quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Autoestima faz bem à saúde

A falta de amor próprio pode ser o estopim para dores crônicas, doenças relacionadas à obesidade e também ao alcoolismo

Texto Leonardo Valle / Fotos : Shutterstock / por Marília Alencar


A autoestima se tornou uma palavra bastante popular nos últimos tempos, sendo resgatadas em novelas, programas de televisão ou discussões entre amigos quando o assunto é alguma pessoa que não está bem consigo ou com o seu corpo. Mas, afinal, o que é esta tal de autoestima? Autor da “Escala da Autoestima” na década de 1960 – instrumento utilizado até hoje, com adaptações – o psicólogo Morris Rosenberg a entendia como um conjunto de sentimentos do indivíduo sobre seu valor, competência e adequação. Já para o psicólogo psicodramatista Norival Alberguia Cepeda (SP), falar de autoestima também é falar de autoaceitação. “A baixa autoestima ocorre quando a pessoa não aceita partes dela. Partes das quais ela não gosta, não confia ou que não estão em harmonia”, destaca.


A construção da autoestima é um processo complexo e que ocorre ao longo da vida. Conforme crescemos, vamos aprendendo uma porção de coisas com os adultos ao nosso redor. Com isso, internalizamos conceitos de certo e errado, bom e ruim ou de como as coisas funcionam– que passam a servir de referência para o modo como nos colocamos no mundo.“Em outras palavras, a autoestima está ligada às crenças aprendidas a respeito de si própria”, resume o psicólogo. “A partepositiva é que essas crenças não são cristalizadas e podem ser renovadas”, garante.


Somatização
Segundo estudos de Susan Harter, na década de 1980, pessoas com falta de autoestima estariam mais propensas a transtornos fisiológicos, como disfunção temporomandibular, dor lombar, gastrite, e dor de cabeça. O fato é que não se pode afirmar categoricamente que a baixa autoestima era realmente a causa original de todos estes problemas. Contudo, sabemos que nossos conteúdos internos, quando em desarmonia, podem se manifestar externamente como doenças. É a chamada psicossomatização. “Apesar de dividirmos mente e corpo, não há essa divisão”, explica Walter José Martins Migliorini, psicanalista e professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp). A psicossomatização tem origem em episódios da trajetória devida da pessoa e pode se manifestar de diversas maneiras. “Quanto mais cedo a criança passar por uma vivência traumática, maior é a chance de que ela manifeste seu sofrimento por meio de sintomas corporais, já que um bebê não tem ainda domínio da linguagem falada”, ensina Migliorini.


Perfil somatizador
Há ainda pessoas que têm um perfil considerado somatizador, ou seja, acabam expressando no corpo suas angústias e sofrimentos com frequência. “Esse é o caso daquelas pessoas que vomitam quando estão em alguma situação desconfortável”, exemplifica.


Depressão e dor
 Além dos problemas fisiológicos, Susan Harter também identificou uma forte relação da baixa autoestima com a propensão a problemas psiquiátricos, como ansiedade e depressão. E a própria depressão – quem diria? – conta pontos contra a saúde física. Segundo uma pesquisa publicada no respeitado New England Journal of Medicine com 1146 pacientes depressivos, 69% deles relatavam apresentar problemas físicos sem explicação. A maioria das queixas estavam relacionadas à dor crônica. A autoestima também é considerada a vilã no caso de adolescentes e jovens que sofrem de transtornos de imagem. No estudo “Perfil psicológico de pacientes com anorexia e bulimia nervosa”, a psicóloga Érika Arantes de Oliveira (SP) relatou que pacientes anoréxicos apresentavam baixa autoestima, enquanto os bulímicos demonstravam autoestima flutuante.



Alerta para a obesidade
Autoestima, depressão e obesidade são outra trinca bastante comum nos dias de hoje. A coach Margarida Ranauro conta que sofreu com baixa autoestima por anos, que refletia na forma como cuidava da alimentação. O resultado foi o aumento de 30 quilos na balança. “A baixa autoestima é geralmente seguida por uma autossabotagem, que se manifesta na falta de tempo para se alimentar saudavelmente. Busca-se uma fuga, uma compensação externa, algo que dê uma falsa e ilusória sensação de prazer”, descreve. “No meu caso, isso se deu pela falta de atividade física e do consumo excessivo de chocolates e de refrigerante. Isso gerou um danoso estilo de viver que afetou sistemicamente a minha saúde e qualidade de vida como um todo”, relata.

A obesidade, para quem não sabe, é um passinho para alterações metabólicas como aumento dos níveis de colesterol do sangue, intolerância à glicose ou diabetes e hipertensão arterial. “Por esse motivo aaferição da circunferência abdominal em conjunto com o cálculo do índice de massa corporal são considerados fortes indicadores para o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e diabetes”, relata a pesquisadora Érika (SP).



O problema do alcoolismo
Em pesquisa publicada em 2014, o doutor em psicologia social Nilson Soares Formiga aplicou o teste da autoestima desenvolvido por Rosenberg em 213 pessoas. Resultado: quanto maior o transtorno no uso do álcool, mais baixa era a autoestima. “A baixa autoestima faz com que a pessoa tenha sentimento de incapacidade para se defrontar com os desafios do cotidiano. Em muitos casos, buscam as bebidas alcoólicas como fuga dos problemas”, defende o psicanalista Velasco.

Bola de neve
Por sua vez, a saúde da pessoa que abusa sistematicamente do álcool está em risco. Nesse caso, é maior probabilidade de desenvolvimento da cirrose hepática (destruição das células do fígado) e da pancreatite crônica (inflamação progressiva do pâncreas).

Descubra como proteger o coração

Ele é o responsável por manter o corpo em pleno funcionamento e, não por acaso, as complicações cardíacas são as principais causas de morte. Felizmente, com mudanças de hábitos simples, é possível dar ao seu coração todos os cuidados que ele merece


Não exagere na comida

 Além de escolher bem o tipo de alimento que vai à sua mesa, é preciso acertar na quantidade na hora de fazer o prato. O excesso de calorias leva ao sobrepeso, à obesidade e a uma série de doenças crônicas, como a pressão alta e o diabetes, que fazem o risco cardiovascular disparar. Assim, é preciso garantir que estamos comendo exatamente o que o corpo precisa para funcionar. Nem mais, nem menos. Nesse sentido, contar com uma consultoria nutricional será um diferencial. Porém, uma regra prática pode ajudar. “Para determinar a quantidade ideal de carne vermelha, consuma o equivalente ao tamanho da palma da sua mão. O filé de peixe ou de frango pode ocupar a mão inteira. Depois, basta adicionar 4 col. (sopa) de arroz ou massa, 1 concha de leguminosas como o feijão e a lentilha e salada à vontade”, indica a nutricionista da Sabor Integral Consultoria em Nutrição Paula Fernandes Castilho. 


Mantenha a pressão sob controle

A hipertensão aumenta a prevalência de AVC em 40% e de infartos em pelo menos 25%. Portanto, manter os níveis da pressão arterial abaixo de 14 por 9 contribui para evitar o desenvolvimento de lesões no coração e também em outros órgãos, como o cérebro, o rim e a retina. Mudanças nos hábitos de vida muitas vezes são suficientes para ajudar a controlar a pressão, como tirar o sal da comida. Em geral, o brasileiro consome o dobro da quantidade recomendada, que é de seis gramas ao dia. No entanto, em casos específicos, é preciso recorrer à medicação. Daí a importância de se consultar o médico e fazer o acompanhamento regularmente.



Consuma mais peixes

Os peixes de água fria são ótimas fontes de ômega-3, gordura saudável que tem ação comprovada sobre a saúde do coração, já que contribui para reduzir os níveis de triglicerídeos e colesterol no sangue. “A consequência direta é o aumento da fluidez sanguínea e a redução da pressão arterial”, diz Patrícia Bertolucci, nutricionista da PB Consultoria em Nutrição. Os peixes mais indicados e fáceis de serem encontrados por aqui são a cavala, a sardinha, o salmão, o arenque e o atum. Eles devem ser consumidos no mínimo duas vezes na semana, cozidos, grelhados ou assados.


Escolha melhor quando for comer em restaurantes

Mesmo comendo fora, dá muito bem para manter a linha e poupar o seu coração. Uma das orientações dos especialistas é dar preferência às carnes magras, como o filé-mignon, o peito de frango e os filés de peixes. Também vale escolher preparações cozidas ou assadas e temperadas com ervas e que, em geral, possuem menos sal e mais propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. “Na hora da sobremesa, escolha as preparadas com frutas, que contêm menos açúcar e são mais saudáveis”, aconselha Paula.



Turbine a fruteira

As verduras e frutas de cores variadas são alimentos ricos em antioxidantes, substâncias que previnem a formação de placas nos vasos sanguíneos. “A cenoura, o tomate, a laranja, a uva roxa e as frutas vermelhas são ingredientes que não podem faltar no prato de quem se preocupa com a saúde do coração”, garante a nutricionista Patrícia. O ideal é que tanto os vegetais quanto as frutas sejam consumidos diariamente, os primeiros nas duas refeições principais e as frutas no café da manhã e nos lanches.


Aumente o feijão, diminua a batata

O consumo de leguminosas, como o feijão, diminui o risco de problemas de pressão, reduz o colesterol total e o LDL, o chamado colesterol ruim. O grão é rico em fibras, em aminoácidos essenciais que não são sintetizados pelo organismo humano e em substâncias antioxidantes, que contribuem para melhorar a absorção de minerais e eletrólitos imprescindíveis para o controle da pressão arterial. O feijão pode ser consumido diariamente no almoço e no jantar. Uma concha do alimento em cada refeição é suficiente para trazer os benefícios apontados. A batata, por outro lado, é rica em carboidratos que apresentam alto índice glicêmico e, por isso, ao ser digerida, aumenta significativamente os níveis de insulina no organismo. “A alimentação rica em carboidratos, com o passar do tempo, pode levar o indivíduo a desenvolver resistência à insulina, diabetes e até mesmo obesidade”, explica Patrícia. Com tudo isso, o risco de o coração falhar aumenta muito.


Petisque a seu favor

Na hora do happy hour, não é preciso se sacrificar e tirar tudo o que gosta do cardápio. Mas também não dá para exagerar. Assim, antes de sair para uma comemoração desse tipo, a dica é fazer uma boa refeição. Daí, fica mais fácil se controlar com os petiscos e as bebidas. Outro truque que funciona é alternar o consumo de bebidas alcoólicas com as não alcoólicas. E, mesmo assim, dê preferência ao vinho que, de acordo com a nutricionista Paula Fernandes Castilho, é rico em resveratrol, substância benéfica para o coração. “Para quem não bebe, vale substituir o refrigerante por um suco natural”, aconselha Alessandra Almeida, nutricionista da clínica Andrea Santa Rosa. No mais, evite frituras e embutidos e aposte em combinações que levam mozarela de búfala, peito de peru e em torradas com patês de berinjela e abobrinha, que são mais saudáveis.


Mexa-se cada vez mais

Quem leva uma vida sedentária tem uma condição física pior e, consequentemente, o desempenho do coração de quem não pratica esportes também não é aquelas coisas. A falta de exercícios ainda contribui para a elevação da pressão arterial e para o acúmulo de gordura subcutânea, favorecendo a obesidade, o surgimento do diabetes, o aumento do colesterol e dos triglicerídeos no sangue. Para se prevenir, vale caminhar, correr, pedalar e nadar. As atividades aeróbicas são as responsáveis por aumentar a resistência e a capacidade cardiovascular. Para começar, passeie  mais com o cachorro ou deixe o carro na garagem quando for fazer percursos curtos. Com o tempo, vá tornando esses passeios mais longos e frequentes. “O ideal mesmo é se exercitar cinco vezes por semana, por 60 minutos”, indica o cardiologista Márcio Kalil.


Texto: Rita Trevisan e Louise Vernier/ Ilustrações: Angelo Shuman/ Adaptação: Letícia Maciel 
Revista VivaSaúde Edição 113

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

8 objetos que não deveriam ser jogados fora. Você pode utilizá-los para outras coisas!

Estamos vivendo numa época de muito consumismo, em que as pessoas compram mais do que precisam e terminam produzindo uma quantidade de lixo jamais vista na história da humanidade.





Você já parou para pensar qual é o resultado de todo esse lixo? A maior parte dele não é absorvida pelo planeta e se acumula, contaminando solo, água e ar. Apenas para ter uma ideia, peças de tecido e roupas descartadas, mesmo as de algodão, podem levar até 200 anos para serem biodegradadas.


Diante desse quadro, vemos que cada vez mais as pessoas estão adotando o consumo consciente, evitando modismos e “surtos consumistas”, que costumam terminar em objetos que não deveriam ser jogados fora.


8 objetos que podem ser reaproveitados facilmente

Além de consumir de maneira consciente, muitas pessoas estão se tornando adeptas da reciclagem. Na internet, vemos vários sites que vendem roupas e artigos de segunda mão em bom estado para que outros possam reaproveitar as peças. Além disso, você mesmo, em casa, pode reaproveitar alguns objetos, úteis demais para serem jogados fora. Confira:

1. Garrafas de plástico

 

Você compra muitas garrafas de água? Que tal reaproveitá-las como:

— Flores decorativas. Pouca gente sabe, mas na cidade de Gramado, no sul do Brasil, as escolas recolhem garrafas plásticas o ano inteiro para fazer a decoração de sua famosa festa de Natal. Quem já foi visitar a cidade entre novembro e janeiro sabe o quanto os arranjos ficam lindos. Você pode fazer o mesmo em casa, com poucos itens.

— Pequenos vasos. Outra opção é usar as garrafas como vasos. Faça pequenos furos no fundo, para a drenagem da água, e uma abertura grande na parte superior da garrafa. Coloque uma camada de areia grossa e outra de terra fértil, e então plante flores, ervas ou outras plantas de pequeno porte.

2. Calças jeans

 

Cada um de nós tem pelo menos dois ou três pares de calças jeans, não é mesmo? E quando eles saem de moda, desbotam, ficam gastos, ou apenas quando enjoamos deles, tendem a ser jogados fora. Mas não precisa ser assim. Aproveite antigos jeans para:

— Fazer shorts. Basta cortar as pernas e fazer a bainha. Você pode decorar os shorts da maneira que quiser.

— Fazer bolsas. Use a parte superior para fazer uma bolsa, ou as pernas para fazer porta-moedas e porta-celulares. Há muito tecido disponível em uma calça jeans, por isso, sua criatividade é o limite para o número de peças.

— Faça um organizador de objetos que pode ser pendurado atrás da porta, usando partes de jeans antigos, como os bolsos, assim como aparece na foto que abre este artigo.

3. Ralador de cozinha

Com o tempo de uso, os raladores de cozinha perdem a capacidade de ralar, pois ficam “cegos”. Também podem entortar, mudar de cor ou sofrer outros danos. Se isso acontecer, você pode aproveitá-los para:

— Fazer belas luminárias de jardim. A luz será difundida pelos furinhos do ralados, dando um efeito muito bonito. Mas o metal esquenta com a luminosidade, por isso, o melhor é que fiquem pendurados, a diferentes alturas, ou com algum tipo de proteção.

— Fazer um porta-joias: seus brincos podem ser organizados facilmente, como mostrado na foto acima.

4. Latas de atum

 

 

O atum em conserva se tornou bastante consumido, por ser uma carne magra e saudável, rica em ômega 3 e outros nutrientes. Por isso, aumentou seu consumo e, com isso, a quantidade de latinhas jogadas fora. Podem ser aproveitadas para:

— Fazer vasos. Lave bem a lata, use um martelo para aparar as bordas cortantes, enxugue e circule o objeto com pregadores de roupa de madeira. Assim, poderá ser usado como um pequeno vaso, um porta-velas ou outra decoração.

5. Caixas de papelão

 

Com criatividade, tesoura e cola, uma caixa de papelão pode ser transformada em:

— Outras caixas. Você pode fazer caixas menores para presentes ou para guardar outros objetos.

— Porta-livros ou porta-retratos.
— Diferentes tipos de arquivos.


6. Lâmpadas queimadas

 

Retire a parte superior da lâmpada, remova os fios de seu interior, coloque água dentro e use como vasos para flores. Para mantê-las sobre a mesa, use um suporte de arame. Se preferir, pode usar um corante na água, como se vê na foto.

7. Garrafas de vidro

 

O vinho se tornou uma bebida bastante consumida no Brasil, e as garrafas geralmente têm um design bonito. Você pode usá-las para fazer luminárias ou como castiçais de mesa. Mas é preciso certa habilidade para cortar e manusear o vidro sem se machucar.

8. Caixa de ovos

 Excelentes organizadores, as caixas de ovos não precisam de muito trabalho para serem reaproveitadas. Podem ser usadas para guardar botões, carreteis de linha e outros pequenos objetos. Quem tem habilidades manuais pode utilizar as caixas para fazer projetos de artesanato com as crianças, desenvolvendo seu talento artístico. Pode ser bem divertido! Além disso, os pequenos poderão aprender sobre o valor da reciclagem e sobre a importância de ser consciente em relação ao lixo que produzimos.

Fonte: Melhor com Saúde

Acabe com 11 mitos que chateiam a gravidez

Desbanque mitos sobre sexo, banho de sol e alimentação adequada


Durante gestação, a mulher tem inúmeras mudanças de hábitos. Algumas realmente são necessárias para garantir a sua saúde e a do bebê, mas outras podem ser nada mais do que mitos. "A condição de uma mulher grávida é tão delicada e única que uma série de mitos sobre o que ela pode ou não fazer foi criada pelas pessoas. Tudo isso pode confundir a gestante, tornando esse período menos agradável do que deveria ser", diz a coordenadora do setor de Ultrassonografia Viviane Lopes, do Laboratório Femme, especializado em saúde da mulher. Esclareça 11 dúvidas do que pode ou não ser feito durante a gravidez.


Até que mês a gestante pode fazer sexo?

A relação sexual com o parceiro é permitida durante todos os meses, já que a saúde do bebê não é prejudicada durante a relação sexual. "O sexo é permito durante toda a gravidez, a não ser que existam intercorrências como sangramento e contrações", explica Viviane Lopes, do Laboratório Femme, especializado em saúde da mulher.

Muitas mulheres ficam preocupadas com a possível perda de desejo sexual durante esse período, mas pesquisas mostram que esses casos são minoria. Segundo um estudo feito pelo Hospital de Santa Maria, em Portugal, 89% das mulheres não sentiram diferença no desejo sexual durante a gravidez. 


Gestantes podem tomar banho de sol?

A vitamina D, que é absorvida pelas células quando a pele entra em contato com os raios solares, é essencial para a saúde tanto da mulher quanto do bebê. Por isso, a grávida precisa, sim, tomar sol regularmente.

No entanto, como a pele da gestante tem risco maior de ficar com manchas devido a mudanças hormonais, é preciso evitar o sol das 10 até às 16 horas e sempre usar protetor solar com fator de proteção maior do que 30. 


Grávidas podem dirigir sozinhas?

 A rotina de uma gestante deve mudar o mínimo possível. No entanto, após a trigésima segunda semana, é melhor não correr riscos. A partir daí, o bebê começa a se mexer mais, podendo distrair a mulher. Além disso, os reflexos ficam mais lentos. "Essa restrição varia de acordo com o cotidiano e a saúde emocional e física da mulher. Nessa etapa da gravidez, é preciso tomar mais cuidados", Viviane Lopes.

Diminuir o estresse, que normalmente acompanha o trânsito das grandes cidades, é importante, principalmente, nos meses finais da gestação. Por isso, andar mais no banco do passageiro ou preferir táxi são boas opções nessa etapa final. 



Parar de fazer atividades físicas

As gestantes devem, sim, continuar a fazer exercícios durante a gravidez, já que o sedentarismo nesse período pode apresentar riscos para a mulher e a criança. O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas (AAOC) recomenda atividades moderadas todos os dias da semana, independente da fase da gestação.

"Ao montarmos um programa de exercícios, temos que observar alguns fatores como, por exemplo, se a gestante já fazia algum tipo de atividade física anteriormente. Por isso, o acompanhamento de um profissional capacitado é muito importante", explica o especialista do Minha Vida Alexandre Alvez, diretor do Centro Atividade Física para Gestantes. 


Elas podem fazer depilação com cera?

A depilação com cera quente ou feita com lâmina pode ser feita sem restrições. No entanto, a chamada depilação definitiva, ou depilação a laser, não é recomendada em nenhuma parte do corpo, já que nunca foram feitos testes para saber qual é o efeito do laser no bebê. 


Elas podem pintar o cabelo?

Durante as primeiras 16 semanas de gravidez, é aconselhável não usar tinturas para cabelo. Esse cuidado deve ser tomado porque o couro cabeludo é uma região bastante vascularizada, o que facilita a entrada da química da tintura na corrente sanguínea. "Substâncias como amônia, benzeno e iodo podem ter efeito tóxico para o bebê, aumentando as chances de má-formação e danos fetais", explica a especialista Viviane Lopes. 


As gestantes podem pintar as unhas?

Ao contrário do que acontece com a tintura de cabelo, a química do esmalte e da acetona não causa nenhum problema ao bebê. "A química utilizada nesses produtos é fraca e não há restrições para pintar as unhas durante toda a gestação", explica Viviane Lopes. 


Até que ponto o consumo de bebidas alcoólicas é seguro?

De acordo com a especialista, beber qualquer quantidade de álcool é desaconselhável durante a gestação. "É muito importante que a mulher corte o consumo de bebida alcoólica de sua rotina, já que pesquisas mostram que até o consumo apenas social de álcool pode levar à Síndrome Alcoólica Fetal", alerta Viviane Lopes, do Laboratório Femme, especializado em saúde da mulher. A Síndrome Alcoólica Fetal é caracterizada pela má-formação do feto causada pela ingestão de álcool pela mãe. 


É preciso evitar algum produto de limpeza?

É bom tomar cuidado com alguns produtos de limpeza, principalmente aqueles que contenham amônia ou os seus derivados, já que essas substâncias podem trazer malefícios ao bebê. "Mesmo que sejam encontrados em quantidades pequenas, esses produtos podem causar náusea na mãe e má formação no feto", diz a especialista Viviane Lopes.  


Gestante precisa comer por dois?

A alimentação na gravidez está cercada de mitos. Falar que a grávida precisa comer por dois é um deles. Assim como quando a mulher não está grávida, o importante é ter um prato variado e colorido, que contenha vegetais, frutas, legumes, carboidratos, proteínas e gorduras, além de muita água.

Para garantir disposição o dia todo e ajudar a combater problemas como náuseas, cansaço e azia, as refeições devem ser divididas entre três principais: café da manhã, almoço e jantar. As gestantes também devem se alimentar de três em três horas. Para isso, o melhor é realizar lanches saudáveis (frutas, iogurtes, cereais) entre as refeições. 


Pode comer comida japonesa?

 Na verdade, o que não deve ser ingerido é qualquer tipo de carne crua, já que, nesse estado, ela possui maior chance de conter bactérias e outros organismos que podem fazer mal para a mãe e o bebê

Fonte: Minha Vida - POR FERNANDO MENEZES

domingo, 27 de setembro de 2015

Abandone 10 hábitos que envelhecem a sua pele

Cigarro, estresse, poluição e açúcar favorecem rugas e flacidez

 

 Não tem mulher que não se preocupe com a aparência da pele. Com o passar do tempo, linhas de expressão, flacidez, rugas e falta de luminosidade passam a incomodar. Mas nem adianta gastar os tubos, literalmente, no mais revolucionário dos tratamentos estéticos ou no creme mais caro do mercado. Tudo isso perde força se você abre espaço para verdadeiros inimigos da saúde da sua pele. Cigarro, estresse e açúcar demais são alguns deles. A seguir, você confere quais são os outros maus hábitos que favorecem o envelhecimento precoce. Fique longe deles e rejuvenesça. 


1.Tabagismo



Cada cigarro diminui a oxigenação da pele por 90 minutos! Imagine quem fuma mais do que um por dia. Resultado: a pele fica grossa e amarelada, por causa da nicotina, sem viço e opaca. Além de todos os problemas que causa à saúde, o cigarro também provoca distúrbios no metabolismo e acelera a perda de colágeno, células responsáveis por dar sustentação e elasticidade à pele, favorecendo a flacidez. "O ato de fumar provoca rugas ao redor dos lábios e ao redor dos olhos, já que o fumante fecha os olhos parcialmente para proteger os olhos da fumaça", explica a dermatologista Daniela Taniguchi.


2.Estresse

O estresse emocional altera nossos hormônios, aumentando a liberação de corticoide endógeno e adrenalina, por exemplo. "Isso pode deixar a pele mais oleosa e acneica. O estresse também diminui nossas defesas, e a pele fica mais predisposta à doenças e infecções", diz a dermatologista Daniela Taniguchi. As mais comuns são herpes, alergias, erupção cutânea, psoríase e até vitiligo.


3.Ignorar a poluição



"Os gases nocivos encontrados no ar poluído formam uma película de toxinas que acaba sendo absorvida pela pele, aumentando as reações de oxidação e formação de radicais livres que agridem a pele", explica a dermatologista Paula Cabral. A oxidação é um processo natural que acontece no organismo, mas que envelhece as células. O excesso de poluição oxida as células tanto da pele como do organismo todo. Por isso, para evitar essa reação, é importante proteger a pele diariamente, aplicando protetor solar, hidratante e fazendo a higienização para eliminar as impurezas.


4.Beber pouca água



Um dos primeiros sinais da falta de água (desidratação) se dá na pele e nas mucosas. "Entre as células, temos um líquido intersticial que ajuda na sustentação da pele, entre outras funções. A falta de ingestão de água deixa a pele flácida e sem viço", explica a dermatologista Daniela Taniguchi. A pele perde o turgor, demorando para voltar ao seu estado natural, quando sofre uma distorção. Por exemplo, quando beliscamos a pele, ela logo deve voltar ao seu estado normal ao soltarmos. Se isso demora para acontecer, é sinal de que está desidratada e flácida. Além de deixar a pele hidratada e firme, beber água também favorece a excreção de toxinas, substâncias que prejudicam a pele. O recomendado é consumir pelo menos dois litros de água por dia.


5.Não usar protetor solar



O excesso de exposição solar, e principalmente a falta de proteção solar, é a principal causadora do envelhecimento da pele e de câncer de pele. Para se ter uma ideia, a radiação solar é responsável por 80% do envelhecimento da pele exposta, principalmente nas peles mais brancas, que sofrem este processo precocemente. "A radiação solar é um potente oxidante celular. A radiação penetra na pele e provoca alterações diretamente no DNA das células e, indiretamente, provoca reações químicas que alteram o DNA e as fibras colágenas e elásticas", explica a dermatologista Daniela Taniguchi. De acordo com a especialista, apesar de o nosso organismo ter mecanismos de defesa e ação antioxidante, nem sempre isso é o suficiente para evitar essas reações. O resultado é o que chamamos de fotoenvelhecimento. Aparecem então, manchas, sardas, flacidez, pele áspera, aumento das rugas e, em alguns casos, câncer de pele. O FPS, para o dia a dia, nunca deve ser menor que 30 para rosto, colo, pescoço e mãos (regiões da pele mais sensível) e 15 para o restante do corpo. 


6. Consumo de açúcares e gordura

Em excesso, o açúcar é responsável por outro processo de envelhecimento celular chamado "glicação". "O açúcar se liga às proteínas da pele, como o colágeno, provocando a rigidez destas proteínas. Assim ela perde a função de elasticidade, deixando a pele flácida e com rugas", explica a dermatologista Daniela Taniguchi. Já a gordura em excesso fica acumulada no tecido subcutâneo de forma irregular, provocando gordura localizada e celulite.


7. Falta de alimentação equilibrada, ricas em antioxidantes



"Uma dieta equilibrada, rica em vegetais, incluindo frutas diversas, leguminosas, cereais e hortaliças é a melhor proteção contra os radicais livres, inimigos da pele", explica a nutricionista Daniela Cyrulin. As substâncias ativas encontradas nestes alimentos são excelentes antioxidantes que neutralizam a ação destes radicais. Priorize alimentos ricos em: Vitamina C (laranja, limão, lima, acerola, caju, kiwi, morango, couve, brócolis, tomate), vitamina E (amêndoas, nozes, castanha do Pará, gema de ovo, vegetais folhosos), vitamina A (cenoura, abóbora, fígado, batata doce, damasco seco, brócolis, melão), bioflavonoides (frutas cítricas, uvas escuras ou vermelhas), entre outros nutrientes encontrados em alimentos frescos. 


8. Dormir mal

Sem sono adequado não existe reparo. Durante o sono, produzimos hormônios "rejuvenescedores", como a melatonina e o hormônio do crescimento. Estes hormônios são "calmantes" e reparadores. A falta de sono provoca estresse e não dá tempo para o organismo descansar. Resultado: pele sem viço e com olheiras.


9. Sedentarismo

A prática de atividades físicas traz muitos benefícios para o corpo e para a pele. Melhora a circulação sanguínea da pele, melhora o metabolismo do organismo (evitando o processo de glicação), combate o estresse e melhora a qualidade do sono. Além disso, combate a flacidez, a celulite e a gordura localizada.


10. Dispensar o hidratante

É necessário ter cuidados para proteger a pele das agressões externas, como o vento, o frio, a poluição e os raios solares. Um rosto bem hidratado apresenta uma boa elasticidade, já uma pele desidratada costuma apresentar mais flacidez e rugas. "O ressecamento pode ainda trazer consequências como dermatite e descamação", diz a dermatologista Paula Cabral. Com o envelhecimento, as glândulas sebáceas diminuem em número e tamanho, deixando a pele mais ressecada. "O ressecamento superficial da pele causa alergias e coceira, diminui a elasticidade da pele e agrava as rugas. Portanto, além de beber líquidos, a pele terá benefícios extras se for hidratada com cremes e loções", explica a dermatologista Daniela Taniguchi.

Fonte: Minha Vida

Nasa irá fazer anúncio histórico sobre planeta Marte na segunda-feira

Agência promete 'solucionar um mistério' do planeta vermelho. (NASA/Greg Shirah)



A Agência Espacial Norte-americana, a Nasa, enviou um comunicado à imprensa neste fim de semana informando que fará um anúncio, na próxima segunda-feira (28), a respeito de uma informação inédita e histórica sobre "um mistério" do planeta Marte, que tem sido estudado cada vez mais de perto pelos cientistas dos Estados Unidos.


“A Nasa irá detalhar uma descoberta importante para a ciência a respeito das explorações que a agência tem realizado em Marte”, diz trecho da nota. Haverá também uma transmissão ao vivo do anúncio no site oficial da organização. 


Participarão o diretor de ciências planetárias da Nasa, Jim Green, o chefe do Programa de Exploração de Marte, Michael Meyer, entre outros especialistas representantes das principais universidades dos Estados Unidos. Será possível também enviar perguntas pelas redes sociais com a hashtag #AskNasa.


Nos últimos meses, as descobertas e novas imagens da Nasa têm feito com que muitos teóricos elaborem as mais variadas afirmações sobre o planeta vermelho. Elas vão desde atividades de espíritos à presença de vida no local — até mesmo uma mulher e uma versão marciana do Stonehenge foram especulados pelos internautas. 


Porém, o anúncio de verdade está marcado para a próxima segunda, às 11h30 locais (10h30 no Brasil). As expectativas estão altas como em junho desse ano, quando foi divulgada a descoberta do planeta Kleper 452b, que tem as características muito parecidas com às da Terra. 

 

Cuidados caseiros para pele e cabelo

Cuidados com a beleza

Quem não gosta de se sentir bonito? Mas, a beleza não é algo que vem de graça. É preciso se cuidar, e nada melhor para transparecer saúde e vitalidade do que ter pele e cabelos hidratados.

Existem vários tratamentos caros para cuidar da pele e dos cabelos, mas não é preciso gastar fortunas para ficar bonito. Com criatividade - e uma passadinha no mercado - é possível manter e realçar a beleza, e o melhor, sem gastar muito.

Como hidratar sua pele

A primeira coisa a se fazer antes de se iniciar qualquer tratamento é descobrir qual seu tipo de pele. A pele se divide em três tipos principais: seca, mista ou oleosa. A partir daí, é possível preparar máscaras de hidratação.

Pele seca
Fina e sensível, esse tipo de pele tem pouca umidade natural, o que tira seu brilho, deixando-a opaca. Tem tendência a descascar e, em pessoas mais maduras, a provocar rugas perto dos olhos e boca.

Hidratação nesse tipo de pele é fundamental, e o abacate é uma arma superpotente. Amassar maio abacate e misturar com uma colher de mel forma uma pasta que deve ser aplicada no rosto por 20 minutos. Para enxaguar, água morna. O resultado? Uma pele superhidratada!

Pele oleosa
Muito comum em adolescente, a pele oleosa, diferentemente da seca, tem excesso de óleo e apresenta brilho característico na testa, no nariz e no queixo (a famosa Zona T). Além disso, o óleo aumenta a presença de cravos, espinhas e poros dilatados.

Para minimizar esses efeitos nada agradáveis, é importante controlar o excesso de óleo. Para isso, basta misturar uma colher de sopa de fubá, uma de amido de milho e duas de água mineral e aplicar no rosto com movimentos circulares, principalmente nas áreas mais oleosas. Isso vai promover uma leve esfoliação além de neutralizar a oleosidade.

Pele mista
Essa pele é mais complexa. Ela possui características de pele oleosa no nariz, testa e queixo, e textura normal no restante do rosto. Por isso, exige cuidados especiais, e, mais uma vez, o abacate entra como um aliado da beleza.

Bater no liquidificador um quarto de um abacate, dois morangos e uma colher (sopa) de suco de laranja e aplicar no rosto, deixando agir por 30 minutos, promove esfoliação e hidratação ao mesmo tempo. O melhor: essa misturinha milagrosa ajuda a combater as rugas!

Cuidando dos Cabelos

Os cabelos são a moldura do rosto, e merecem atenção especial. Fios brilhantes mostram mais do que beleza, mas representam saúde, tanto que quando a pessoa está doente, seus fios, por vezes, perdem a vitalidade.

Frutas, legumes, iogurte e mel podem ajudar a dar vida nova aos seus cabelos através de máscaras baratas e simples de serem preparadas. Contudo, assim como ocorre com a pele, é preciso identificar o tipo do cabelo: normal, oleosos ou secos.

Cabelos normais: é quando os fios apresentam a maciez, brilho e volume adequados. Esses são os cabelos mais saudáveis, não ressecando com facilidade e nem apresentando excesso de oleosidade. Podem ser hidratados a cada 15 dias.

Cabelos oleosos: quando as glândulas sebáceas produzem mais óleo do que o normal, os cabelos tendem a ficar oleosos e com menos volume. Os cuidados devem ser diários: os cabelos precisam ser lavados todos os dias e com produtos específicos para cabelos oleosos. A hidratação deve ser mais espaçada, feita uma vez por mês.

Cabelos secos: ao contrário do que acontece com quem tem cabelos oleosos, quem possui os fios secos não produz óleo suficiente para lubrificar toda extensão capilar, o que os deixa sem brilho, frágeis e ásperos ao toque. Essa característica os torna mais volumosos e difíceis de pentear. Não devem ser lavados todos os dias e a hidratação pode ser feita uma vez por semana.

Máscaras caseiras são eficientes na hidratação, além de serem econômicas. Veja algumas receitas interessantes.

Máscara de abacate
As propriedades nutritivas do abacate podem ser aproveitadas também nas madeixas. Para fazer essa máscara, nem precisa de outros ingredientes, basta amassar o abacate até se obter uma pasta fina e aplicar sobre os cabelos massageando por cinco minutos. Depois, basta deixar agir por 30 minutos e enxaguar com xampu. Acrescentar ao abacate ½ xícara de chá de leite de coco potencializa o poder hidratante dessa máscara, que é indicada para cabelos secos.

Cenoura e mamão
Uma cenoura, meio mamão papaia e um copo de água. Com esses três ingredientes você prepara uma máscara superpotente que vai deixar seus cabelos com um brilho espetacular. Para isso, basta bater a cenoura e a água no liquidificador até virar uma pasta. Depois, misturar o mamão amassado e algumas gotinhas de condicionador, aplicar sobre os fios e deixar agir por 20 minutinhos. Pessoas com cabelos normais ou secos podem se beneficiar muito dessa mistura.

Iogurte, Mel e Banana
Sim! Essa mistura que dá água na boca faz muito bem aos cabelos. Amassando uma banana e acrescentando uma colher de mel e um copo de iogurte natural está pronta uma máscara que deixa os fios radiantes. Basta aplicar sobre os fios e deixar agir por 20 minutos. Depois, é só enxaguar com água abundante, e, no último enxágue, misturar uma colher (sopa) de vinagre de maçã em um litro de água. Garantia de fios renovados. Indicada para cabelos secos e normais.

Espinafre e alecrim
Bater no liquidificador um ramo de espinafre cozido, com dois galhos de alecrim ajuda a diminuir a oleosidade. Depois de batida, a mistura deve ser coada e aplicada sobre os cabelos, onde deve agir pode 30 minutos. Depois, o cabelo pode ser lavado normalmentee

Máscara de Babosa
Batendo no liquidificador uma folha de babosa, uma colher (café) de azeite ou óleo de amêndoas e duas colheres (sopa) de água, está pronta uma máscara que dá muito brilho aos fios. Depois de coada é só aplicar sobre os cabelos e deixar agir por 20 minutos.

Chocolate
O chocolate, além de saboroso, pode ajudar a manter os fios hidratados. A mistura de uma barra pequena (30 gramas) de chocolate ao leite derretido em misturado com um copo de leite integral e uma colher (sopa) de mel faz milagres para os cabelos. Depois de aplicado, é só deixar agir por 20 minutos e enxaguar. Os cabelos secos ficarão super brilhantes.

Chá de menta
Ferver por cinco minutos uma xícara de folhas de menta fresca, uma xícara de água mineral sem gás e o suco de um limão médio produz um líquido poderoso no combate à oleosidade. Com a mistura já fria, é só aplicar nos cabelos lavados e deixar agir por 10 minutos. Depois, é enxaguar com água morna e pronto, adeus oleosidade.

 Via professor José Costa