quinta-feira, 28 de junho de 2012

Sete dores que não devem ser menosprezadas

Elas avisam: algo está errado. Mas preferimos pensar que vão passar depressa a procurar um médico. É aí que muitas vezes damos de cara com o perigo. Saiba como escapar de um engano

 Levante a mão quem nunca se automedicou por causa de uma dor. É corriqueiro achar que ela é um mal passageiro, entupir-se de analgésico e esperar até ela se tornar insuportável para ir ao médico. Estudos indicam que 64% dos brasileiros tentam se livrar da sensação dolorosa sem procurar ajuda. Foi assim com a auxiliar de dentista Antônia Sueli Ferreira, 45 anos, de São Paulo. "Tomei muito remédio durante três meses por causa de cólicas fortíssimas e do que parecia ser uma lombalgia. Só depois fui ao médico. E então descobri que tinha um câncer colorretal. 


 Tive de ser submetida às pressas a uma cirurgia. Por sorte, estou bem", conta. Segundo o cirurgião Heinz Konrad, do Centro para Tratamento da Dor Crônica, em São Paulo, "a dor é um mecanismo de proteção que avisa quando algo nocivo está acontecendo". A origem do malestar? Eis a questão — e, para ela, precisamos ter sempre uma resposta. "Na dúvida, toda dor precisa ser checada, ainda mais aquela que você nunca sentiu igual", aconselha o cardiologista Paulo Bezerra, do Hospital Santa Cruz, em Curitiba. Aqui, selecionamos sete dores que você nunca deve ignorar. 


 Dor de cabeça
Dos 10 aos 50 anos, ela geralmente é causada por alterações na visão ou nos hormônios — esta, mais comum entre as mulheres. E esses são justamente os casos em que a automedicação aumenta o tormento. "Isso porque, quando mal usado, o analgésico transforma uma dorzinha esporádica em diária", avisa o neurocirurgião José Oswaldo de Oliveira Júnior, chefe da Central da Dor do Hospital A.C. Camargo, em São Paulo. Acima dos 50 anos, as dores de cabeça merecem ainda mais atenção: é que podem estar relacionadas à hipertensão. 


Dor de garganta
Costuma ser causada pela amigdalite de origem bacteriana ou viral. "Se não for tratada, a amigdalite bacteriana pode exigir até cirurgia", alerta o otorrinolaringologista Marcelo Alfredo, doHospital e Maternidade Beneficência Portuguesa de Santo André, na Grande São Paulo. A do tipo viral baixa a imunidade e, em 10% dos casos, vira bacteriana. Portanto, pare de banalizar essa dor. Se ela parece nunca ir embora, abra os olhos: certos tumores no pescoço também incomodam e podem ser confundidos, pelos leigos, como simples infecções.


 Dor no peito
"Quando o coração padece, a dor é capaz de se espalhar na direção do estômago, do maxilar inferior, das costas e dos braços", descreve o cardiologista Paulo Bezerra. Em geral, isso acontece quando o músculo cardíaco recebe menos sangue devido a um entupimento das artérias. "A sensação no peito é como a de um dedo apertado por um elástico. E piora com o estresse e o esforço físico", explica Bezerra. Não dá para marcar bobeira em casos assim: o rápido diagnóstico pode salvar a vida.


Dor nas pernas
Muita gente não hesita em culpar as varizes — às vezes injustamente. "A causa pode ser outra", avisa a fisiatra Lin Tchia Yeng, do Hospital das Clínicas, em São Paulo. Uma artrose, por exemplo, provoca fortes dores nos pés e nos joelhos. Se não for tratada, piora até um ponto quase sem retorno. "Em outros indivíduos a dor vem das pisadas", explica Lin. "É quando há um erro na posição dos pés ou se usam calçados inadequados." Sem contar doenças como hipotireoidismo e diabete, que afetam a circulação nos membros. "Há medicamentos específicos para resolver a dor nesses casos", diz a reumatologista Solange Mandeli da Cunha, do Centro de Funcionalidade da Dor, em São Paulo. 


Dor abdominal
Uma dica: o importante é saber onde começa. Uma inflamação da vesícula biliar começa no lado direito da barriga, mas tende a se irradiar para as costas e os ombros. Contar esse trajeto ao médico faz diferença. "Se a pessoa não for socorrida, podem surgir perfurações nessa bolsa que guarda a bile fabricada no fígado", diz o cirurgião Heinz Konrad. Nas mulheres, cólicas constantes — insuportáveis no período menstrual — levantam a suspeita de uma endometriose, quando o revestimento interno do útero cresce e invade outros órgãos. "Uma em cada dez mulheres que vivem sentindo dor no abdômen tem essa doença", calcula a anestesiologista Fabíola Peixoto Minson, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. 


 Dor nas costas
A má postura e o esforço físico podem machucar a coluna lombar. "É uma dor diária, causada pelo desgaste físico e pelo sedentarismo", diz o geriatra Alexandre Leopold Busse, do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Conviver com o tormento? Essa é a pior saída. A dor nas costas, além de minar a qualidade de vida, pode escamotear o câncer no pâncreas também. "No caso desse tumor, surge uma dor lenta e progressiva", ensina a fisiatra Lin Tchia Yeng. Por precaução, aprenda que a dor nas costas que não some em dois dias sempre é motivo de visitar o médico. 


 Dor no corpo
Se ele vive moído, atenção às suas emoções. A depressão, por exemplo, não raro desencadeia um mal-estar que vai da cabeça aos pés. "O que dá as caras no físico é o resultado da dor psicológica", diz Alaide Degani de Cantone, coordenadora do Centro de Estudos e Pesquisas em Psicologia e Saúde, em São Paulo. "Quem tem dores constantes aparentemente sem causa e que vive triste, pessimista, sem ver prazer nas coisas nem conseguir se concentrar direito pode apostar em problemas de ordem emocional", opina o psiquiatra Miguel Roberto Jorge, da Universidade Federal de São Paulo. E, claro, essas dores que no fundo são da alma também precisam de alívio.


 Ajude o médico a descobrir a verdadeira causa de seus “ais”. Leve as seguintes informações para a consulta:


Quando
Puxe pela memória o dia, semana ou mês em que sua dor deu as caras e identifique a frequência com que ela aparece — se é diária, quantas vezes por dia se manifesta e quanto tempo costuma durar.


Onde
Aponte os lugares do corpo em que a dor ocorre. Se for difícil especificar um ponto, mostre a região afetada. Explique também se ela começa em um lugar e, dali, se irradia para outros.


Como
Descreva a sensação — queima? Dá pontadas ou agulhadas? Formigamento? No lugar onde dói, você sente um aperto ou pressão? Acredite: para os ouvidos dos especialistas, esse tipo de informação vale ouro.


Avaliação
Dê uma nota de 1 a 10 à sua dor, comparando-a a outras que você já sentiu. Avalie o grau e não deixe de contar ao especialista se teve febre, perda de apetite ou falta de sono depois que a dor apareceu.


Soluções
O que fez para diminuir a dor? Relate se uma bolsa de água quente ajudou. E preste atenção no seu corpo para dizer o que parece piorar a sensação dolorosa — comida gordurosa, esforço físico... o quê?


Fonte: http://saude.abril.com.br/edicoes/0310/medicina/conteudo_451714.shtml - por Débora Didonê | design Thiago Lyra 

Via Professor José Costa






Estudo revela aumento do consumo de álcool entre as mulheres

                                                           Imagem ilustrativa da internet

Para cada mulher que bebe, há 1,3 homens que abusam, enquanto no passado proporção era de uma para sete homens


Um estudo brasileiro publicado recentemente na revista científica Clinics e divulgado pelo Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA) investigou os padrões de consumo e as diferenças entre homens e mulheres em relação aos problemas da ingestão de álcool. A pesquisa analisou os dados do São Paulo Catchment Area Study - pesquisa que é parte de um consórcio mundial coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) - e verificou o comportamento de 1.464 indivíduos adultos que residem próximo ao Hospital das Clínicas de São Paulo. 

Foram avaliados, no período de 12 meses, a prevalência e as relações entre gênero, idade, nível educacional e outros fatores sociais para os diferentes padrões de consumo do álcool, que foram categorizados em: uso não pesado (consumo de pelo menos 12 doses durante o período estudado, sem nunca ter feito uso pesado), uso pesado episódico (cinco ou mais doses em uma única ocasião para homens e quatro ou mais para mulheres), uso pesado e frequente (uso pesado do álcool ao menos três vezes na semana) e abstêmios (menos de 12 doses ao ano). 

Os resultados apontam que aproximadamente 22% dos entrevistados (32,4% das mulheres e 8,7% dos homens) são abstêmios, 60,3% são bebedores não pesados (sem diferença entre os gêneros) e 17,5% (26,3% homens e 10,9% mulheres) têm feito o uso pesado e frequente de álcool. 

Uma das principais descobertas do estudo foi que, embora os homens sejam duas vezes mais propensos ao alcoolismo, os dois sexos apresentaram os mesmos tipos de problemas relacionados ao abuso, como episódios de violência, prejuízo em atividades sociais, acidentes de trânsito, quedas, entre outros. 

Os autores da pesquisa afirmam que, com a mudança do papel da mulher na sociedade e o direcionamento para uma igualdade entre gêneros, as diferenças em relação às consequências do uso do álcool diminuíram. Além disso, o aumento de consumo da bebida pelas mulheres pode estar associado ao estresse da dupla jornada de trabalho diário. Segundo os pesquisadores, devem ser tomadas medidas para conter o abuso da substância independente de gênero ou faixa etária. A pesquisa conclui ainda que há quinze anos, enquanto sete homens bebiam, apenas uma entre elas possuía o mesmo hábito. Hoje, o quadro já é bastante diferente: para cada mulher que consome álcool, a proporção masculina diminuiu para 1,2.

O uso nocivo de bebidas alcoólicas no Brasil e no mundo é um grave problema de saúde pública e contribui para prejuízos significativos em termos de morbimortalidade. "Como médico especialista em dependência química, acredito que a informação científica sobre o assunto deve ser cada vez mais difundida", afirma o psiquiatra Arthur Guerra, especialista do Minha Vida.

Tire suas dúvidas sobre o abuso de álcool

 

Os efeitos no corpo são complexos devido à influência de diversos fatores individuais, juntamente com características específicas do beber, como volume, tempo gasto, padrões de consumo, entre outros. "A Organização Mundial da Saúde (OMS) verificou que o álcool está associado a mais de 60 tipos de doenças e lesões de desenvolvimento agudo ou crônico, como abuso e dependência, cirrose hepática, diversos tipos de câncer, aborto espontâneo, entre outros", afirma o psiquiatra Arthur.

O que é dependência alcoólica?

 

O alcoolismo é uma doença crônica, multifatorial e que compreende diferentes sintomas. "Essa doença é caracterizada pela repetição de problemas decorrentes do uso do álcool, que levam a prejuízos ou sofrimentos clinicamente significativos", afirma Arthur Guerra. Segundo ele, o alcoolismo se manifesta quando preenche pelo menos três dos critérios expostos abaixo, ocorrendo a qualquer momento no período de 12 meses: 

1. Tolerância ao álcool, definida por uma necessidade de quantidades sempre maiores da substância para adquirir a intoxicação ou redução do efeito com o uso continuado da mesma quantidade de substância.


2. Abstinência, que só pode ser sanada pela ingestão de uma bebida específica ou por um produto parecido. 



3. A substância é frequentemente consumida em maiores quantidades ou por um período mais longo do que o pretendido.


5. Muito tempo é gasto em atividades necessárias para a obtenção da substância, na utilização da substância, ou na recuperação de seus efeitos.


6. Importantes atividades sociais, ocupacionais ou recreativas são abandonadas ou reduzidas em virtude do uso da substância.



7. O uso da substância continua, apesar da consciência de ter um problema físico ou psicológico persistente ou recorrente que tende a ser causado ou exacerbado pela substância.

Como saber quando alguém é dependente de álcool ou quando procurar ajuda?

 

Há diversos questionários que podem auxiliar no diagnóstico de transtornos relacionados ao uso de álcool. Por exemplo: você já pensou que deveria diminuir seu consumo de álcool? Alguém já te criticou por causa da bebida? Você já se sentiu mal ou culpado por beber? Você já acordou e a primeira coisa que fez foi beber para se sentir bem? "Caso o indivíduo responda positivamente a uma destas questões, pode ser um indicativo de problemas decorrentes do uso da substância", diz o psiquiatra Arthur. "Mais de uma resposta afirmativa indica que há uma grande probabilidade de ter problemas relacionados a tal consumo."

Fonte: Minha Vida

terça-feira, 26 de junho de 2012

Dicas para dar Brilho aos Cabelos

Quem não gostaria de ter um cabelo bonito, sedoso e com brilho? O brilho do cabelo sempre foi tido como sinônimo de cabelo saudável.

Para conseguir o efeito, os fios devem estar bem tratados, saudáveis, com as cutículas fechadas e com uma espécie de película protetora que retém brilho, refletindo assim a luz.

Para ter um cabelo brilhoso, não basta usar um bom xampu e condicionador, é necessário hidratar sempre, como manutenção, e não só quando os fios já estão ressecados.


Hidratação

O papel da hidratação é repor a água e o óleo, nutrindo os fios Entretanto, a hidratação não fecha as escamas abertas quando os fios estão ressecados e desnutridos. Neste caso, é necessário um tratamento que feche as cutículas, como a reestruturação ou cauterização feita em salão.


Receita Caseira de Hidratação

Ingredientes: iogurte natural; 1 colher (sopa) de mel; 1/2 mamão; 1 ampola de Arovit; 1 colher (sopa) de condicionador; duas colheres (sopa) leite.
Já com os cabelos lavados, misture todos os ingredientes e aplique nos fios. Deixe agir por 20 minutos. Enxágue bem.

Banho de Brilho

Dicas para dar Brilho aos Cabelos
Ingredientes: 2 colheres (sopa) de creme de hidratação; 1/3 de tinta (menos da metade); 1 ampola de vitamina ou uma colher de sopa de Bepantol.
 Misture os ingredientes e passe no cabelo (sem lavar). Deixe agir por 30 minutos e depois lave normalmente. A cor da tinta deve ser exatamente a de seu cabelo.

Saiba mais sobre banho de brilho.

Tonalizantes

Os tonalizantes também tem a função de dar brilho às madeixas. Escolha um tom igual ao do seu cabelo para reavivar a cor e dar brilho.

Finalizadores

Condicionadores contendo agentes que formam uma película sobre o fio ajudam a fechar as cutículas e aumentam o brilho dos cabelos. Sprays de brilho, pomada, leave-in e silicones também podem contribuir com o brilho.

Alimentação

Uma alimentação equilibrada e saudável é importante para a beleza da sua pele, unhas e cabelos. Problemas nutricionais deixam os cabelos secos, quebradiços e sem vida. E quando oleosos demais, podem ser sinal de uma dieta desequilibrada. Deficiências de algumas vitaminas e minerais também causam outros prejuízos, como queda de cabelos.


Veja alguns nutrientes que ajudam a  dar brilho aos cabelos.


 Vitaminas do complexo B: ajudam a nutrir o couro cabeludo. Fontes: cereais integrais, carnes, peixes, frutos do mar, leite e vegetais folhosos;

 Vitamina A: ajuda a fortalecer o cabelo. Fontes: fígado, gema de ovo, cenoura, pepino, brócolis;

 Magnésio: é essencial na formação de proteínas como a queratina (que constitui os fios). Fontes: frutos do mar, abacate, melão, abacaxi, carambola e nozes.

 Cálcio: a deficiência desse mineral torna os cabelos finos e quebradiços. Fontes: leite e derivados, tofu, salmão e sardinha.

 Sódio: ajuda a controlar o teor de água dentro dos fios e dá brilho. Fontes: frutos do mar, tomate, aipo e tofu.

 Potássio: é muito importante para manter a flexibilidade e a hidratação. Fontes: carnes magras, banana, pepino, uva, amêndoa e semente de girassol.

 Zinco: é ele que dá a força aos cabelos. Fontes: carne, cogumelo, ovo, ostra e germe de trigo.

Para Manter o Brilho você deve Evitar:

 Lavar a cabeça com água muito quente. Água quente extrai todo o brilho do cabelo. Prefira-a morna e ao final, enxágue com água fria. A O choque térmico no final ajuda a fechar a cutícula dos fios.

 

 O sol, secador, mar e o cloro da piscina são vilões que também ressecam os cabelos. Por isso use sempre protetor solar para os fios e um antitérmico antes de realizar a escova.

 

 Fazer dietas, a falta de nutrição deixa o cabelo fraco, opaco e sem vida.

 

 Aplicar químicas em excesso, como tinturas, permanentes, escova progressiva e descoloração. Essas aplicações químicas roubam aminoácidos e queratina deixando o cabelo opaco.

Fonte: Beleza e Saúde


Entenda o valor nutricional dos alimentos através das cores

                                        Foto: Thinkstock


Há quem diga que uma refeição saudável é composta por pratos coloridos e com alimentos bem diversificados. Variar nas opções de cores, sabores e texturas e investir em legumes e proteínas realmente contribuem, e muito, para um cardápio com saúde.

Segundo a nutricionista Anna Verano, os pratos que apresentam uma coloração mais acentuada são os que tem maior fonte de vitaminas. “Uma refeição que apresenta diversidade de cores além de apresentar um aspecto visual mais atrativo fornece uma ampla variedade de pigmentos, que por sua vez são importantes na prevenção e tratamento de doenças. Quanto mais colorido é o prato, maior é sua fonte de vitaminas e minerais, o que o torna essencial para uma alimentação saudável”, explica.

Ela explica que é importante também não dispensar quantidades de minerais e vitaminas, que são encontradas nas frutas, vegetais e legumes. “As fibras também participam do grupo dos alimentos saudáveis por terem papel importante na prevenção de doenças cardiovasculares, câncer de cólon e reto, e na obesidade. Também são fundamentais na diabetes, pois exercem papel de modulação da absorção da glicose. Os principais alimentos que contém as fibras são os alimentos integrais, como: as cascas das frutas, os talos dos vegetais e os produtos integrais, como: massa, arroz e os pães”, sugere.

O Dicas separou uma lista de alimentos coloridos e seus respectivos benefícios. Anote e inclua na sua dieta diária.

Alimentos vermelhos

Os alimentos avermelhados, como a goiaba, melancia e tomate, são poderosos antioxidantes. “A cor vermelha vem do licopeno geralmente associado à vitamina C. Previne estresse e funciona como antioxidante no controle dos radicais livres”, explica Anna.

Alimentos verdes

O agrião, chuchu, couve, kiwi, pimentão, pepino, por exemplo, previnem várias doenças, como o câncer. “Os alimentos desta cor têm a capacidade de aumentar a energia das células e do nosso organismo. Eles contêm fitoquímicos, como os isotiocianatos, que ajudam a prevenir doenças como o câncer. Além disso, eles têm luteína e zeaxantina. Estas substâncias blindam o organismo contra o câncer de cólon e reduz o risco de degeneração macular, que vem atingindo cada vez mais pessoas em idade avançada”, comenta a nutricionista.

Alimentos brancos

Os rabanetes, arroz, banana, mandioca, cebola e alho são ricos em vitamina B6 e protegem o sistema imunológico, evitando resfriados e gripes. “A substância flavina dá a cor branca aos alimentos ricos em minerais, carboidratos, vitamina B6, cálcio e fósforo. Auxiliam na renovação celular, protegem o sistema imunológico e ajudam na formação dos dentes e na elasticidade dos músculos”, sugere Anna.

Alimentos amarelos

A laranja, mamão, melão, milho e pêssego também ajudam na prevenção do câncer e na manutenção da visão. “O betacaroteno é a substância responsável pela cor laranja, ela atua no metabolismo de gordura. Auxiliam na manutenção dos tecidos e dos cabelos. Também são ótimas fontes de vitamina C, importante aliado do sistema imunológico. Alimentos de tonalidade alaranjada e amarela são oxidantes e atuam contra a ação dos radicais livres, prevenindo o envelhecimento”, diz a especialista.

Alimentos roxo, azul, preto

A uva, repolho roxo, jabuticaba, ameixa e berinjela, por exemplo, auxiliam e retardam os sinais de envelhecimento. “A tonalidade azulada, preta ou roxa vem da antocianina, pigmento associado à vitamina B1, responsável pela transformação dos nutrientes em energia. Ela ajuda a retardar os sinais de envelhecimento. A coloração escura também tem propriedades antioxidantes, que ajudam no combate ao câncer e doenças cardiovasculares”, afirma Anna.


Por Ana Carolina Gabriel
Fonte: Dicasdemulher

O Mecanismo Biológico da Paixão

                         O comportamento apresentado pela pessoa apaixonada pode ser determinado pelo cérebro.


A pessoa que já se apaixonou pelo menos uma vez na vida sabe que essa vivência é capaz de produzir modificações. É um sentimento que pode conduzir ao êxtase ou à angústia.

Em decorrência do desenvolvimento das neurociências, é possível compreender a origem biológica quando se experimenta o sentimento de paixão.


O desejo sexual que é ligado à paixão, pode estar relacionado com aspectos psíquicos e cerebrais de quem sente a atração. Sendo assim, o comportamento apresentado pela pessoa apaixonada pode ser determinado pelo cérebro, uma vez que este é um comportamento que visa alcançar um objetivo, a pessoa desejada. Interesse esse que não é determinado apenas pelas características físicas do outro.


Os hormônios, principalmente os sexuais, podem ter importância fundamental. Apesar de influenciarem no desenvolvimento dos órgãos genitais, influenciam também nas partes do cérebro em direção ao masculino ou feminino. 
 
Por Patrícia Lopes
Equipe Brasil Escola

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Para incentivar leitura, pais devem dar exemplo

                                   Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe


Ler é um hábito adquirido principalmente na infância, quando as crianças são incentivadas a ganhar livros com desenhos, sempre muito coloridos, para despertar o interesse e a curiosidade dos pequenos. Porém, o incentivo puro não funciona, pois se os pais não leem para seus filhos enquanto ainda não estão alfabetizados ou não têm eles próprios o hábito de ler, o gosto infantil pela leitura pode se perder.


Foi comprovado por pesquisas que quanto mais cedo a criança tem contato com livros, principalmente se for acompanhado pelos pais, tem melhor capacidade de compreensão, pronuncia das palavra e de comunicação. A literatura infantil é um caminho que leva a criança a desenvolver a imaginação, emoções e sentimentos de forma prazerosa e significativa.

O hábito da leitura ajuda a criança a criar familiaridade com a escrita e a compreensão de texto, facilitando a alfabetização. Ler também é importante porque ajuda a fixar a grafia correta das palavras. Ou seja, quem é acostumado à leitura desde bebezinho se torna muito mais preparado para os estudos, para o trabalho e para a vida.


A leitura é contagiante, então se os filhos se acostumam a ver os pais lendo, quietinhos, imersos num bom livro, com certeza saberão que ler é gostoso e farão o mesmo. Como a criança adora estar na companhia dos adultos, uma boa dica é aproveitar um período do dia e chamar seu filho para junto de você, para lerem uma história infantil ou mesmo alguma matéria de revista relacionada ao mundo deles.


Não existe uma idade ideal para começar a ler para seu filho, que mesmo bebê, já se acostuma a ouvir a história, que mais tarde, ganhará imagens e letras quando ele estiver alfabetizado. Ler em grupo estreita o vínculo familiar, já que as emoções da história são vivenciadas por todos.

Outras pequenas atitudes podem ajudar a incentivar a criança a ler, como deixar os livros sempre ao alcance dos pequenos e ler junto com eles pelo menos uns 20 minutos por dia. Os livros não são objetos sagrados, devem ser folheados, mexidos, até rasgados, pois essa vivência os tornará mais próximos.

Frequente livrarias e bibliotecas, dê livros, gibis e revistas de presente. Empreste livros para os amigos dele, estimule a troca entre eles. Estimule a participação em outras atividades que usem a leitura, como jogos, receitas e mapas.



Quando a criança já estiver alfabetizada, peça para que leia para você, invente histórias, crie outros personagens ou até incentive a criar outros finais para aquele livro favorito, isso estimula a imaginação e é um exercício prazeroso, pois invenções maravilhosas podem surgir e a diversão é garantida.

Por Carmem Sanches
Fonte: Mãe e Filhos



Parabéns amigo M S, Feliz Aniversário !!!


domingo, 24 de junho de 2012

Reflita: A vida !!!

Nunca diga que algo é impossível
As coisas são no máximo improváveis
Mas nunca são impossíveis.

Nunca desista antes de tentar e se você for se arrepender de algo, não se arrependa do que você fez e sim do que você deixou de fazer.
Porque tentar e errar, é ao menos aprender,
enquanto nem mesmo tentar, é desperdício.

Não desperdice nenhuma chance da sua vida,
afinal a sorte não bate todo dia à sua porta.

Tenha discernimento para saber o que é certo
e o que é errado, tenha sua própria cabeça,
não se deixe influenciar, mas saiba ouvir sempre a opinião dos outros e saiba admitir seus erros.

Seja humilde e sempre fiel a Deus,
você é um dos soldados dele e está aqui em busca da felicidade, da sua e da dos outros.

Procure-a, ela está dentro de você!
E você com certeza a merece!

Corra atrás de seus sonhos, porque sem eles não chegamos a lugar nenhum, não se conforme.
Vá atrás do que você quer,
LUTE!!!!

A vida é bela e as esperanças nunca devem acabar. Assim como também não deve acabar
o amor que existe dentro de nós.

Saiba sobreviver às tristezas,
Saiba se erguer após cada queda
e saiba amar sem medo, pois o medo não nos traz nada,
apenas leva....

Saiba se entregar por inteiro,
abaixar todos os escudos e dizer:
EU ME RENDO!

Ame de corpo e alma, mesmo que depois esse amor acabe. Aproveite cada momento,
cada segundo do seu viver, pois é como dizem,
no fim, o que conta, não são os anos de sua vida
e sim, a vida em seus anos.
Então, espero sempre que seus anos
sejam cheios de vida.

Não deixe morrer esse anjo que há dentro de você,
esse anjo chamado AMOR.
Esse anjo que dá toda a luz necessária para a nossa vida. Deixe ele livre para reinar em seu coração, pois só assim seu espírito continuará livre do mal e se você tiver a sua alma protegida por esse anjo, nada de ruim vai lhe tocar,
pois você estará sempre ao lado de Deus.

Não tenha ódio por ninguém, mesmo que desejem o pior pra você, pois se você tiver ódio, seu escudo cai e ai sim,
poderão lhe atingir.
Tenha apenas pena dessas pessoas, pois elas mataram o anjo que existia em seus interiores
e se esqueceram que somos todos iguais,
Filhos de Deus e que merecemos respeito, carinho,
amor e felicidade.

Toda vez que você passar por algum momento difícil, erga sua cabeça, olhe para o céu e diga:
O Senhor está comigo e vai me ajudar!

Por que essa é a realidade, ELE sempre estará nos ajudando. Só que as vezes ficamos surdos a sua ajuda e não percebemos o quanto ELE nos ama. Chegamos até ao ponto de pensar que ele nos abandonou, quando na verdade, nós que O abandonamos.

Reze e agradeça, pois ELE nos deu o maior presente de todos:

A VIDA! !! 

   Desconheço a autoria

Uma maravilhosa semana a todos !!!

sábado, 23 de junho de 2012

Saiba como identificar se o seu xixi é saudável e evitar a infecção urinária

Fazer xixi é uma maneira natural de o corpo se livrar de bactérias e outros organismos que podem ser prejudiciais à saúde. Se eles ficam dentro da uretra ou da bexiga, podem causar infecção urinária.

Se o problema se repetir muitas vezes ao longo da vida, algo mais comum em mulheres, pode prejudicar os rins. Muitos pacientes que hoje dependem de hemodiálise ou estão na fila de um transplante tiveram inicialmente infecções urinárias. Além disso, 5% das crianças com perda de urina evoluem para infecções e insuficiência renal.

Para evitar o problema, é importante observar o seu xixi. Ter uma urina descontrolada após os 4 anos de idade é motivo para ir ao médico, já que nessa idade o corpo já deve conseguir se controlar. Fazer xixi muitas vezes por dia, com intervalos de menos de duas horas, também é sinal de preocupação.

Em crianças após os 4 anos, perder urina durante à noite ainda é normal, mas, se isso acontece com frequência e ao longo do dia, já é necessário um acompanhamento médico para o tratamento. Uma das soluções é colocar um alarme preso à roupa para acordar a criança e obrigá-la a ir ao banheiro de madrugada.

Já os jovens têm problemas por causa de maus hábitos como a falta de relaxamento suficientemente do esfíncter da uretra, o que impede que parte da urina saia e acabe ficando na bexiga ou retornando aos rins, o que motiva a infecção.

Outro hábito ruim é fazer xixi em pé ou, no caso das crianças, sem estar com os pés apoiados no chão. Na hora de passar o papel higiênico, a dica é sempre se limpar de frente para trás. Fora isso, urinar sem privacidade também pode comprometer a eliminação.

 o contrário do que muitas pessoas dizem, as relações sexuais não causam infecção urinária. O problema está na fricção do ato, que leva bactérias para dentro da uretra e, de lá, para o restante do sistema urinário.
 
Por isso, quanto mais lubrificada estiver a mulher, melhor. Além disso, fazer xixi após a relação pode ajudar, porque ele “lava” a uretra.

Outro fator que contribui para a infecção urinária é a prisão de ventre, porque a contração do esfíncter anal é controlada pelo mesmo nervo que coordena o esfíncter da uretra. Ou seja, o esforço para evacuar pode danificar também a uretra e dificultar o relaxamento na hora do xixi.

Nos homens após os 50 anos, o aumento de vezes ao urinar pode indicar o crescimento da próstata, que também deve ser investigado. Para combatê-lo, existem medicamentos e, dependendo da causa desse aumento (um câncer, por exemplo), é indicada a operação.

Os tratamentos disponíveis para a infecção urinária de repetição focam principalmente nas mudanças de hábitos e em treinamento para relaxar o esfíncter, com fisioterapia. Em alguns casos, são necessários antibióticos, mas não se devem abusar deles. Isso porque 25% das bactérias já são resistentes aos remédios do grupo das quinolonas, 50% à ampicilina e 50% à sulfa

 Do G1, em São Paulo

Dormir bem ajuda a perder peso

                                                         Foto divulgação


Quando dormimos mal produzimos muito cortisol –  um hormônio relacionado ao estresse. O excesso desse hormônio pode aumentar a vontade de comer, principalmente pães, doces e massas — o que detona qualquer dieta.

Veja algumas dicas para uma boa noite de sono:

- O quarto deve ter temperatura amena e estar ventilado. Deixe uma pequena fresta da janela aberta.

- O ambiente onde dormimos deve estar escuro. Desligue os eletrônicos da tomada, inclusive aqueles com luz standby.

- Procure dormir em ambiente silencioso. Evite rádio e televisão ligados.

- Evite ver televisão ou ficar trabalhando no computador no quarto ou na cama. Essas atividades nos despertam e dificultam o sono.

- Tome um banho morno, que melhora a circulação e ajuda a relaxar.

- Pingue algumas gotas de óleo essencial de lavanda num algodão e o coloque dentro da fronha. Ele ajuda a relaxar e a dormir melhor.

- Tome uma xícara de chá de camomila, que tem ação calmante sobre o sistema nervoso central e induz o sono.

- Faça a sua última refeição pelo menos 1 hora antes de dormir. Opte por pratos leves e de fácil digestão.

- Faça uma atividade física regular. O exercício melhora a produção de serotonina que ajuda a relaxar e a melhorar a qualidade do sono.

Dicas Rede Mundo Verde

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Cientistas americanos conseguem ler DNA do feto

                                     Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe


A partir de amostras de sangue da gestante e da saliva do pai, cientistas da Universidade de Washington, em Seattle, conseguiram determinar, pela primeira vez, todo o genoma de um feto. O estudo foi publicado no periódico "Science Translational Medicine", no início de Junho.

O levantamento só foi possível porque os pedaços do DNA do bebê circulam no sangue da mãe durante a gestação, de forma fragmentada e em pequena quantidade.

 Só essa informação não seria suficiente para chegar ao genoma completo. Por isso, os cientistas também usaram o genoma do pai e o da mãe para balizar a análise.


A equipe, liderada por Jay Shendure e Jacob Kitzman, usou uma série de técnicas estatísticas comparativas para "remontar" toda a sequência de letras químicas de DNA que compõe o genoma fetal. Por exemplo, se os genitores tinham a mesma versão de um gene, aumentava a chance de que o feto também herdara esse gene.

Já era possível obter a sequência genética de um feto coletando diretamente células da placenta ou amostras do líquido amniótico, a "bolsa d’água" que protege o bebê na barriga da mãe. Mas esses métodos são perigosos, pois podem desencadear um aborto espontâneo.

Sem esse risco, a nova técnica pode permitir o diagnóstico das chamadas doenças mendelianas, como fibrose cística, distrofia muscular de Duchenne e certos problemas mentais, causados pela mutação de um único gene.
Caso o método venha se tornar disponível comercialmente, pode gerar polêmicas, pois a oportunidade pode levar os pais a não quererem seus filhos se houver alguma possibilidade de deformação ou deficiência genética, que nada tem a ver com questões médicas.

Apesar das possibilidades e riscos, os pesquisadores advertem sobre as limitações das novas técnicas. "Nossa capacidade para gerar dados está superando nossa capacidade de interpretá-los de maneira que sejam úteis para os pacientes. A interpretação do genoma, mesmo para doenças mendelianas, ainda é um desafio", escrevem os pesquisadores.

Por Carmem Sanches
Fonte: Mãe e Filhos




Trabalhar à noite pode aumentar risco de câncer de mama

Segundo estudo, probabilidade de desenvolver o problema é até 30% maior

                            Imagem da internet


Segundo tipo mais frequente no mundo, o câncer de mama é responsável pela morte de milhares de mulheres todos os anos. De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), estão previstos mais de 52 mil novos casos no Brasil neste ano. Um possível fator de risco que pode estar contribuindo com esse número é trabalhar no período noturno, aponta um novo estudo publicado no periódico International Journal of Cancer.

Para chegar a essa conclusão, uma equipe do Centre for Research in Epidemiology and Population Health, na França, acompanhou três mil mulheres durante três anos. Das participantes, 11% trabalhavam ou já haviam trabalhado de noite. Os pesquisadores observaram, então, o impacto da vida profissional das voluntárias sobre a sua saúde.

Os resultados mostraram que a chance de desenvolver câncer de mama foi 30% maior entre as mulheres que trabalhavam ou haviam trabalhado no período noturno do que aquelas que nunca haviam trabalhado à noite. O risco se mostrou ainda maior entre as participantes que trabalhavam em turnos variados, sendo de um a três dias no período noturno. Outra descoberta foi o aumento do risco entre as mulheres que haviam trabalhado de noite antes da primeira gravidez, explicado pelo fato de que as células mamárias podem ser mais vulneráveis antes da primeira gestação.

Para os autores do estudo, uma possível explicação seria o fato de o trabalho no período noturno atrapalhar o ritmo circadiano, ou seja, período no qual se baseia o ciclo biológico do ser humano. Ele regula funções desde a digestão até o estado de vigília e é fundamental para o bom funcionamento do organismo. Suspeita-se, assim, que a alteração desse ritmo leve à disfunções que poderiam gerar um câncer.


Passe longe do câncer de mama com hábitos saudáveis

A maneira mais popular para a detecção precoce do câncer de mama é o autoexame de toque. Já a mamografia e o ultrassom de mama são os exames mais precisos, que podem diagnosticar o tumor na mama. Entretanto, além do diagnóstico precoce, existem hábitos que ajudam a evitar o desenvolvimento dessa doença. Saiba quais são eles e aumente a sua proteção.


1. Exercícios
Um estudo realizado por pesquisadores norte-americanos e publicado no Journal of the National Cancer Institute, apontou que adolescentes praticantes de exercícios físicos intensos diminuem as chances de sofrer de câncer de mama na fase adulta em até 23%. Isso porque a prática de exercícios físicos diminui o estresse e ajuda no controle do peso, fatores que também influenciam no desenvolvimento de câncer de mama.

2. AmamentaçãoSegundo um estudo feito pela World Cancer Research Fund, na Inglaterra, mulheres que amamentam os seus filhos por, pelo menos, seis meses têm 5% menos chances de desenvolver câncer de mama. Quando a mulher amamenta, ela estimula as glândulas mamárias e diminui a quantidade de hormônios, como o estrógeno, em sua corrente sanguínea.

3. Ômega 3
Pesquisadores do Fred Hutchinson Cancer Research Center, nos Estados Unidos, mostraram que óleo de peixe pode diminuir em até 32% as chances de câncer de mama. Isso acontece pela ação antioxidante do ômega 3, ácido graxo encontrado em abundância nos óleos de peixe.

4. Estresse
O estresse está entre os fatores de risco para câncer de mama. Alguns estudos mostraram que as mulheres que vivem uma rotina muito agitada e estressante têm quase o dobro de chances de desenvolver a doença. Ainda não se sabe muito bem porque o estresse aumenta as chances de câncer de mama, mas a relação entre os dois é bastante evidente.

5. Soja
Estudos observaram que a incidência de câncer de mama é menor em países asiáticos e descobriram que o consumo de soja e seus derivados, comum nesses países, ajuda na prevenção da doença. Isso se deve ao fato de a soja ser rica em estrógenos vegetais, um tipo de isoflavona que tem características bastante parecidas com o estrógeno, mas que não aumenta a proliferação de células mamárias, fator que aumenta as chances de câncer de mama.

Fonte: Minha Vida

Onde reside o amor?

Sem qualquer misericórdia pela poesia, a ciência nos mostrou que os sentimentos (como o amor, por exemplo) e as emoções não “acontecem” no coração, mas no cérebro. Até aí, tudo bem. A questão é: em que regiões do cérebro o amor “acontece”? E o desejo sexual, por acaso é na mesma área?

 Para responder estas e outras perguntas, uma equipe de cientistas dos Estados Unidos e da Suécia analisou os resultados de 20 estudos sobre o tema, nos quais pacientes tinham sua atividade cerebral examinada enquanto viam imagens eróticas ou fotografias de entes queridos.


“Vimos que amor e desejo ativam áreas do cérebro diferentes, mas relacionadas”, relata o professor de psicologia Jim Pfaus, da Universidade de Concórdia (EUA). Segundo dados da pesquisa, os dois fenômenos estimulam regiões do chamado corpo estriado.


Tanto o desejo sexual como outros estímulos considerados prazerosos, como sexo e comida, ativam a mesma região. Já a área ativada pelo amor envolve processos de condicionamento em que o cérebro gradativamente aprende que algo é agradável ou prazeroso.


Para acabar de vez com a poesia, eles contam que essa área do amor é a mesma relacionada com o vício em drogas. “O amor é, na verdade, um hábito formado a partir do desejo sexual, conforme este é recompensado. Funciona da mesma forma quando uma pessoa se torna viciada”, destaca Pfaus, para o horror dos românticos.


Embora a ciência venha progredindo cada vez mais em relação ao funcionamento do cérebro, ainda há muito a ser descoberto sobre o amor e outros sentimentos.


Levando em conta os resultados, porém, já podemos trocar aquele famoso trecho de Há Tempos, do Legião Urbana, para “parece cocaína, mas é só amor”.[Medical Xpress]


Fonte: http://hypescience.com - por Guilherme de Souza

terça-feira, 19 de junho de 2012

7 farinhas que ajudam a emagrecer

Elas regulam o funcionamento do organismo e prometem deixar o corpo em forma por serem ricas em fibras

 

Elas são práticas, baratas e ótimas aliadas na perda de peso. As farinhas de frutas, legumes e cereais se tornaram comuns nas dietas por proporcionarem diversos benefícios à saúde e ainda por servirem como uma ajuda e tanto para quem quer eliminar os quilos extras.

Algumas oferecem vitaminas, minerais, ômega-3 e até substâncias que diminuem a tendência do organismo em acumular gordura, mas são as fibras as principais responsáveis pela colaboração das farinhas no emagrecimento.


Além de aumentarem a absorção dos nutrientes, elas dão a sensação de saciedade e atrasam o esvaziamento gástrico. Isso significa que você se sente satisfeita com menos comida e demora a ter fome novamente.
Vale lembrar que as farinhas não fazem milagres. Não adianta encher o prato de alimentos calóricos, super gordurosos e depois acrescentar uma colher de farinha na tentativa de amenizar o estrago.


O resultado só aparece se você consumir esse tipo de farinha todo dia, polvilhada na comida pronta, na salada, no suco, no iogurte. Mas para isso, precisam ser combinadas com uma alimentação equilibrada e exercícios físicos regulares.


Outra dica para potencializar o efeito emagrecedor das farinhas é ingerir bastante água durante o dia, isso facilita a ação das fibras no organismo.
São várias as opções de farinhas que podem ser usadas por quem quer perder peso. Para ajudar na escolha, fizemos uma seleção com 7 farinhas para emagrecer. Saiba mais sobre as propriedades de cada alimento e como a versão em farinha de cada um deles pode ajudar na dieta:



1- Farinha de linhaça

A linhaça é considerada um alimento funcional, que nutre e ainda previne doenças. Existem dois tipos de semente, a linhaça marrom e a linhaça dourada. Ambas possuem os mesmos nutrientes, como ômega-3 e ômega-6, que previnem doenças cardiovasculares, melhoram a circulação sanguínea e ajudam a diminuir a retenção de líquidos.

A semente também é rica em fibras, que regulam o intestino e controlam o diabetes, tem vitaminas A, E, B1, B6, B12, além de potássio, sódio, magnésio, fósforo, ferro, cobre, zinco, manganês e selênio, que são minerais importantes para o nosso organismo. Contém ainda um composto chamado lignana, que ajuda no equilíbrio hormonal, alivia os sintomas da TPM, menopausa e atua na prevenção do câncer de mama.

A farinha de linhaça pode ser acrescentada no arroz, feijão, nas frutas, sucos, iogurtes, vitaminas, saladas, no preparo de bolos, pães, tortas, sopas.


2 – Farinha de quinoa

De sabor leve e tão saudável quanto a soja, o pequeno grão é riquíssimo em proteína, minerais e vitaminas B1, B2, B3, D e E, que auxiliam em diversas funções do nosso metabolismo. Possui grande quantidade de fibras que colaboram com o intestino, ajudam a controlar os níveis de colesterol e glicemia no sangue.

A quinoa possui diversos aminoácidos, dentre eles a lisina, uma substância que ajuda a fortalecer a imunidade e está relacionada ao desenvolvimento da inteligência e funções da memória e aprendizado. Além disso, a quinoa tem ação cicatrizante, analgésica e anti-inflamatória.

A farinha de quinoa pode ser utilizada na receita de pães, massas, tortas, biscoitos, mingaus e pudins, com a vantagem de não conter glúten e poder ser consumida por pessoas com hipersensibilidade ao leite e também portadores de doença celíaca, ou seja, que não podem consumir alimentos como cevada, aveia, trigo e centeio.


3 – Farinha de soja preta

A farinha feita com a versão turbinada da soja tradicional é rica em isoflavonas e antocianinas, substâncias importantes para combater o colesterol alto e até câncer. Além disso, a farinha de soja preta tira a fome, dá mais disposição e faz as células absorverem 50% menos gordura.

Sem contar suas propriedades que agem contra os radicais livres, retardam o processo de envelhecimento e previnem as rugas. Incluir a farinha de soja preta também pode ser uma ótima maneira de amenizar os sintomas da TPM e da menopausa.


4 – Farinha de feijão branco

O feijão branco é rico em Faseolamina A, uma proteína com propriedades que inibem a digestão dos carboidratos e que diminuem a absorção de açúcares pelo nosso organismo, sendo assim uma grande aliada no emagrecimento.

O feijão branco também pode ajudar a prevenir o diabetes e colabora para o bom funcionamento do intestino, pois possui grande quantidade de fibras. Não se deve exagerar no consumo da farinha de feijão branco, – uma colher de chá por dia é suficiente – já que podem ocorrer efeitos colaterais como diarreia e flatulência.

5 – Farinha de berinjela

A berinjela é rica em vitaminas A, C e no complexo B, que colaboram para melhorar visão e as defesas do corpo. Além disso, é um legume rico em água, que apresenta pouca gordura. Na casca da berinjela estão substâncias que ajudam a prevenir o câncer.

A farinha de berinjela tem até dez vezes mais fibras que a berinjela in natura, por isso ajuda a tirar a fome. Pode ser misturada a caldos, sopas, sucos, vitaminas e iogurtes. Combinada com uma dieta balanceada, duas colheres da farinha de berinjela todos os dias ajudam a secar a barriga.


6 – Farinha de banana verde

Os benefícios da banana podem ser melhor aproveitados se ela for consumida enquanto ainda está verde. Durante o processo de maturação, a fruta é rica de um tipo de amido resistente que não sofre digestão nem absorção e se comporta como se fosse uma fibra solúvel no organismo, inclusive produzindo substâncias que são benéficas.

Como a banana verde não é lá muito agradável de ser ingerida, uma alternativa para consumir a fruta é em forma de farinha. Como tem sabor neutro, a farinha de banana verde pode ser utilizada em diversas preparações, inclusive substituindo a farinha de trigo. Dá para misturar com água ou adicionar diretamente aos sucos, iogurtes e frutas em pedaços. A quantidade de consumo recomendada é de cerca de duas colheres de sopa por dia.

7 – Farinha de maracujá

A parte branca da casca do maracujá é rica em pectina, que impede a absorção da gordura presente nos alimentos. Na forma de farinha, cerca de 20% dessa fibra solúvel continua presente e, quando no estômago, se transforma em um gel que diminui a fome.

A quantidade sugerida para o consumo da farinha de maracujá é de uma colher de sopa três vezes ao dia, antes das principais refeições. Pode ser misturada na comida ou em sucos e iogurtes.


Por Deborah Busko
Fonte: Dicasdemulher


Ervas para aumentar a libido

Não é novidade que homens e mulheres que sofrem de falta de apetite sexual vivem em busca de soluções para o problema. Embora a real solução para isso esteja basicamente na maneira que a pessoa se vê e interage com o parceiro, existem algumas alternativas para impulsionar esse retorno à vida sexual.

Conheça a seguir quatro ervas que podem ser encontradas em farmácias de manipulação em sua forma de extrato e prometem melhorar a libido masculina e feminina.

Maca

Essa planta de aparência similar ao nabo, é conhecida como “viagra peruano” pois acredita-se que ela tenha o mesmo efeito no desejo sexual. Ela possui frutose, cálcio, ferro, manganês, cobre, potássio, zinco e ferro e aminoácidos essenciais como argenina, lisina e valina em sua composição.

Além disso, ela contém proteínas vegetais, fibras e vitaminas B1, B2, C e E. Sua ação positiva no apetite sexual se deve também à presença dos fito-hormônios progesterona e testosterona em sua composição.

Ela pode proporcionar ao homem ereções mais fortes e mais duradouras e nas mulheres, acredita-se que ela aumenta o apetite sexual e a intensidade dos orgasmos.

Ginseng siberiano

Suas propriedades são similares ao ginseng espécie panax. Sua raiz contém uma mistura de componentes chamados eleutherosides, muito utilizados em tratamentos fitoterápicos.

Além de aumentar a fertilidade masculina e feminina, esta planta ajuda a estabilizar os hormônios femininos, colaborando com a melhoria da libido.

Ginkgo biloba

O ginkgo biloba auxilia a vasodilatação e promove a produção de ácido nítrico, necessário para estimular o aumento do fluxo sanguíneo para os órgãos sexuais, sendo assim um excelente estimulante sexual.

Essa erva é mais conhecida pelo seu tratamento contra disfunção erétil em homens, mas também pode proporcionar melhoria no apetite sexual feminino.


Tribulus terrestris

Seu uso é muito disseminado para o tratamento de infertilidade e impotência, além de sua forte influência na melhoria do apetite sexual tanto do homem quanto da mulher. Os resultados de pesquisas feitas pelo mundo todo apontam respostas positivas do corpo em relação ao Tribulus Terrestris. Acredita-se, inclusive, que possa aumentar os níveis de testosterona na organismo.

Estas plantas são usadas em tratamentos fitoterápicos para promover o apetite sexual em homens e mulheres, porém não garantem a solução do problema de falta de desejo sexual, devido à sua causa estar, em geral, ligada ao psicológico e não à fatores físicos.

O que elas fazem é preparar o corpo para a excitação e facilitar esse processo. Uma vez que isso ocorre, estando o corpo preparado para a função sexual, a mente pode ser mais facilmente estimulada. Sendo assim, não se deve recorrer apenas a estes recursos para o tratamento da perda da libido.

 Essa matéria não substitui uma consulta médica e não se esqueça de que antes de se automedicar você deve buscar aconselhamento médico.

 Por Andressa Dias
Fonte: Dicasdemulher