sexta-feira, 31 de julho de 2015

Nova droga anticâncer pode levar à cura da Aids, diz estudo

Pesquisa revela os 'esconderijos' do HIV no organismo e abre portas para novos avanços




Quando uma pessoa é infectada pelo HIV, o tratamento para evitar que o sistema imunológico seja danificado é feito por meio de medicamentos antirretrovirais, que reduzem o vírus presente na corrente sanguínea, porém sem removê-lo definitivamente do organismo. Isso acontece porque o HIV, uma vez dentro do corpo, se esconde em locais que até hoje os cientistas ainda não conseguiram descobrir quais são. Agora, no entanto, um novo remédio contra o câncer parece ter descoberto finalmente onde estão esses ?esconderijos? do vírus causador da Aids

Segundo um estudo publicado na revista científica PLoS Pathogens, pesquisadores da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, estudaram o PEP005, que é um dos "ingredientes" usados no tratamento contra o câncer, em uma pele que foi danificada pela ação de raios solares. Em seguida, eles testaram a nova droga em células criadas em laboratório e em anticorpos extraídos de 13 pessoas que vivem com o HIV. 

Os resultados iniciais obtidos mostraram que este medicamento anticâncer seria capaz de reativar o HIV latente, possibilitando, assim, o desenvolvimento de técnicas capazes de eliminá-lo definitivamente do corpo humano. No entanto, ainda são necessários novos testes para saber se é seguro usar o novo remédio em pacientes soropositivos. 

Fonte: Minha Vida

A Lua azul de julho




Sexta feira, 31 de julho, último dia do mês e dia de Lua Cheia. A segunda Lua Cheia do mês, a tão falada Lua Azul. Não se trata da Super Lua, que vem a ser a Lua Cheia que ocorre quando ela está no ponto da órbita mais próximo da Terra, chamado de perigeu. Muito menos se trata da Lua de Sangue, que é quando a Lua fica com uma cor alaranjada ou avermelhada durante um eclipse lunar. Aliás, esse é um termo bem infeliz. 


A expressão “Lua Azul” tem sido usada há pelo menos 400 anos, mas não como sendo a segunda Lua Cheia do mês. Este significado nasceu de um erro ocorrido em 1946 e se tornou popular nos últimos 20 anos. 


Ao longo da história recente da humanidade, esse termo tem sido usado de diferentes formas. Olha só.

No século XVI dizer que a Lua era azul significava exprimir algum tipo de exagero. Dizia-se: “fulano é tão desligado que poderia falar que a Lua é azul!” Esse conceito levou a outra expressão que indicava uma probabilidade bem remota de algo acontecer. Por exemplo, no século XVIII, dizia-se: “eu pagarei minha dívida com você quando a Lua estiver azul!”

Apesar de parecer estranho, já houve algumas vezes em que a Lua se tornou azul de fato. Em 1883, quando o vulcão Krakatoa explodiu na Indonésia, a atmosfera ficou carregada por partículas de poeira e cinzas vulcânicas que fizeram o pôr do Sol ficar esverdeado e deixaram a Lua azul no mundo todo por quase dois anos! 

Sempre que há uma grande quantidade de poeira na atmosfera esse efeito se repete. Foi assim em 1927 na Índia, quando depois de uma enorme seca, uma tempestade levantou toneladas de poeira na atmosfera; ou em 1951 quando um enorme incêndio florestal no Canadá lançou uma enorme quantidade de cinzas que deixaram a Lua com aspecto azulado.

Em tempos mais modernos a expressão Lua azul se tornou um sinônimo de coisa rara, mas também de tristeza. Várias músicas usam esta expressão para associar tristeza e solidão, basta checar algumas músicas de Elvis Presley. 

Já no final dos anos 1980 nos EUA a expressão Lua azul se tornou moda. Foi uma febre que fez milhares de restaurantes e mostras de arte abrirem com este nome. Se você for do meu tempo vai se lembrar daquela série de TV com a Cybill Shepherd e o Bruce Willis em começo de carreira, que no Brasil se chamava “A Gata e o Rato”. Eles tinham uma agência de investigação particular que se chamava “Blue Moon” e o nome original da série era “Moonlighting”. Nessa época Lua azul também significava uma segunda Lua cheia em um mesmo mês. Mas nem sempre foi assim.

Esse é um daqueles casos em que uma definição nasce de um erro e, de tão popular, acaba se tornando a versão oficial. A definição de Lua azul apareceu em um livro chamado “Almanaque do Fazendeiro do Maine” nas edições dos anos entre 1819 e 1962 e em nenhum destes exemplares a definição é esta que conhecemos. 

A explicação que aparece neste almanaque é bem diferente e tem mais a ver com as estações do ano, do que com os meses. É assim:

“Em primeiro lugar considera-se o ano tropical, aquele que começa em um solstício de inverno (21 de dezembro para o Hemisfério Norte) e vai até o solstício de inverno seguinte. A maioria dos anos tropicais consegue conter 12 Luas cheias, três em cada estação do ano portanto. Cada uma delas tem um nome peculiar associado à época do ano, tipo “Lua da colheita”, “Lua do lobo” ou “Lua de neve”. Ocasionalmente, temos um ano tropical com 13 Luas cheias, o que significa que uma das estações do ano deverá ter quatro, ao invés de três. Considere esta estação com quatro Luas cheias, a terceira delas a ocorrer é chamada de Lua azul, conforme o almanaque.

Essa definição começou a mudar em julho de 1943 em uma coluna de perguntas e respostas da tradicional revista norte-americana de popularização de astronomia chamada Sky & Telescope. Laurence J. Lafleur citou o fato de ocasionalmente haver 13 Luas Cheias em um ano, mas não disse que se tratava de um ano tropical. Ainda assim ele não falou nada de duas Luas Cheias em um mesmo mês.

Mas a vaca foi para o brejo mesmo em março de 1946. Na página 3 da edição deste mês, James Pruett, um astrônomo amador que escrevia costumeiramente para a mesma revista, em um especial sobre meteoros, resolveu falar sobre Luas azuis. Ele repetiu uma conclusão do tal almanaque, que dizia que: “Em 19 anos, sete vezes aconteceu (e ainda acontece) de haver 13 Luas cheias em um ano. Isto dá 11 meses com uma Lua cheia e um mês com duas”. Mas concluiu erroneamente: “esta segunda Lua cheia do mês, assim eu interpreto, foi chamada de Lua azul.”

Talvez por ser mais fácil de se entender, a própria revista encampou esta nova definição e passou a tratar desta maneira em suas páginas. Na década de 1980 a onda se espalhou e agora não tem mais volta.

Isto não é uma coisa ruim de todo, quantas pessoas aí não acharam que o novo milênio começava em primeiro de janeiro de 2000? Este erro tem sim implicações mais profundas do que confundir uma Lua azul. Entretanto, uma diferença fundamental pode ser notada das definições. Pelo almanaque, uma Lua azul pode ocorrer em qualquer mês do ano, basta ser a terceira Lua cheia da estação. Já pela definição da revista, não é possível que ocorra uma Lua azul em fevereiro e os meses de 31 dias são os mais prováveis de ter uma. Isto porque o intervalo de tempo entre duas Luas cheias consecutivas (uma lunação) é de 29 dias e uns quebrados. Como fevereiro tem 29 dias redondos, mesmo assim apenas a cada 4 anos, não tem jeito de caber duas lunações.

A Lua não vai ficar azul, mas isso não é motivo para não sair de casa para admira-la. Uma Lua Cheia, em uma noite limpa faz bem de ver e, quem puder, de fotografar.

Crédito da imagem: Gregory Revera/ Wikipedia

Via: Gardênia Oliveira

Reação de um cérebro apaixonado

Especialistas explicam como o cérebro reage durante um relacionamento amoroso



                                            (Foto: Shutterstock)


Frio na barriga, ansiedade e felicidade sem-fim. estas são algumas das sensações que a paixão e o amor podem causar nas pessoas. Os neurocientistas, profissionais que estudam o sistema nervoso, afirmam que esses sentimentos constituem um processo complexo e ao mesmo tempo integral, pois envolve o ser humano no âmbito biológico, psicológico e também social. O que já se sabe é que pessoas amorosamente envolvidas têm menores chances de desenvolver doenças cardiovasculares, doenças crônicas como o diabetes e a hipertensão, além de serem mais longevos e terem melhor qualidade de vida.

A explicação para isso é simples: o amor é um dos maiores reguladores fisiológicos. Isso porque ele é capaz de controlar os níveis dos hormônios do estresse (adrenalina, noradrenalina e cortisol), deixar o sistema imunológico mais resistente, diminuir os índices de ansiedade e depressão e ainda despertar sensação de bem-estar e plenitude.

Reações específicas


Mulheres cheias de amor: o hormônio de maior influência é a ocitocina, relacionado ao prazer. Elas vivem as emoções de forma intensa, por questões fisiológicas.

Homens apaixonados: o hormônio mais evidente é a testosterona, relacionado ao prazer. Eles se tornam mais impulsivos e eufóricos.


O passo a passo do processo do enamoramento
ENCANTAMENTO: o hipotálamo libera dopamina que leva aos sentimentos de êxtase e emoção.


PENSO SÓ NISSO: como os níveis de dopamina aumentam, diminuem os níveis de serotonina, isso pode resultar em obsessão ou paixão.

PRECISO DISSO: junto à dopamina, o corpo produz uma substância chamada fator de crescimento neural, prevalente em pessoas recém-apaixonadas. Casais em um relacionamento de longo prazo têm baixos níveis dessa substância.

JUNTO E MISTURADO: a ocitocina e a vasopressina são responsáveis por sentimentos de ligação e compromisso. O hipotálamo produz esses dois hormônios. Eles são, em seguida, armazenados na glândula pituitária, que segrega hormônios no corpo. Em tempos de extrema paixão – como durante o orgasmo – esses hormônios entram na corrente sanguínea. A presença dos dois produtos químicos é muitas vezes atribuída ao sucesso de relações de longo prazo.

O AMOR É AZUL: esses hormônios afetam diferentes partes do cérebro. Com isso a pessoa sente menos estresse e medo e aumenta a sensação de unidade entre o casal.


Fonte: Revista Viva Saúde -Texto: Tayane Garcia e Cristina Almeida, colaborou Priscila Pegatin / por Marília Alencar


Exercícios de relaxamento para dormir profundamente

Ao nos deitarmos, além de desligar o celular e a televisão, devemos procurar deixar as preocupações fora do quarto.

Um dos problemas habituais na atualidade é a falta de horas de sono. Isso tem muitas razões e, por outro lado, várias consequências. É imprescindível descansar diariamente para poder recuperar forças, regenerar os tecidos e deixar de lado o estresse, entre outros benefícios. Se a isso somarmos o fato de que sempre estamos nervosos, com certeza vai ser bom para você ler o seguinte artigo, onde vai aprender exercícios de relaxamento para dormir profundamente.

O momento de dormir é sagrado

Talvez você já saiba que a mente é muito poderosa. Mas atenção, isso pode ser bom ou ruim. Podemos melhorar ou piorar a situação segundo como ou o que pensemos. No caso particular de dormir, não se trata simplesmente de apoiar a cabeça em um travesseiro e “esperar” o sono chegar, mas sim de relaxar de maneira tal que isso se torne uma sensação maravilhosa e prazerosa.
Existem muitas maneiras naturais para poder dormir bem e não ter que recorrer a comprimidos ou xaropes, e também deixar a televisão acesa, nem ler na cama. Esses hábitos são negativos para a saúde e, no caso dos fármacos, geram dependência.
Recomenda-se, por outro lado, não assistir filmes, séries ou programas de TV que mostrem violência, mortes, más notícias, nos façam chorar ou nos deem medo, já que o sistema nervoso central estará excitado e desequilibrado para o momento de dormir, sendo mais difícil que isso aconteça.
Nos tempos atuais é muito frequente ir com o celular para qualquer lugar, inclusive para a cama. Se um minuto antes de desligar a luz e fechar os olhos enviamos mensagens ou verificamos as redes sociais, será mais difícil que possamos conciliar o sono. Aconselha-se deixar o dispositivo o mais longe possível da cama pelas noites e desativar a internet.

Outro parágrafo à parte merecem os maus usos que fazemos do quarto. Isso não quer dizer que é ruim tomar o café da manhã na cama nos fins de semana, mas se deitar para trabalhar ou estudar, por exemplo. Por mais que você tenha muito sono, não queira “adiantar” para a prova ou a entrega do relatório que seu chefe pediu. A cama não deve ser usada para o trabalho ou para o estudo, lembre-se bem.
Por último, a alimentação, que está mais do que relacionada com a maneira de dormir e descansar. Se seu jantar foi abundante, cheia de frituras, gorduras e açúcares, se tiver bebido álcool ou café, então, possivelmente passem algumas horas antes que você possa descansar como deve ser. Além de jantar cedo e deixar passar duas horas até se deitar, é vital comer pouco, não repetir o prato e beber um chá de ervas, mais saudáveis que a cafeína. Prefira os alimentos crus e não muito elaborados. Ou coma pouca quantidade.

Exercício de relaxamento para poder dormir à noite toda

Aproveitar as horas de sono não é nenhuma moda, mas é uma necessidade. Carregue sua mente de pensamentos positivos e descanse de verdade, de forma profunda e completamente reparadora. Se dormir bem poderá deixar de lado o estresse, o cansaço excessivo, as dores musculares, as preocupações, a ansiedade e o nervosismo.

Como consigo? Com uma técnica de meditação que não falha e que, além dos benefícios citados antes, pode ajudar a combater ou tratar certas doenças se for praticada assiduamente. Depois de começar a experimentá-la, não vai se arrepender e vai continuar a fazê-la todos os dias.
Tenha em conta que no começo a mente vai rejeitar a prática e será um pouco difícil que se concentrar e relaxar, mas não force a situação, não se zangue nem desista. Se estiver acostumado a outras técnicas para dormir (como a televisão ou os fármacos), vai lhe custar ainda mais responder aos métodos naturais, mas não se renda, mais cedo ou mais tarde você vai conseguir.
Eduque a mente meditando, não só para dormir bem pelas noites, mas para alcançar tudo o que você tiver em mente. Siga estes passos:

Jante leve


Já falamos sobre as consequências de comer muito de noite. Se seu corpo estiver ocupado com a digestão, não poderá fazer mais nada. Se for se deitar justo nesse momento, vai se sentir muito pesado de manhã ou pode acordar na metade da noite. Faça como muitas pessoas, que antes de dormir, comem uma fruta ou bebem um chá com bolachas.

Faça uma massagem

Pressione as gemas dos seus dedos no couro cabeludo, desde a testa até a nuca. Existem alguns aparelhos que podem ajudar, ou, peça a um familiar que ajude você com as áreas mais difíceis. Isto deve levar uns cinco ou dez minutos e aí você já vai se sentir mais relaxado.

Ponha música calma

Se você viver na cidade, com certeza  que já estará acostumado aos ruídos. Mas isso não quer dizer que sejam bons para a sua saúde. Por uma música calma, instrumental, dessas que se usam nas aulas de meditação ou de ioga, de estilo hindu, budista ou China. Também pode ouvir música clássica. Existem também músicas que lembram certos sons da natureza, como o piar dos pássaros, a cascata de um rio ou a chuva batendo na janela. Experimente  algumas destas opções até encontrar a que mais o ajude a se relaxar!

Respire com consciência

A respiração é um ato muito maravilhoso e inconsciente. Antes de dormir, sente-se bem reto na beira da cama, com as costas retas e os ombros ligeiramente para trás. Respire fundo pelo nariz (pode fechar os olhos para se relaxar mais), devagar, três vezes. Com cada exalação imagine que está eliminando tensões, estresse e preocupações. Quando inalar, pense que entra no seu corpo uma luz suave e serena que ilumina e é saudável.

Mexa os pés e as mãos

Na mesma posição, comece a mexer os pés para cima e para baixo, para os lados, fazendo círculos com os tornozelos, etc. Faça o mesmo com as mãos e pulsos e vai ver os bons resultados que vai obter. Você irá deitar feliz e relaxado… E vai dormir como um anjinho.

Fonte: Melhor com Saúde

Sentindo-se pra baixo? Dê uma volta perto da natureza


Mais de 50% da população mundial vive em centros urbanos e esses locais estão associados ao aumento dos níveis de doenças mentais. Levando isso em conta, os cientistas da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, decidiram verificar se caminhar em meio à natureza influenciaria na ruminação (pensamento repetitivo focado em aspectos negativos), um conhecido fator de risco para essas condições. 


Para isso, analisaram dois grupos de voluntários que bateram perna por 90 minutos. Um, entre árvores e longe dos grandes centros, e o outro, perto do tráfego pesado. O resultado você já deve imaginar: em comparação àqueles que caminharam no ambiente urbano, os participantes que andaram na natureza mostraram níveis mais baixos de ruminação, além de redução da atividade neural em uma área do cérebro associada ao risco de desequilíbrios mentais. Esses resultados indicam que ter áreas mais arborizadas por perto pode ser vital para a saúde mental nesse mundo que se urbaniza cada vez mais rápido.

Fonte: Revista Saúde É Vital

Estudar música na adolescência deixa o cérebro mais potente



Foram 40 jovens americanos analisados durante três anos para chegar a essa conclusão. Os pesquisadores — que são da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos — dividiram os voluntários em dois grupos, sendo que um participou de aulas de músicas por duas a três horas por semana, enquanto o outro praticou atividade física. 

Em resumo, a primeira turma apresentou maior progresso em áreas do cérebro responsáveis pela audição e pela sensibilidade acústica, além de terem demonstrado facilidade em se comunicar. Os resultados mostram que o cérebro dos adolescentes continua receptivo ao treinamento musical (antes, acreditava-se que só a massa cinzenta de crianças seria muito sensível a ele). Está aí mais uma prova de como cantar e tocar instrumentos pode ajudar a turbinar o funcionamento da massa cinzenta.

Fonte: Revista Saúde É Vital

As várias fases da TPM

 Conhecer as mudanças do corpo feminino faz entender os altos e baixos mensais. Saiba quais são as fases da TPM
FASE 1: Mau humor e dores

 Menstruação: o primeiro dia do ciclo é quando a menstruação acontece. Estrógeno e a progesterona estão em baixa. “Como houve maior atuação da progesterona na segunda fase do ciclo, as pacientes apresentam certo desânimo. Algumas pacientes possuem sintomas extremamente desconfortáveis na menstruação, como cólicas e dor de cabeça, podendo piorar o humor”, explica o ginecologista Isaac Yadid, especialista em reprodução humana e membro da Federação Brasileirade Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo). É comum que nessa fase as mulheres apresentem a chamada enxaqueca cateminal, que começa dois dias antes da menstruação e pode durar o período todo. “A redução da serotonina, consequência da diminuição dos níveis de estrógeno, causa o aumento no organismo de uma substância chamada ‘substância P’ que atua como vasodilatadora. É essa vasodilatação a causa da enxaqueca”, diz a médica Andressa.

FASE 2: Está tudo bem
Fase Folicular: “logo após a menstruação, a mulher está na fase em que estão sendo secretados os estrogênios”, comenta a endocrinologista Amanda Athayde, diretora do Departamento de Endocrinologia Feminina e Andrologia da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM). Nessa fase há uma seleção dos folículos para que os óvulos possam ser secretados pelos ovários mais adiante no ciclo. Por ser uma fase regida pelos estrógenos, a mulher não apresenta alterações comportamentais. Este costuma ser o período em que as mulheres se sentem melhor e mais ativas.

FASE 3: linda demais!
Ovulação: o período fértil sempre ocorre 14 dias após o começo de ciclos normais. É a fase em que os folículos se rompem e os óvulos começam seu caminho pelas trompas, dos ovários até o útero. Nessa fase há um pico dos hormônios estrógenos e aumento da libido. As mulheres tendem a se sentir melhor com seu corpo: “isso ocorre porque não há retenção de líquidos nessa fase”, explica Andressa. Algumas mulheres podem sentir dor na ovulação. “Isso acontece no momento em que o folículo se rompe. Pode haver sangramento, que é imperceptível. Esse fenômeno pode se repetir durante alguns meses, ou acontecer apenas uma vez na vida”, diz o ginecologista Márcio Coslovsky, membro da American Society for Reproductive Medicine (ASRM).

FASE 4: mantenha distância
Fase Lútea: “Nesta fase, os restos do folículo, que liberou o óvulo, se transformam em corpo lúteo, com secreção hormonal própria”, ensina a endocrinologista Amanda Athayde. E a partir daí começam a aparecer os sintomas que denunciam que essa fase é a mais difícil do mês, aquela em que ocorre a tensão pré-menstrual. Essa fase é notadamente marcada por mudanças no humor e no corpo, que se dividem em cinco grupos distintos (veja a seguir).

Mau humor, irritação e depressão 
Alguns sintomas são mais comuns do que outros: “80% das mulheres podem começar a sentir mau humor, predominando irritação e depressão”, contabiliza Amanda. Isso ocorre devido à sensibilidade do organismo da mulher às mudanças hormonais, principalmente a redução da serotonina, que também ocorre nessa fase. A serotonina também afeta o apetite e, algumas mulheres, buscam comidas como conforto, como explica a endocrinologista Andressa Heimbecher. Mas não há como não sentir-se mau humorada, pois a retenção de líquidos é outro sintoma muito comum.
“O aumento da mama e o inchaço são as mudanças mais frequentes no corpo e podem se iniciar até uma semana antes de menstruar. Com o aumento da retenção de líquido, a mulher pode perceber o ganho de 1 a 2 kg”, descreve o ginecologista Coslovsky. Então, quando a menstruação chega, os estrógenos voltam a subir, o humor melhora, e começa tudo de novo.

Fonte:  Revista Viva Saúde - Texto Natasha Franco  / Foto: Shutterstock - por Marília Alencar

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Pessoas que utilizam “carinhas” nas redes sociais fazem mais sexo, diz pesquisa


Se você é solteiro e não usa muito os emojis para trocar mensagens, chegou o momento de repensar esse hábito. Pelo menos se quiser ter uma vida sexual mais ativa, digamos assim. Parece piada, não é? Mas segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos pelo site de relacionamentos match.com, as pessoas que usam as carinhas estão fazendo mais sexo do que aqueles que preferem se comunicar apenas com texto.

De acordo com os dados do estudo, 54% dos solteiros que usaram emoticons tiveram relações sexuais em 2014; e 64% dos homens e 46% das mulheres que usam os emojis regularmente fizeram sexo pelo menos uma vez por mês. Por outro lado, apenas 31% dos que não aderiram aos emoticons fazem sexo regularmente.

O uso das carinhas ajuda a revelar um pouco mais da personalidade e conveniência das pessoas, além de os pequenos desenhos serem um acessório para expressar melhor os sentimentos que as palavras não dão conta. Em entrevista à revista Times, Helen Fisher, responsável pela pesquisa, afirmou que as pessoas que usam com frequência as carinhas virtuais estão se beneficiando. “Eles (os usuários de emojis) fazem sexo mais vezes, vão a mais encontros e têm o dobro de chance de quererem se casar”, explicou a especialista.


Via: Blog da Lilinha

5 problemas que as bananas resolvem melhor que os comprimidos

As bananas são frutas tropicais que combinam energia, minerais e vitaminas, e são adequadas para todo tipo de dieta, incluindo as que têm como objetivo o emagrecimento. Esse alimento é um dos mais consumidos em todo o mundo, e também um dos mais saudáveis.


Muitas pessoas costumam evitar o consumo de banana, especialmente quando querem perder peso. Isso se deve à má fama que deram a esta fruta, considerada a segunda mais calórica depois do abacate. No entanto, uma banana contém somente 90 calorias para cada 100 gramas, portanto incluí-la em porções adequadas não irá alterar nenhuma dieta e nos beneficiará de várias formas diferentes.

Quais são as principais propriedades das bananas?

As bananas são fonte significativa de açúcares e diferentes minerais como o potássio, magnésio, ferro e betacaroteno. Também se destacam pela sua alta concentração de vitaminas, incluídas as do grupo B, ácido fólico, vitamina C, um pouco de vitamina E e fibras.
Além de tudo isso, as bananas também são ricas em hidratos de carbono, e por isso são uma das melhores fontes vegetais de energia para o nosso corpo. Graças a todas essas propriedades, elas são muito recomendadas no processo de nutrição de crianças.
Por serem ricas em potássio, as bananas também ajudam a eliminar o excesso de líquido no organismo, o que nos ajuda a manter o corpo equilibrado e tratar problemas como a hipertensão e a gota.

Pressão arterial alta




Quando uma pessoa consome sódio em excesso e precisa de potássio, é muito provável que comece a sofrer de hipertensão arterial. Por esse motivo, é muito importante oferecer potássio ao nosso sangue, e as bananas são uma fonte riquíssima desse mineral. O recomendado é comer uma banana todos os dias pela manhã. Com esse bom hábito, sua pressão arterial poderá se manter em um nível normal.

Depressão

Muitas pessoas que sofrem de depressão garantem se sentir melhor depois de comer uma banana. Estudos indicaram que isso se deve ao fato de a banana conter triptofano, um aminoácido essencial que deve estar presente em nossa dieta, pois o organismo não é capaz de sintetizá-lo por si próprio em quantidades adequadas. Ao entrar em nosso organismo, ele se converte em serotonina, conhecida como o hormônio da felicidade.
Basta comer uma banana para aproveitar esse benefício. Em questão de minutos nos sentiremos mais relaxados e com um estado de ânimo melhor.

Estresse



estresse é capaz de alterar nosso metabolismo e isso pode fazer com que os níveis de potássio tendam a diminuir. Para manter o equilíbrio, é ideal consumir bananas, que como já sabemos, são uma das melhores fontes de potássio que podemos encontrar. Os benefícios da banana irão mais além de nos proporcionar potássio, assim como no exemplo anterior, já que ela ajudará a nos sentirmos melhor e mais tranquilos.

Prisão de ventre

As bananas são um dos alimentos mais recomendados para ter uma melhor digestão. Por conter pectina, uma fibra dietética que acelera a digestão e nos ajuda a eliminar toxinas, a banana é ideal para combater a prisão de ventre e o trânsito intestinal lento. Além disso, por suas propriedades probióticas, a banana é ótima para o sistema digestivo, pois reduz os gases e alivia o inchaço e a distensão abdominal.

Síndrome pré-menstrual



Por serem ricas em vitamina B6, as bananas atuam proporcionando um efeito positivo no nível de açúcar do sangue. As vitaminas do grupo B também ajudam a diminuir alguns dos sintomas da síndrome pré-menstrual, que afeta milhões de mulheres.
O consumo diário de banana pode ajudar a reduzir as cólicas e dores no abdômen, assim como a retenção de líquidos que costuma ser mais frequente e intensa neste período. Além disso, seus benefícios também contribuem para melhorar o estado de ânimo e acalmar os nervos, que geralmente ficam mais tensos durante aqueles dias.

Fonte: Melhor com Saúde

Uso de salto alto na gravidez

De salto alto na gravidez! Ao escolher um calçado, a preocupação deve ser distribuir o peso sobre os pés, o conforto e a segurança

Texto Jorge Olavo / Foto: Reprodução / por Marília Alencar






Alguns centímetros a mais, corpo alongado, bumbum para cima, peitos para a frente. Para muitas mulheres, deixar de usar salto alto – e consequentemente “perder” todos esses atributos – está fora de cogitação. Mas,e como fica durante a gravidez? Você estaria disposta a trocar o salto agulha por tênis e sapatilhas? Calma, se você está habituada a andar nas alturas, a mudança não precisa ser radical, mas o uso do calçado deve estar entre os assuntos a serem debatidos com o seu obstetra. “Na verdade, esse assunto é bastante controverso. Alguns profissionais falam que é possível [usar salto alto na gravidez]. Outros não aconselham. Cada situação é única”, afirma o fisioterapeuta Roberto Quintana, especialista em reeducação postural global (RPG) e Pilates.

Mudança na postura
Além de comprometer o equilíbrio de qualquer pessoa, o uso de salto alto implica mudanças na postura. Aumenta-se a flexão e diminui-se a articulação dos tornozelos. A musculatura da panturrilha fica contraída e os joelhos também têm a articulação reduzida. O quadril é projetado para trás, oque força a mulher a inclinar a coluna paratrás para manter-se ereta. Por fim, o peso docorpo é concentrado na ponta dos pés. “E, na gravidez, a situação torna-se mais complexa, já que a mulher projeta ainda mais o abdome para a frente, o que pode causar mais dores”, completa Quintana.


Ponto de equilíbrio alterado
No decorrer da gestação, o ponto de equilíbrio do corpo da mulher se altera. Com o aumento do útero, o abdome faz um deslocamento do corpo para a frente. Para ficar em pé, a grávida projeta o corpo para trás, o que faz com que a curvatura da coluna fique extremamente acentuada, provocando uma hiperlordose lombar e maior pressão sobre as vértebras. “Até o sexto mês de gestação é possível usar o salto eventualmente, mas, no restante da gravidez, isso não deve ocorrer. Aumenta o risco de queda e o centro de gravidade muda completamente”, diz Quintana.


Quando usar salto?
Para o fisioterapeuta Regis Severo, o uso de salto alto depende do bom senso da gestante, que deve optar por um calçado que garanta conforto e segurança, e da orientação dada pelo médico que acompanhaa gravidez. “O uso do calçado não pode intensificar nem desencadear desconfortos”, afirma Severo. O especialista explica que o uso constante de salto alto diminui a atividade muscular e a circulação sanguínea das pernas, o que pode agravar o inchaço das mesmas e dos tornozelos, comum na gravidez. Quintana orienta evitar o uso do salto alto – durante a gravidez e em outras fases da vida.


Aí, você se pergunta: “E como eu vou trabalhar, sair à noite ou participar daquele evento social?”. “A mulher só deve usar o salto alto no momento em que realmente precisa usar. Até chegar ao local, deve ir de tênis”, responde o fisioterapeuta. O especialista lembra que o salto deve ter no máximo três centímetros de altura, conforme orientação da Sociedade Brasileira de Ortopedia (SBO).

Alternativas
Os calçados indicados pelos fisioterapeutas a serem usados pelas gestantes são aqueles que distribuem o peso de forma equânime sobre os pés e que garantem maior conforto e mais equilíbrio. Entram na lista tênis, sapatilhas, rasteirinhas e saltos do tipo anabela e plataforma. “A gestante pode alternar os tipos de calçados, mas o mais importante é que o peso do corpo seja distribuído sobre os pés”, afirma Severo.


Novo remédio para tratar a leucemia

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa, acaba de aprovar uma nova droga para compor o arsenal terapêutico contra a leucemia linfoide crônica, tipo de câncer que afeta as células brancas do sangue. Ainda não existiam alternativas eficazes para enfrentar a doença. O medicamento em questão é o ibrutinibe, dos laboratórios Janssen e Pharmacyclics.

 Os estudos com o fármaco trouxeram resultados animadores: cerca de 70% dos pacientes que não tiveram resposta ao tratamento padrão, feito por quimioterapia, apresentaram melhora com o ibrutinibe. Ele é administrado na forma de cápsula, tomada uma vez ao dia. As vantagens já garantiram sua liberação em mais de 49 países.

Fonte: Revista Saúde É Vital

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Mãe com câncer terminal deixa cartas com conselhos pra filha ler no futuro

O que uma mãe de uma pequena menina de apenas 4 anos faz ao descobrir que provavelmente não irá viver o suficiente para acompanhar as principais conquistas da vida da filha? 

Encontra uma maneira de se fazer presente, é claro! Pelo menos foi essa a ideia da americana Heather McManamy, de 35 anos, ao escrever diversas cartas para que a filha abrisse ao longo da vida.
Heather foi diagnosticada com um câncer de mama de nível quatro e, após os médicos indicarem que ela não sobreviveria para ver sua filha Brie entrar na escola, encontrou nas cartas uma maneira de se manter próxima da filha mesmo após sua partida. 

As diversas mensagens foram escritas para que a filha abrisse durante várias etapas da vida, como a queda de seu primeiro dente, o casamento, o nascimento do primeiro filho ou o trigésimo aniversário, por exemplo.
Além do gesto de amor, Heather também busca maneiras de fazer com que cada vez menos pessoas precisem passar pelo que ela está passando e, para isso, criou uma campanha para angariar fundos para pesquisas sobre o câncer de mama – e você pode fazer a sua doação


8
Fotos via
brian1
3
2
Fotos via.
cartas
filhamae
Fotos via.
hypeness
Via: http://josiel-dias.blogspot.com.br/

5 sintomas de uma doença da vesícula biliar




A vesícula biliar é um órgão muito pequeno. Muitas pessoas nem sabem que ela existe, mas é um elemento indispensável no nosso corpo: armazena a bílis e nos ajuda a fazer a digestão. Cabe destacar que costuma causar mais problemas nas mulheres, portanto vale a pena conhecer quais são os principais sintomas de uma doença na vesícula.



Qual a função da vesícula biliar?

  • Tem o formato de uma pera e é um órgão pequeno, situado na parte direita do nosso estômago, e bem debaixo do fígado. Trata-se de uma espécie de saco onde é armazenado a bílis que chega precisamente do fígado, além de ter um conduto que permite desembocá-lo no intestino delgado do trato digestivo.
  • Esta bílis que é armazenada pela vesícula é também indispensável para nos ajudar na digestão, atuando também como emulsificante de gorduras. Quer dizer, nos permite digeri-las e queimá-las.
  • É comum que as doenças deste órgão afete especialmente as mulheres que, por exemplo, tem algum problema de peso, ou que sofrem de alguma disfunção gastrointestinal, além de um nível alto de colesterol. Temos que levar isso em conta.
  • Outros aspectos que devem ser levados em conta são, obviamente, os cálculos biliares, principalmente doença da vesícula, além das infecções.

Sintomas de uma doença na vesícula biliar

1. Inchaços e gases

 

Como você já sabe a vesícula está associada a nossa digestão. Quando existe algum tipo de problema e não canaliza adequadamente a bílis, ou está inflamada, ou inclusive obstruída, é normal que comecemos a sentir que a nossa digestão é mais pesada, nos sentimos inchados e mais pesados.
São muito habituais os gases e os eructações contínuas. Para que seja verdadeiramente significativo, estes sintomas você deve tê-los com frequência todos os dias. É normal nos sentir mal um dia isolado, ou inclusive dois. Mas, quando passam de dez dias seguidos e você vê como o seu abdômen segue inchado e endurecido, vale a pena comentar com o seu médico.

2. Enjoo e tontura

 

Preste atenção em como você se sente no meio da tarde, especialmente como duas horas depois de ter almoçado ou ter comido a refeição principal do dia. É o momento no qual a nossa digestão deve ter finalizado. Se você notar uma certa fraqueza, com enjoos e tontura, então o melhor é que se sente e coloque a mão no seu abdômen. Está duro? Arrota com facilidade?
Se além da má digestão você reparar que todos os dias sente tonturas e enjoos provavelmente há um problema na vesícula.

3. Dores pontuais nas costas, abdômen e no braço direito

 É muito característico. Uma sensação de peso no abdômen, e uma dor que se estende tanto da parte direita das costas como no braço de esse mesmo lado. Temos que lembrar que a vesícula está situada no lado direito do abdômen e ao lado do fígado. Se se inflama, toda essa região será afetada, e a dor é muito particular. É preciso levar em conta que às vezes, por exemplo, a dor pode começar de repente e na forma de ataque como se fosse, por exemplo, um cálculo biliar. Uma dor intensa que pode durar 15 minutos, e em seguida desaparecer e voltar a aparecer, uma situação que pode se estender por até 15 horas. A dor pode piorar com a respiração.

 

Se a nossa doença biliar estiver muito avançada, e temos vários cálculos, a dor pode ser verdadeiramente severa, afetando inclusive nossas omoplatas.

4. Preste atenção na sua urina

 

Nós sabemos, não é nada agradável prestar atenção a nossas intimidades quando estamos no banheiro, mas garantimos que é imprescindível observar a tonalidade da urina para advertir possíveis doenças. No caso que a urina esteja muito branca, e que as fezes sejam muito cinzentas, sem muita cor e um pouco soltas, então isso está associado a um problema da vesícula biliar, devido exatamente a um baixo nível da bílis.
É normal que as pessoas com problemas na vesícula, sofram de numerosos episódios de diarreia. Devemos levar isso em conta.

5. Mau hálito e febre

  Se você notar que tem começado a sentir um mal-estar na boca, um sabor estranho e um hálito desagradável, do qual você não consegue se livrar, anote quando tempo dura. Foi somente um dia ou dois? Então não tem problema. Mas se são já 10 dias, então fale com o seu médico, especialmente quando você se levanta de manhã, e nota que tem um pouco de febre. A febre se costuma ter de manhã e ao final da tarde.

6. Icterícia

 Você tem notado que talvez o tom da sua pele tem estado um pouco amarelado ou que os seus olhos adquiriram de repente essa tonalidade? Então, não hesite e procure o médico. Isso é icterícia, e se deve basicamente a que alguns cálculos biliares bloqueiam o conduto biliar, causando que a bílis volte ao fígado, e assim à corrente sanguínea. É um assunto sério e temos que levar em conta pela a nossa saúde. Não se descuide!

 

Fonte: Melhor com Saúde