sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

7 mitos sobre o corpo humano que você não sabia

O corpo humano ao mesmo tempo que é incrível é muito nojento. Ele possui partes que produzem coisas nojentas que você nem imagina. E aqui no site da Fatos Desconhecidos, nós já exibimos para você algumas partes nojentas em zoom que provam isso.

O corpo humano é uma máquina incrível cheio de sistemas, vasos e órgãos com funções incríveis e muito importantes para o perfeito funcionamento dele.

Mas alguns mitos sobre ele sempre existiram. Separamos para você uma listinha com algumas com alguns mitos sobre o corpo humano que você não sabia.

1 – As pessoas abrigam 10 bactérias para cada célula

 

O mito de que as pessoas abrigam 10 bactérias para cada célula foi derrubado por um trio de biólogos de Israel e do Canada. Segundo publicação no portal G1, “a população de bactérias que o corpo humano abriga é da ordem de 10trilhões, similar ao número de células em nossos organismos”.


2 – O açúcar deixa uma criança hiperativa

 

Segundo a revista Galileu, isso não passa de mais um mito que você acreditou. A revista diz que “diversos estudos já comprovaram que o consumo do açúcar, e aí estão inclusos os doces e chocolates, não se relaciona com o comportamento infantil. Mesmo em estudos feitos com crianças consideradas “sensíveis” ao açúcar, não foi encontrada qualquer relação”.

3 – A vacina protege 100% contra o HPV

Segundo o jornal Folha de São Paulo, “ainda que a vacina quadrivalente proteja contra os tipos mais comuns de HPV, ela não evita a contaminação por todas as versões do vírus. São, pelo menos, 150 variedades do micro-organismo. “Homens e mulheres devem se proteger aliando imunização, visitas periódicas ao médico, uso de preservativo e, no caso das mulheres, exames de rotina para o rastreamento do câncer de colo de útero”, lê-se no Guia do HPV, elaborado pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia das Doenças do Papilomavírus Humano”.

4 – Usamos apenas 10% da capacidade do cérebro

Na verdade o ser humano usa muito mais que isso. Não passa de um mito propagado sem explicação. De acordo com a revista Galileu, “Um psicólogo do século 19, William James, foi quem soltou a ideia de que somente 10% do cérebro é usado de cada vez. Isto virou um boato e todo mundo já estava repercutindo a ideia como verdade absoluta. Mas até o famoso programa de televisão Mythbusters já desvendou esse mito e comprovou que usamos mais do que míseros 10%”.

5 – As pontas duplas são curáveis com xampus e condicionadores


Na verdade, o xampu e o condicionador possuem uma função diferente. Segundo a Galileu, “A única maneira de acabar com as pontas duplas dos cabelos é cortando-as. O máximo que bons produtos de beleza podem fazer é preveni-las, mas nada de curá-las. Cuidado com as propagandas enganosas.”

 

 

6 – Existem áreas na nossa língua que sentem gostos diferentes

 

Esse mito nunca foi verdade. Apesar de as nossas papilas gustativas estarem presentes em diferentes partes da língua, sentir o gosto acontece de forma universal. A Galileu explica que “Sim, lendas urbanas podem ser criadas por erros de tradução. A ideia de que as papilas gustativas de diferentes partes da língua correspondem aos gostos de doce, salgado, azedo e por aí vai surgiu a partir de uma confusão que um professor de Harvard fez ao traduzir um estudo alemão mal escrito e sem créditos”. 

7 – Sair de casa no tempo frio faz você pegar um resfriado

 Isso era muito reproduzido por nossas mães e avós. De acordo com a revista, “este mito repercutiu sem nenhuma evidência concreta. O que se sabe é que o vírus da gripe é mais comum na época de baixa umidade do inverno, até porque as pessoas estão mais tempo reunidas no interior dos lugares, o que espalha o vírus mais facilmente. O que pode acontecer ao você sair molhado no frio é diminuir sua resistência a uma infecção que você já tem”.

 

Fonte(s) revistagalileu Folha de São Paulo G1
Imagens queconceito  ndig   uol ofuturodascoisas  vivomaissaudavel  sobralnews  Youtube 
Via Fatos Desconhecidos  -por Magno Oliver

Nenhum comentário:

Postar um comentário