sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Cuidados ao dançar com salto alto

Para especialista, os saltos altos não dão sustentabilidade às pernas e podem causar o encurtamento dos músculos do calcanhar e da panturrilha. Saiba como evitar esses e outros problemas

Texto: Clara Ribeiro / Foto: Shutterstock

Ortopedista alerta sobre o uso constante de salto alto. Segundo ele, o acessório,
quando  usado diariamente pode causar danos aos pés e pernas. Entenda
Foto: Shutterstock


O amor feminino pelo calçado de salto alto está invadindo, além das festas, as academias de ginástica. Febre nas unidades de todo o país, o Stiletto está mexendo com a cabeça das mulheres que sonham dançar com a desenvoltura e sensualidade de divas, como: Beyoncé e as integrantes da Pussycat Dolls. O estilo mistura jazz, hip hop e música pop, todos dançados com salto alto. 


No entanto, ficar sobre os saltos, em pé e dançando por várias horas, explica o médico ortopedista Mauricio Mod, membro da SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia) e da SBJC (Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho), que atua nas clínicas Ápice, de Sorocaba (SP) e Centro Médico São José, de Cerquilho (SP), pode ocasionar, ao longo do tempo, danos em diversas partes do corpo. “Praticar exercícios físicos com calçados desapropriados, no caso os saltos altos, aumenta, consideravelmente, a pressão sobre os pés, joelhos e a coluna lombar. Com o tempo, esta sobrecarga pode acarretar em tendinites, principalmente, na região do tendão de Aquiles”, explica. 


Os saltos altos, ressalta o especialista, não dão sustentabilidade, deixando o centro de gravidade concentrado apenas na parte da frente dos pés e repassando todo o peso do corpo para os dedos. O correto, explica Maurício, é, durante as passadas, dividir o peso entre calcanhar e dedos. “O salto transfere até 90% da pressão da pisada para os dedos, podendo, com o tempo, causar joanetes”, fala. 


O uso constante do acessório ainda pode levar ao encurtamento dos músculos do calcanhar e da panturrilha, causados pela compressão dos músculos, deixando-os menos flexíveis. “Por isto que muitas mulheres reclamam que as pernas doem, quando estão sem salto alto”, frisa o médico. Mas, se o amor pelo salto alto faz a mulher deixar de lado todos esses riscos, o especialista recomenda não usar este tipo de calçado todos os dias, intercalando com outros modelos e praticando alongamentos. “Fazer exercícios físicos para fortalecer a região das pernas pode ajudar a minimizar os riscos do uso de salto alto”, finaliza Dr. Maurício.

Fonte: Revista viva saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário