-acontece-no-corpo-durante-um-beijo/ - Por Redação Saúde é Vital / Via Blog professor José Costa

terça-feira, 17 de abril de 2018

Os 5 Alimentos para a visão

Você sabe quais são os melhores alimentos para a visão? Quase sempre focamos na saúde dos nossos órgãos internos e, nos esquecemos de cuidar dos órgãos que fazem conexão com o exterior, e que além de estarem vinculados com os sentidos básicos, garantem a proteção de todo o organismo.

A nossa visão é um sentido básico que investimos poucos recursos, todavia, não se esqueça que ela é de grande importância para o corpo. Portanto, conhecer os alimentos para a visão é garantir o bem-estar para os olhos e para os outros sistemas que compõem os nossos corpos.

Você sabia: os olhos são portas de entrada para a invasão de micro-organismos, que podem propagar inúmeras doenças para os seres humanos? Mas, a mesma porta que se abre para o penetra, é a que tem um segurança para barrar a entrada dos visitantes importunos. Sim, quando os olhos lacrimejam, eles estão investindo contra a invasão micro-orgânica. Veja a seguir a lista com os alimentos para a visão.

Os 5 alimentos para a visão

Os alimentos para a visão são fundamentais, pois irão ofertar os nutrientes que o organismo não consegue fabricar, e que são de suma importância para a saúde e promoção da boa acuidade visual. Incluí-los em suas refeições garantirá olhos saudáveis e fortes para lidar com as ameaças, bem como com a maturação.

1-Cenoura

Não poderíamos começar a lista com os 5 alimentos para a visão, sem falar da cenoura. É o vegetal mais famoso quando o assunto é visão, e é também o alimento predileto do coelho. Com certeza você já escutou sobre a fama dela em prol da proteção dos olhos. E não é por acaso! A cenoura é rica em carotenoides, uma substância que age prevenindo a deterioração da mácula. A mácula é responsável por enxergarmos as cores do mundo.

2-Alho

Tem gente que torce o nariz ao encontrá-lo na refeição, o que essas pessoas não sabem é que o alho é um alimento poderoso é que pode contribuir muito para com a nossa saúde. A visão também é agraciada pelo poder dele, isso porque ele diminui a pressão arterial, colaborando na prevenção do glaucoma. O alho oferta substâncias que agem como dilatadores dos vasos sanguíneos, e se os capilares, artérias e veias estão dilatados não há pressão e a doença é evitada.

3-Laranja

Todos os alimentos que são amarelos e laranjas podem ajudar na boa acuidade da visão. Portanto, a miss vitamina C não poderia ficar fora da lista dos alimentos para a visão.  Assim como a cenoura, a laranja oferta também carotenoides, sem falar que a vitamina C também pode dar aquela força, com a sua ação antioxidante.

3-Morango

Se os alimentos amarelos e laranjas são amigos dos olhos, pode acrescentar como membro desse grupo, as frutas vermelhas e roxas. Destacamos aqui o morango, mas pode incrementar na sua lista da feira as outras frutas também. Pois, além de serem fontes de vitamina C, que irá combater os radicais livres, devido a já citada ação antioxidante. Esses frutos da cor do sangue são ricos em flavonoides, impedindo com isso a perda da visão e a degeneração da mácula.

4-Óleo e sementes de linhaça

Lembra quando foi citado no campo “você sabia?” que os olhos utilizam-se da ação lacrimejante para combater os oportunistas e garantir a lubrificação ocular? Pois, bem! Para continuar garantindo esse poder, inclua em sua dieta o óleo, e as sementes de linhaça. Isso porque, a sementinha marrom oferta a vitamina da juventude, conhecida como vitamina E. A linhaça é rica ainda nos valiosos óleos graxos ômegas são eles: 3,6 e 9 que colaboram com a lubrificação e afastam a coceira e a ardência no globo ocular.

5-Ovo

Para fecharmos a nossa pequena lista, porém poderosa dos alimentos para a visão, vamos falar sobre o alimento que é conhecido pela a UNESCO como um superalimento graças a sua gigantesca lista de nutrientes ofertados. O ovo merece comparecer a esse top 5, pois é rico em luteína. Substância essa, que é aliada do corpo no combate a cegueira resultante da degeneração ocular.


Tanto a luteína, como a zeaxantina, uma outra substância que também é parceira dos olhos, são encontradas na gema, e são conhecidas como foto-oxidantes, ou seja, são fundamentais para que a saúde da visão esteja em dia, e que não sofra com a perda da acuidade.

Receita do suco: amigo dos olhos!

Logo pelo período da manhã ter a sua disposição um suco que ajuda na saúde dos olhos é tudo de bom. Portanto, aprenda a receita que será a sua companheira na garantia de uma boa saúde para a visão e para o corpo:

Ingredientes

  • 2 cenouras;
  • 6 morangos;
  • 1 copo de suco de laranja natural;
  • 3 colheres de sementes de linhaça;
  • Mel para adoçar.

Modo de preparo

Em um liquidificador bata as cenouras, os morangos, o suco de laranja e as três colheres de sementes de linhaça até triturar e misturar todos os ingredientes. Caso o suco fique muito denso, e não lhe agrade o paladar, você pode acrescentar um copo de água para diluir a mistura. O mel é opcional.

Fonte: Saudável e Feliz

Estresse não só é contagioso, como também muda cérebro de quem está ao redor

Photographee.eu/shutterstock
Conviver com pessoas estressadas parece te deixar tão mal quanto elas? Pode ter uma explicação científica para isso. Segundo uma nova pesquisa da Universidade de Calgary, o estresse pode não só influenciar o estado de espírito como também alterar o seu cérebro e o de pessoas ao redor.

Emoções e sentimentos são contagiosos

Durante a pesquisa realizada com camundongos, os cientistas constataram que as emoções e sentimentos podem mesmo ser contagiosas.

Os pesquisadores usaram pares dos animais para o estudo:um da dupla era retirado de seu habitat e exposto a um estresse leve antes de ser inserido de volta ao seu companheiro ou outro permanecia em condições controladas.

Pouco depois, os cérebros dos dois animais eram analisados, mostrando que ambos sofreram as mesmas alterações celulares.


Segundo o time de pesquisadores, nosso estresse é transmitido aos que convivem conosco mesmo sem percebermos e alguns dos sintomas podem persistir em familiares e amigos que sofrem de estresse pós-traumático.

Contudo, essa percepção do estado emocional do outro não é completamente ruim. Ela é, na verdade, parte fundamental da criação e manutenção dos vínculos sociais.

A possibilidade de consequências duradouras ainda é desconhecida. Mas vale lembrar que mudanças cerebrais associadas ao estresse podem dar origem a doenças mentais, como transtornos de ansiedade e depressão.

Fonte: https://www.vix.com

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Alimentos que causam gases e você nem sabia

Thinkstock
Os gases intestinais causam não só um desconforto físico, mas também um mal estar psicológico em quem sofre do mal. Para prevenir e combater esse problema, listamos os alimentos que provocam gases e devem ser consumidos com moderação.

Alimentos que causam gases intestinais

Farinha branca

Alimentos como pães e massas fornecem um carboidrato que é suscetível à fermentação e também à produção de gases durante a digestão, formando o desconforto intestinal. Para evitar o problema, opte por alimentos ricos em fibras, como pães integrais.

Couve-flor

A couve-flor é formada por compostos sulfurosos, substâncias que podem aumentar consideravelmente a produção de gases. O alimento, porém, contém substâncias importantes para a saúde e não deve deixar de ser consumido para quem sofre com os gases. Nesses casos, a dica é não misturar alimentos que podem dar gases na mesma refeição como, por exemplo, o vegetal e feijão.

Açúcar

Outro alimento comumente consumido que pode causar a distensão abdominal é o açúcar. Isso acontece porque, quando em excesso no organismo, ele desregula o funcionamento do intestino, eliminando as bactérias do bem e proliferando as malignas, que podem dar origem aos gases.

Leite

Rico em gordura, o leites e seus derivados podem ser uma das causas do desconforto abdominal, principalmente para quem tem intolerância à lactose. Nesses casos, a sugestão é trocar a versão original da bebida pelo leites vegetais como, por exemplo, o de quinoa e avelã.

Fonte: VIX- Escrito por Gabriela Godoy