sábado, 18 de outubro de 2014

Raspagem de pele para tratar o vitiligo

Técnica de raspagem da pele pode ser novo tratamento para o vitiligo, segundo pesquisa desenvolvida na Faculdade de Medicina da Fundação ABC

Texto Renata Armas/ Foto: Shutterstock/ Adaptação: Marília Alencar


                                               Vitiligo (Foto: Shutterstock)

Um tratamento inovador para o vitiligo foi sendo desenvolvido na Faculdade de Medicina da Fundação ABC (FMABC). A técnica consiste em sessões de raspagem da pele despigmentada, comum intervalo de 30 dias entre elas. Os dermatologistas verificaram que a pele volta a ter pigmentação. Segundo o professor da faculdade Jefferson Alfredo de Barros, que defendeu o método em sua tese de mestrado, a sucessão de raspagens estimula o aumento de melanócitos na região (as células responsáveis pela produção de melanina, que gera a pigmentação da pele). 


Dos 16 pacientes do Ambulatório de Vitiligo da FMABC que foram tratados, metade deles a pele voltou a ter pigmentação com apenas três raspagens. Nos outros, embora não fossem visíveis as mudanças, a biópsia apontou que o número de melanócitos aumentou. Essa é uma esperança para pacientes com vitiligo, que sofrem com tratamentos demorados, geralmente associados a medicamentos. Embora não cause danos à saúde, a doença tem forte impacto emocional e atinge entre 1% e 2% da população mundial.


Nenhum comentário:

Postar um comentário