terça-feira, 30 de setembro de 2014

Dicas para acabar com a tosse seca

O sintoma é o mecanismo do corpo para limpar as vias aéreas, mas quando aparece traz desconforto e até atrapalha o sono. Saiba como driblar o mal-estar

Texto: Leonardo Lourenço / Ilustração: Isa Santos / Adaptação: Clara Ribeiro

A tosse seca é irritativa e causa desconforto e cansaço, pois força a musculatura do peito
Ilustração: Isa Santos



Basta uma mudança brusca de temperatura para ela chegar. Primeiro, a garganta fica seca. Depois, o nariz se manifesta. Até que... Cof, cof... a tosse aparece. Pode ser o primeiro sinal de um resfriado, o começo de uma gripe ou uma reação alérgica a fatores químicos e ambientais, como poeira, fumaça de cigarro ou o ar extremamente seco. A tosse é o principal mecanismo de defesa do sistema respiratório e não deve ser ignorada. Ela sinaliza que algo está errado com nossas vias aéreas. Pode ser aguda, quando for sintoma de uma reação alérgica, por exemplo, e durar até três semanas; ou crônica, quando persistir além desse tempo. “Na maioria das vezes, a tosse seca ocorre por gripes ou resfriados. Quando a tosse é crônica, pode indicar refluxo gastroesofágico, ou até mesmo asma”,alerta Alexandre Kawassaki, pneumologista do Hospital 9 de Julho (SP).


A tosse seca é irritativa e causa desconforto e cansaço, já que força a musculatura do peito. Crianças e idosos precisam de mais cuidados, pois o esforço excessivo em uma crise pode causar lesões e trazer complicações. Além de incômoda, ela ainda tira o sono. Tossir mais durante a noite é comum porque, quando estamos deitados, fica mais difícil para o organismo drenar as secreções das vias respiratórias, favorecendo seu acúmulo e desencadeando a tosse. Mas medidas simples podem ajudar a aliviar os desconfortos. Listamos algumas delas.


Aos primeiros sinais vá por aqui:
Quando combatida desde o início, a tosse seca tem menos chance de se tornar crônica ou se transformar em tosse produtiva, ou seja, aquela acompanhada de muco. Por isso, os primeiros cuidados são importantes e essenciais. A começar, faça da garrafinha d’água sua melhor amiga: além de aliviar o desconforto, a hidratação das vias respiratórias é o principal remédio para combater a tosse. Pastilhas à base de mel e própolis podem ser boas soluções se houver coceira na garganta. Comer uma maçã também pode trazer alívio, já que a fruta tem ação adstringente e atua na limpeza da garganta.


Se o incômodo é noturno...
... procure dormir com a cabeça elevada – use dois travesseiros ou coloque um calço na cama para que a cabeceira fique ligeiramente inclinada. Tomar um banho quente antes de dormir, aspirando bem o vapor d’água, é outra maneira de hidratar as vias respiratórias e acalmar a tosse.


Xaropes antitussígenos?
O uso deles, em geral, deve ser evitado nessa etapa. Já os chás de ervas podem ser grandes aliados para combater a tosse logo de cara. “Nesses casos, o chá deve ser preparado diretamente com a planta para o aproveitamento das suas propriedades terapêuticas. Chás de saquinho não auxiliam”, alerta a nutricionista Gisele Souza Lima (SP), que recomenda o chá de gengibre para ser tomado nesses casos. “O gengibre tem ação anti-inflamatória, ajuda na melhora do sistema imunológico e ameniza os sintomas de gripes e resfriados, bem como as tosses secas e carregadas”, ensina. Outras infusões, como a de guaco, eucalipto, camomila, menta, hortelã e limão são indicadas.


Após sete dias seguidos
Investigue em quais momentos ela aparece: se surge em um determinado cômodo da casa, pode ser sinal de uma reação alérgica. Atente aos possíveis gatilhos (poeira, mofo, ácaros, pólen, pelo de animais) e elimine-os do ambiente. Mantenha os espaços ventilados e faça uso de umidificadores e vaporizadores para aumentar a umidade do ar em locais fechados. Se não tiver aparelhos próprios, mantenha bacias de água ou panos molhados espalhados.


Aplicar soro fisiológico nas narinas também colabora para a hidratação das vias respiratórias e a eliminação de agentes que causem irritação. Ingira líquidos quentes, que trazem alívio imediato. Remédios caseiros são boas alternativas. Os mais indicados são o xarope de sabugueiro (combate gripes e resfriados), o de eucalipto (atua nas sinusites e doresde garganta) e o de guaco, que é expectorante e mais indicado no caso da tosse com muco.


Depois de seis semanas
Com os acessos frequentes de tosse, a garganta acaba ficando irritada. Tomar uma colher de chá de mel algumas vezes ao dia colabora com a garganta e ajuda a diminuir a incidência da tosse. Pastilhas a base de olmo ou mentol também são alternativas já que anestesiam a parte final da garganta, trazendo alívio. Fazer inalação com óleo essencial à base de eucalipto alivia o desconforto da tosse e favorece a respiração.


Alerta!
Os xaropes, industrializados ou caseiros, não devem ser tomados por mais de três semanas – seu uso pode mascarar problemas respiratórios mais graves e que exigem outro tipo de tratamento. Caso a tosse persista por mais de seis semanas ou outros sintomas apareçam (febre e falta de ar), é preciso ir ao médico. Ele indicará a terapia mais adequada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário