terça-feira, 30 de setembro de 2014

Erva-cidreira a favor da saúde

A erva-cidreira (Melissa officinalis) é uma herbácea da família da menta, da hortelã e do boldo, e é nativa da Europa.



Antes de falarmos mais a respeito é preciso esclarecer algumas dúvidas comuns. A erva-cidreira e o capim-cidreira ou capim-limão, NÃO SÃO A MESMA COISA. Mas apesar disso, apresentam propriedades muito semelhantes.

Diferente da erva-cidreira, o capim-cidreira é uma herbácea da família das gramíneas, e nada tem a ver com a menta, hortelã ou o boldo.

Outro problema comum de ocorrer é algumas pessoas confundirem a erva-cidreira com a menta ou o hortelã, mas eles também são bem diferentes, e a erva-cidreira (ou melissa) costuma apresentar folhas mais claras que essas duas últimas.

A erva-cidreira é uma excelente reguladora de menstruações, aliviando as cólicas e tonificando o útero. Além de servir para combater o nervosismo, advindo das tensões pré-menstruais e possuir um componente que auxilia no tratamento da insônia.

Componentes químicos da erva


Esta erva possui poderosos componentes químicos, que lhe conferem incríveis propriedades medicinais. 

São eles: Acido cafeico, ácido rosmarínico, ácido clorogênico, ácidos triterpênicos: ursólico e oleânico; óleo essencial (citral, citronelal, citronelol, pineno, limoneno, linalol e geraniol), glicosídeos flavônicos, resinas, sesquiterpenos (cariofileno e outros), succínico e tanino.

Benefícios


  • Diminui a secreção das mucosas;
  • Combate inflamações nos órgãos genitais e na boca;
  • É anestésica, aliviando a dor;
  • Auxilia no combate a alergias;
  • Impede o surgimento de espasmos no estômago e no intestino;
  • Inibe a ação dos glóbulos brancos;
  • Reduz vermelhidões de machucados e inchaços;
  • Inibe o crescimento de micróbios no corpo;
  • Protege a pele contra mico-organismos;
  • Cicatriza ferida rapidamente;
  • Diminui cansaços;
  • Reduz dores de cabeça;
  • Alivia enjoos, etc.

Contraindicações


A erva-cidreira é contraindicada para pessoas que tenham problemas como tireoide, pois inibe a absorção dos medicamentos contra a doença, e também pessoas alérgicas.

Por isso, antes de utiliza-la consulte um médico.

Como usar?


A melhor forma de utilizar a erva-cidreira, porém, não a mais comum, é colher a folha fresca e usá-la na hora mesma hora. 

Mas o jeito mais comum, que a maioria das pessoas faz, é comprá-la seca no supermercado ou em feiras livres.

erva-cidreira
A melhor forma de utilizar a erva-cidreira é colher a folha fresca e usá-la na hora mesma hora.

O chá é uma ótima forma de se utilizar o poder da planta


É muito simples:

1. Colocar 12 folhas picadas dentro de uma xícara de chá;
2. Adicionar água fervente;
3. Cobrir a xícara e deixar a temperatura abaixar um pouco;
4. Ao amornar a bebida, coá-la;
5. Beber de 3 a 4 xícaras por dia (com intervalos).

Em que casos utilizar a erva-cidreira?


• Dores de barriga ou cólicas menstruais;
• Dor nos olhos;
• Em machucados;
• Como repelente, amassando as folhas e aplicando-as na pele;
• Dores de dente, ao colocar algumas folhas dentro de um copo de água, deixando descansar, depois fazer bochecho, etc…

A erva-cidreira é bastante utilizada como remédio natural, mas também pode servir como aromatizador de ambientes, na produção de cosméticos, na fabricação de sabonetes, em óleos para o corpo, em xampus, em condicionadores para os cabelos, como cremes, como esfoliante, etc.

E na culinária?


Na cozinha, no preparo de certos alimentos, a erva-cidreira adiciona um sabor cítrico à comida, além de ser utilizada com bebidas para dar um aroma diferente. Serve também como tempero em saladas, peixes e aves.

Produto fitoterápico


A fitoterapia é baseada em fontes naturais para tratar diversos problemas, neste caso, nas plantas medicinais.
Já a aromaterapia é a forma com que o aroma das plantas exerce determinados efeitos sobre o corpo humano. 
Neste caso, a erva-cidreira é tanto fito, quanto aromaterápica. Não é uma maravilha?

Fonte: Melhor com saúde

Os melhores remédios naturais para tratar os lábios secos

Existe uma série de razões pelas quais os lábios se ressecam. A principal delas é que eles estão localizados ao alcance da língua, e por isso é mais fácil lambê-los.


A saliva humana contém dois compostos que causam ressecamento da pele: a amilase e a maltase, que são enzimas digestivas que podem danificar a pele sensível dos lábios, deixando-os expostos ao ar seco. Conheça agora os melhores remédios naturais para tratar os lábios secos.

1. Óleo de coco

Faz séculos que os habitantes de regiões tropicais utilizam o coco tanto com fins alimentares quanto medicinais. A pesquisa moderna sobre as propriedades do coco, principalmente de seu óleo, apoiou as antigas noções de que o coco é um alimento saudável.


O que acontece é que o óleo de coco é composto por um tipo incomum de gordura. A maior parte das gorduras animais e vegetais são compostas por ácidos graxos de cadeia longa. O óleo de coco, porém, contém ácidos graxos de cadeia média, que nossos corpos metabolizam de maneira diferente do que as gorduras de cadeia longa.


Particularmente, diferente das matérias gordurosas compostas por ácidos graxos de cadeia larga, o óleo de coco não aumenta o colesterol na corrente sanguínea.


De fato, ele diminui de maneira muito efetiva a presença de colesterol nos tecidos de órgãos como o fígado.


Também foi comprovado que o óleo de coco possui outras propriedades curativas, dentre elas a de aumentar a saúde da pele, e de melhorar a condição dos lábios ressecados. O óleo de coco é facilmente absorvido pela pele, por isso serve como um agente para suavizar e um creme hidratante.


Ainda mais, o óleo de coco permite a fácil absorção de vitaminas, incluindo a vitamina E, um antioxidante que reduz a formação de radicais livres que danificam as células.

2. Pepino

Pepino-diuretico
Rodelas de pepino têm sido associadas aos regimes de beleza já faz muito tempo. Elas se demonstram eficazes na melhoria da beleza da pele mediante a redução de inchaços debaixo dos olhos.


O pepino é composto principalmente por água (mais de 90%), o que significa que pode servir como veículo de entregar de água ao organismo. Essa água contida em rodelas de pepino puro pode ajudar a restaurar a unidade dos lábios, mas o pepino, além disso, tem outros ingredientes que podem beneficiar a saúde dos lábios.


Tem uma quantidade significativa de ácido ascórbico, conhecido familiarmente como vitamina C, que promove a produção de colágeno, uma proteína que dá estrutura e resistência aos tecidos da pele.


O pepino também contém ácido cafeico, um antioxidante que suprimi a geração de radicais livres por radiação ultravioleta.

3. O óleo de manga

Assim como o óleo de coco o óleo de manga, extraído dos grãos da árvore de manga, é utilizado na medicina tradicional a séculos. Existe uma boa razão para isso, visto que o óleo de manga é rico em ácidos graxos, principalmente ácido oleico e esteárico.


Isso faz com que o óleo essencial da manga tenha a capacidade de dar a suavidade e a umidade aos lábios.


Os ácidos oleico e esteárico também tem a vantagem adicionada de serem hidrofóbicos e hidrófilos ao mesmo tempo. Um extremo é atraído pela água, enquanto o outro a repele, fazendo com que esses dois triglicerídeos bloqueiem de forma excelente a umidade nos lábios, assim com sua impermeabilização.

4. Babosa

Aloe-vera-estrias
Essa planta, muito usada para decorar interiores, conhecida como babosa, é utilizada para todo o tipo de doenças, desde a redução da dor causada por queimaduras até para aliviar a prisão de ventre.


Alguns desses tratamentos podem realmente trabalhar com base na propriedade higroscópica do gel de babosa. E o que isso significa?


Significa que assim como os ácidos oleicos e esteáricos encontrados no óleo de manga tem uma propriedade hidrófila, ou seja, são atraídos pelas moléculas de água, e a babosa funciona de maneira similar, porém seu gel é hidroscópico, o que quer dizer que ele capta vapor de água do ar.


Assim, se ele for aplicado nos lábios secos, rachados, sua propriedade hidroscópica atrairá a umidade aos lábios, fazendo com que o gel funcione como um umectante.


A babosa também serve como um grande veículo de entrega dos óleos essenciais que podem ajudar na produção de elastina e colágeno, assim como o óleo de rosa mosqueta.

Fonte: Melhor com Saúde

Dicas para acabar com a tosse seca

O sintoma é o mecanismo do corpo para limpar as vias aéreas, mas quando aparece traz desconforto e até atrapalha o sono. Saiba como driblar o mal-estar

Texto: Leonardo Lourenço / Ilustração: Isa Santos / Adaptação: Clara Ribeiro

A tosse seca é irritativa e causa desconforto e cansaço, pois força a musculatura do peito
Ilustração: Isa Santos



Basta uma mudança brusca de temperatura para ela chegar. Primeiro, a garganta fica seca. Depois, o nariz se manifesta. Até que... Cof, cof... a tosse aparece. Pode ser o primeiro sinal de um resfriado, o começo de uma gripe ou uma reação alérgica a fatores químicos e ambientais, como poeira, fumaça de cigarro ou o ar extremamente seco. A tosse é o principal mecanismo de defesa do sistema respiratório e não deve ser ignorada. Ela sinaliza que algo está errado com nossas vias aéreas. Pode ser aguda, quando for sintoma de uma reação alérgica, por exemplo, e durar até três semanas; ou crônica, quando persistir além desse tempo. “Na maioria das vezes, a tosse seca ocorre por gripes ou resfriados. Quando a tosse é crônica, pode indicar refluxo gastroesofágico, ou até mesmo asma”,alerta Alexandre Kawassaki, pneumologista do Hospital 9 de Julho (SP).


A tosse seca é irritativa e causa desconforto e cansaço, já que força a musculatura do peito. Crianças e idosos precisam de mais cuidados, pois o esforço excessivo em uma crise pode causar lesões e trazer complicações. Além de incômoda, ela ainda tira o sono. Tossir mais durante a noite é comum porque, quando estamos deitados, fica mais difícil para o organismo drenar as secreções das vias respiratórias, favorecendo seu acúmulo e desencadeando a tosse. Mas medidas simples podem ajudar a aliviar os desconfortos. Listamos algumas delas.


Aos primeiros sinais vá por aqui:
Quando combatida desde o início, a tosse seca tem menos chance de se tornar crônica ou se transformar em tosse produtiva, ou seja, aquela acompanhada de muco. Por isso, os primeiros cuidados são importantes e essenciais. A começar, faça da garrafinha d’água sua melhor amiga: além de aliviar o desconforto, a hidratação das vias respiratórias é o principal remédio para combater a tosse. Pastilhas à base de mel e própolis podem ser boas soluções se houver coceira na garganta. Comer uma maçã também pode trazer alívio, já que a fruta tem ação adstringente e atua na limpeza da garganta.


Se o incômodo é noturno...
... procure dormir com a cabeça elevada – use dois travesseiros ou coloque um calço na cama para que a cabeceira fique ligeiramente inclinada. Tomar um banho quente antes de dormir, aspirando bem o vapor d’água, é outra maneira de hidratar as vias respiratórias e acalmar a tosse.


Xaropes antitussígenos?
O uso deles, em geral, deve ser evitado nessa etapa. Já os chás de ervas podem ser grandes aliados para combater a tosse logo de cara. “Nesses casos, o chá deve ser preparado diretamente com a planta para o aproveitamento das suas propriedades terapêuticas. Chás de saquinho não auxiliam”, alerta a nutricionista Gisele Souza Lima (SP), que recomenda o chá de gengibre para ser tomado nesses casos. “O gengibre tem ação anti-inflamatória, ajuda na melhora do sistema imunológico e ameniza os sintomas de gripes e resfriados, bem como as tosses secas e carregadas”, ensina. Outras infusões, como a de guaco, eucalipto, camomila, menta, hortelã e limão são indicadas.


Após sete dias seguidos
Investigue em quais momentos ela aparece: se surge em um determinado cômodo da casa, pode ser sinal de uma reação alérgica. Atente aos possíveis gatilhos (poeira, mofo, ácaros, pólen, pelo de animais) e elimine-os do ambiente. Mantenha os espaços ventilados e faça uso de umidificadores e vaporizadores para aumentar a umidade do ar em locais fechados. Se não tiver aparelhos próprios, mantenha bacias de água ou panos molhados espalhados.


Aplicar soro fisiológico nas narinas também colabora para a hidratação das vias respiratórias e a eliminação de agentes que causem irritação. Ingira líquidos quentes, que trazem alívio imediato. Remédios caseiros são boas alternativas. Os mais indicados são o xarope de sabugueiro (combate gripes e resfriados), o de eucalipto (atua nas sinusites e doresde garganta) e o de guaco, que é expectorante e mais indicado no caso da tosse com muco.


Depois de seis semanas
Com os acessos frequentes de tosse, a garganta acaba ficando irritada. Tomar uma colher de chá de mel algumas vezes ao dia colabora com a garganta e ajuda a diminuir a incidência da tosse. Pastilhas a base de olmo ou mentol também são alternativas já que anestesiam a parte final da garganta, trazendo alívio. Fazer inalação com óleo essencial à base de eucalipto alivia o desconforto da tosse e favorece a respiração.


Alerta!
Os xaropes, industrializados ou caseiros, não devem ser tomados por mais de três semanas – seu uso pode mascarar problemas respiratórios mais graves e que exigem outro tipo de tratamento. Caso a tosse persista por mais de seis semanas ou outros sintomas apareçam (febre e falta de ar), é preciso ir ao médico. Ele indicará a terapia mais adequada.

7 alimentos que contribuem para a saúde bucal

Uma alimentação saudável ajuda no combate às cáries. Confira sete alimentos que são aliados da saúde da boca e dos dentes


Maçã: Algumas pessoas costumam dizer que a fruta faz uma escovação natural. Não é bem assim, pois nada substitui a prática mecânica e convencional. Porém, por ser fibrosa e dura, seu consumo promove uma atrição com as faces dos dentes e remove micro-organismos provenientes da placa bacteriana, presente em nossa cavidade bucal.





 Cereais, castanhas e amêndoas: Devido à dureza e dificuldade na ingestão, esses alimentos aumentam a salivação e ajudam a engolir com mais facilidade. Como a saliva possui a capacidade de limpar a boca naturalmente, cereais, castanhas e amêndoas reduzem a quantidade de placa bacteriana e auxiliam na prevenção do mau hálito.





 Chiclete: Se forem sem açúcar são benéficos, pois estimula a salivação e, consequentemente, trazem uma redução dos micro-organismos que consomem os restos alimentares e causam mau hálito, doenças periodontais e cáries. Além disso, o chiclete estimula a musculatura orofacial a se exercitar, fortalecendo-a.






 Cenoura: Possui o mesmo efeito que a maçã sobre a cavidade bucal. Por ser um alimento bastante rígido e fibroso, estimula a salivação e promove a autolimpeza parcial da boca.










 Água: É fundamental para a saúde bucal. A água de abastecimento, na maioria dos estados do Brasil, possui flúor em sua composição. A substância ajuda na remineralização do esmalte dentário, ajudando na prevenção contra as cáries. Além disso, tomar água mantém a cavidade hidratada, estimulando a salivação e reduzindo a possibilidade de mau hálito.







 Hortelã: A hortelã é extremamente refrescante (tanto que está na composição de muitos chicletes sem açúcar que prometem combater o mau hálito). Mascar a folha influencia no aumento da produção de saliva e deixa um hálito refrescante devido ao seu aroma inconfundível.







 Espinafre, Alface e Hortaliças: Extremamente ricas em fibras, essas verduras também aumentam a salivação, reduzindo a placa bacteriana e garantindo bom hálito.







 Texto: Marília Alencar/ Fotos: Shutterstock | Agradecimentos à Renata Rebuffo, cirurgiã-dentista, pelas dicas
Fonte: Revista Viva Saúde

sábado, 27 de setembro de 2014

Os benefícios do alho em jejum

Apesar do cheiro um tanto quanto desagradável para muitas pessoas, o alho pode proporcionar uma grande quantidade de benefícios ao nosso organismo, além de ser uma hortaliça muito utilizada em diversos pratos para dar aquele sabor.


O sabor do alho é muito forte e levemente picante, o cheiro característico não agrada a todos, mas ainda assim, ele é o preferido por cozinheiros e donas de casa, já que o sabor que oferece a todos os pratos não pode ser substituído por nada; além disso, tem grande quantidade de propriedades medicinais, das quais falaremos agora.

Desde quando os benefícios do alho são conhecidos?


O alho é originário da Ásia Central e seu uso na medicina alternativa é conhecido desde o terceiro milênio antes de Cristo, na Índia e antigo Egito.
Logo, como é evidente, seus benefícios são conhecidos a muito tempo, e ainda que tenha feito parte de crenças populares que foram transmitidas de geração em geração, muitas pesquisas científicas puderam comprovar que suas famosas propriedades são reais e eficazes.


alho2imagem. hbescan

Quais doenças podemos combater e evitar ao consumir alho?


Estudos científicos recentes demonstraram que o consumo regular do alho elimina as bactérias de nosso organismo e que, além disso, o alho é benéfico quando o assunto são bactérias e micro-organismos nocivos, por ser um poderoso antibiótico natural.


Com essa perfumada hortaliça também é possível tratar naturalmente a pressão arterial alta, o reumatismo, a diarreia, dores estomacais provocadas por parasitas; também tem a capacidade de reduzir o esgotamento físico e as doenças nervosas.


Outro destaque é que pode ser um poderoso estimulante do apetite, ajuda na boa digestão de alimentos, evita a acidez estomacal, ativa a circulação o que ajuda o coração a funcionar bem e é um bom protetor do fígado e da vesícula, mantendo-os saudáveis e resistentes.

Por que é bom consumi-lo em jejum?


Com o alho em jejum é uma ótima maneira de desintoxicar o organismo, além disso, se consumido de forma contínua e a longo prazo, podemos prevenir certos tipos de câncer, diabetes e problemas relacionados aos nervos e estados depressivos.


Para obter todos e cada um dos benefícios que o alho oferece, devemos consumi-o preferencialmente cru, já que ao cozinha-lo perdemos muitas de suas valiosas propriedades.


Na pior das hipóteses o sabor pareça muito forte, devido ao teor de enxofre que o alho contem mas, se analisamos todos os benefícios que essa hortaliça nos oferece, o cheiro passa a ser o menor dos problemas e passamos a consumi-lo sem tanta ressalva.


O mais recomendado é comer dois dentes ao dia, dessa forma poderemos usufruir de suas propriedades curativas.

Lembre-se que para evitar o sabor forte e o cheiro que fica depois de comer o alho podemos optar por comprimidos naturais próprios para eliminar esse tipo de efeito, e ainda tomando suco de limão ou mastigando uma folha de menta. O importante é que não nos privemos de obter os benefícios desse maravilhoso produto natural.


alho.image3. FotoosVanRobin

Imagens oferecidas por: Fernando Stankuns, hbescan e FotoosVanRobin

Fonte: Melhor com Saúde

Como fazer as unhas crescerem rápido e fortes?


As unhas, sobretudo para as mulheres, são muito importantes para sua estética e, por que não, para elas se sentirem dentro da moda. No entanto, muitas têm o mesmo problema: as unhas não crescem o suficiente ou quando crescem, são fracas e quebram facilmente. Neste artigo você aprenderá muito mais sobre o cuidado com as unhas para que essas fiquem sempre mais bonitas e saudáveis.


Por que a unhas quebram?

Para poder atacar o problema, primeiro é bom saber a causa de sua aparição. No caso das unhas, existem alguns hábitos ou atividades que podem prejudicá-las e evitar que cresçam saudáveis e fortes. Algumas das razões pelas quais talvez suas unhas não cresçam como gostaria são as seguintes:


  • O hábito de roê-las
  • Utilizar detergentes ou artigos de limpeza sem luvas
  • Abrir garrafas ou tampas com elas
  • Uma dieta pobre em vitaminas
  • Fazer tarefas no jardim sem luvas
  • Falta de higiene
  • Não deixá-las “respirar” (isto é, ficar com elas muito tempo pintadas)
  • Infecções como fungos
  • Não consumir minerais
manos2

Dicas para manter suas unhas mais fortes

Estas dicas servirão para que suas unhas fiquem muito melhor, possam crescer mais rápido e de modo saudável, além de você apresentar lindas mãos em qualquer época do ano:
  • Aumentar o fluxo sanguíneo para seus dedos com algumas atividades tais como escrever com o teclado, tocar piano, arquivar documentos etc. Isto é, tudo o que você fizer para fluir mais sangue para as unhas e, consequentemente, elas crescerão com mais força. Igualmente, tenha cuidado porque um erro muito habitual é pressionar as teclas com as unhas e isso não é bom para elas. Sempre teclar com as pontas dos dedos.
  • Aumentar a quantidade de proteínas em suas refeições. Para isso, beba batidas ou consuma lácteos, carne magra e, se desejar, algum suplemento de vitamina D. Todos estes ingredientes fazem a unha crescer mais rápido.
manos3

  • Se você não pode permanecer em um ambiente quente durante todo o dia, quando sair a rua, procure usar luvas em ambientes mais frios, como os transportes públicos, por exemplo. Assim, o fluxo sanguíneo aumentará e estimulará o crescimento das unhas.
  • Aplicar uma camada de esmalte nutritivo ou um endurecedor de unha uma vez por semana. Se desejar que elas cresçam mais rápido, repita durante quinze dias, uma vez pela noite.
  • Frequente a manicure com regularidade (ou, ainda, você mesma pode fazer as unhas ou pedir a uma amiga). Assim, poderá desfrutar de vários tratamentos habitualmente. Sempre lixar as unhas na mesma direção para que as pontas não se debilitem nem quebrem com facilidade.
  • Não abuse dos esmaltes nas unhas, porque têm ingredientes nada saudáveis para as unhas. Além disso, se usá-los muito, você ficará com elas amarelas e mais fracas. O melhor é pintar uma vez por semana e quando retirar o esmalte (preferível que não seja com acetona), deixe descansar por 48 horas antes de voltar a pintá-las.
manos4
  • Conheça qual é seu tipo de unha: existem 5 diferentes (normal, suave, maltratada, frágil e seca). Conforme for seu tipo, você deve aplicar um tratamento diferente. Dá uma olhada e analisa suas características antes de dar algum tratamento.
  • Beba muita água e também chás diariamente. Isso faz muito bem às unhas e também ao seu corpo em geral, porque se hidratam.
  • Procura usar ou manipular produtos mais naturais. Isso você pode fazer ao consumir produtos artesanais, por exemplo.
  • Evita retirar muito as cutículas porque servem para proteger as unhas das infecções e se você as retira com frequência, elas ficarão cada vez mais grossas e duras, mas suas unhas cada vez mais fracas e doentes.

Tratamentos naturais para o crescimento das unhas

Além de mudar seus hábitos cotidianos, não hesita em provar quaisquer dos seguintes tratamentos naturais para que suas unhas cresçam muito mais rápido e também fiquem mais fortes e saudáveis.
  • Suco de pepino: passar o pepino pelo multiprocessador, sem retirar a casca, mas lavá-lo bastante antes. Submerja suas unhas nesta batida, por volta de 20 minutos. Repita uma vez por semana e em seguida notará a diferença. O mesmo pode ser feito com a polpa de aloe vera (babosa).
manos5

  • Cortar uma cebola e umedeça com seu suco as unhas. É um tratamento caseiro muito poderoso para que elas fiquem sempre fortes e saudáveis. Deixar o máximo que possa de molho, por exemplo, enquanto assiste à televisão. Algumas pessoas optam por colocar dentro de uma bolsa e fechar para deixar durante toda a noite, para que o efeito seja mais rápido.
  • Em uma xícara de água quente colocar duas colheres de azeite de oliva e submergir as mãos, deixando por 10 minutos. Não enxaguar, mas sim aproveitar para distribuir o óleo por toda sua mão, deixar que absorva e desfrute os benefícios da vitamina E.
  • O alho é um dos tratamento caseiros para as unhas mais famosos e potentes. Uma das maneiras mais simples de aplicá-lo é amassar dois dentes e colocar a pasta sobre as unhas por 10 minutos, fazendo esse tratamento por uma semana, todos os dias. Outra opção é passar diretamente o alho na unha ou também picá-lo bastante e colocá-lo dentro do esmalte de unhas (da base, por exemplo).
Imagens cortesia de Lelé Breveglieri, Courtney Rhodes, Romina Campos y Lydia Pintscher.

Fonte: Melhor com Saúde

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Dor na parte direita do abdômen, qual é a causa?

Provavelmente você já passou por essa situação: uma dor repentina no abdômen, uma dor aguda e incômoda. Em certas ocasiões está localizada no lado direito, logo nos provoca um pouco mais de medo e ansiedade, pois nos perguntamos qual pode ser a origem. Explicaremos a seguir as principais possíveis causas desta dor para que você fique atenta.

Causas da dor do lado direito do abdômen

Quase todas as pessoas sofreram com uma dor no abdômen alguma vez, seja com maior ou menor frequência. Porém, quando esta dor se centra em algum lugar em especial e se repete em várias ocasiões, já começamos a nos preocupar. Em especial, se a zona for a direita, já que é aí onde está situado o fígado e é uma parte que sempre gera mais temor. Mas antes de nada, fique tranquila, essa dor pode ser causada por vários fatores, não somente por causa do fígado. Veja a seguir os fatores que você precisa levar em consideração:

1. Gases

Gases-estomacales-500x325
Em certas ocasiões é a causa mais comum, e por isso te indicamos que antes de tudo mantenha a tranquilidade, pois podem ser simples gases. Quando fazemos mal a digestão ou inclusive estamos sofrendo uma época de constipação, tudo isto ocasiona um acúmulo de gases que incham o abdômen.  É comum apresentar dor em especial nessa zona debaixo das costelas, e que seja mais dolorosa no lado direito. Assim que primeiramente é bom identificar o tipo de dor: você se sente cheio? É uma dor que tende a aparecer depois das refeições e inclusive pelas manhãs? É frequente? Se você respondeu sim para a maioria destas questões, não se preocupe, o mais provável é que sejam gases.

2. Problemas no cólon

Colon-500x325
As doenças associadas ao intestino tendem a ser mais comuns na hora de falar de dor abdominal na zona direita. A primeira causa quase sempre são os gases. Se não são gases, então é provável que seja alguma inflamação do intestino. E quais tipos de doenças estão associadas com a inflamação dos intestinos? Desde a colite, passando pelo cólon irritável, até a doença mais séria que é a doença de Crohn. Todas afetam também a zona do cólon. Para que você possa diferenciá-las dos simples gases, é fundamental que você verifique a presença ou não de diarreia. Se você a tem, então deve se manter em alerta. Todas essas doenças desenvolvem dor abdominal e diarreia, e é comum que as pessoas apresentem também dor no quadrante superior direito abdominal. Porém, não fique muito alarmada, tenha em mente que tanto a doença de Crohn e a colite podem ser tratadas com medicamentos para ajudar a controlar os sintomas. O importante é que você procure um médico.

3. Rins

rins
Uma terceira causa da dor na parte direita do abdômen pode ser algum problema associado aos rins. Uma causa é, por exemplo, infecções dos rins ou cálculos renais. Com uma infecção nos rins, tendemos a sofrer uma dor abdominal severa e muito intensa, que se estende para as costas também. É muito significativo. Teremos também dor ao urinar, e a urina será turva. A febre também é habitual. Como você pode ver os sintomas são muito claros. Pode ser que nas primeiras fases sejam mais suaves, mas normalmente são sinais bastante claros que não podem ser confundidos, por exemplo, com simples gases. São doenças dolorosas, mas existe tratamento. Se você sofre de cálculos renais, os sintomas desaparecerão rapidamente uma vez que as pedras tenham sido eliminadas. 

4. Pâncreas

Pancreas
O pâncreas possui a forma de uma lágrima e está situado junto ao duodeno (a primeira seção do intestino delgado). Está, então, entre o estômago e a coluna vertebral, rodeado pelo fígado e pelos intestinos, centralizado mas com muita massa do lado esquerdo e, com isso, dizemos que ele encontra-se do lado esquerdo. Mas como uma parte esta centralizada, ou seja, muito perto do lado direito, daí que aparece como uma possibilidade a se levar em conta. As dores podem ocorrer em diferentes posições. É muito comum sentir a dor do lado esquerdo, mas podem ocorrer alguns casos em que a dor esta localizada na parte central, tendendo para o lado direito. Assim que, é possível que possamos estar sofrendo uma infecção no pâncreas. Os sintomas da infecção no pâncreas são similares aos das doenças na vesícula biliar.
Logo, podemos ter uma dor abdominal superior que vai para o estômago ou para as costas. Para que você possa diferenciar dos anteriores sintomas preste atenção em como você se sente depois de comer. Se apresentar vômitos ou enjoos, então é possível que você esteja sofrendo com uma pancreatite.

5. Úlceras

ulcera
Uma causa muito comum são as úlceras no estômago. Elas podem causar dor em qualquer parte do abdômen, isso é certo, mas as úlceras pépticas ou abdominais centram sua moléstia justamente no lado direito do abdômen. Fique atento. É uma dor que vem e vai, mas que se torna mais incômoda quando comemos alimentos picantes, por exemplo.
Esperamos ter esclarecido suas dúvidas com relação às causas da dor no lado direito do abdômen. Porém, tenha em mente que na maioria das vezes são simples gases. Se o incômodo é contínuo, agudo e te impede de seguir sua rotina normal, procure um médico imediatamente.

Fonte:  http://melhorcomsaude.com/dor-na-parte-direita-abdomen-qual-e-causa/

Cistos na mama podem virar um câncer?

Risco de tumor só aumenta se for um cisto com conteúdo sólido, que é um tipo mais raro


Antes de mais nada, vamos explicar o que é um cisto mamários e seus tipos. Bem, um cisto mamário corresponde a uma dilatação de um dos ductos mamários, ficando repleto de liquido na maioria dos casos - a este tipo conceituamos como cisto simples. O cisto simples é responsável pela maioria dos casos de cistos mamários e não tem relação com risco de câncer de mama.


Outros tipos de cistos são os cistos com conteúdo espesso e os cistos com conteúdo sólido. Os cistos espessos correspondem à dilatação ductal com material correspondendo a uma secreção espessa tipo "gelatina". Já os cistos com conteúdo sólido, estes sim, podem eventualmente oferecer algum risco para as pacientes. Normalmente estes cistos com conteúdo sólido terão o diagnóstico de papiloma intracístico ou de carcinoma papilífero - sendo o tratamento dessas lesões geralmente cirúrgico.


Essa diferenciação entre cisto simples, cisto espesso e cisto com conteúdo sólido é realizada por meio da avaliação por ultrassonografia mamária.

Quando um cisto na mama é preocupante

 

Do ponto de vista oncológico (risco de ser câncer) apenas os cistos com conteúdo sólido podem ser preocupantes. Os cistos simples não são preocupantes do ponto de vista oncológico, mas podem causar sintomas quando são muito grandes. Os cistos espessos se aproximam muito mais dos cistos simples neste aspecto de preocupação, sendo também pouco preocupantes.


Os cistos mamários em sua imensa maioria são os cistos simples, que por si só não aumentam o risco de câncer de mama. Dessa forma, uma mulher que tem cistos na mama não necessariamente está em maior risco de sofrer com um câncer de mama no futuro. É importante, no entanto, acompanhar os cistos que por ventura apareçam, para que eles não criem sintomas desconfortáveis, e prestar atenção ao tipo de cistos, avaliando se há ou não um risco.


Os cistos simples devem ser manejados de forma rotineira em relação à realização de mamografia e ultrassonografia mamária no que se refere ao rastreamento do câncer de mama, isto é, devem ser feitos anualmente. No entanto, podem necessitar de punção de agulha fina para evacuar o líquido quando são muito grandes e se tornam perceptíveis ou quando causam dor (também em função do grande volume).


Os cistos espessos necessitam de acompanhamento mais frequente. Isso quer dizer que a ultrassonografia mamária e a mamografia devem ser repetidas a cada seis meses ou com maior intervalo de tempo a depender da avaliação médica e do tempo de seguimento.


Já os cistos com conteúdo sólido podem ser avaliados através de punção de agulha fina ou biópsia de agulha grossa da parte sólida. No entanto, essas lesões podem necessitar de abordagem cirúrgica para a sua total remoção.