terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Nunca deixe as pessoas beijarem seu bebê - aqui está o porquê!

Quem não tem vontade de beijar, abraçar e até apertar os bebês?
Eles são extremamente fofos e, até involuntariamente, somos impulsionados a chegar bem juntinho.

O problema é que até o carinho, se não bem dosado, pode fazer mal, como é o caso de beijar o rosto de um bebê. 

Todo recém-nascido é sensível, especialmente durante as seis primeiras semanas de vida.
Na verdade, o sistema imunológico do ser humano inicia o desenvolvimento desde o segundo trimestre da gravidez e vai até a adolescência.

Até lá, a imunidade ainda não está completamente formada.
Para quem não sabe, as defesas que recebemos durante a gestação da nossa mãe foi essencial para nos protegermos de infecções nas primeiras semanas de vida fora da barriga.

Durante todo o desenvolvimento intrauterino, o bebê fica totalmente protegido do mundo externo, graças às substâncias que selam o útero até o fim da gestação.

Se não fosse assim, ao nascer, o bebê ficaria vulnerável a todas as doenças.
Graças a Deus não é assim.

Existe a milagrosa imunidade natural, que recebemos na placenta da nossa mãe.
Não é por acaso que os bebês prematuros estão mais propensos a sofrer com infecções causadas por micro-organismos.

Agora que ficou mais claro, vamos mostrar o perigo de beijar o rosto do recém-nascido.
Como a saliva do adulto é infectada por vários vírus, quando entra em contato com a pele ou mucosas do bebê, acaba transmitindo doenças, como herpes.

Além do herpes causar feridas e outros sintomas horríveis, ele não tem cura.
Ou seja, eternamente a pessoa terá a possibilidade de se infectar com outras, através do beijo.

A doença é tão grave que pode chegar até a morte.
Este foi o caso de Kaiden McCormick, cuja história foi noticiada pela imprensa alguns anos atrás.

Ele nasceu prematuro e ficou na incubadora por seis semanas lutando pela vida.

Mas o bebê terminou contraindo o vírus do herpes, que foi transmitido por um beijo dado pelo pai, portador de herpes labial.

Aos dois meses, Kaiden morreu por falência múltipla dos órgãos.

Este é um risco real.

O bebê pode ser infectado pelo herpes através da pele, olhos e boca (mucosa).
Quando isso acontece, no pior dos casos, como foi o de Kaiden McCormick, o vírus pode se propagar pela corrente sanguínea, infectando órgãos internos, como cérebro, fígado ou pulmões.

Para evitar tudo isso, trouxemos seis regras simples em prol da saúde do seu bebê:

1. As visitas devem lavar e desinfetar as mãos antes de mexer ou pegar o bebê no colo

2. Não permitir que as visitas ou terceiros beijem a face e mãos do bebê

3. Proteger a pele do bebê contra pequenas lesões que servem de porta de entrada a micro-organismos nocivos

4. Higienizar convenientemente os utensílios envolvidos na preparação da alimentação do bebê

5. Nos primeiros meses de vida, não misturar os utensílios usados na alimentação do bebê com os do restante da família.

6. Cumprir o Plano Nacional de Vacinação.

Apesar de o beijo ser a forma mais natural e instintiva de demonstrar afeto, é fundamental compreender que esta etapa da vida do recém-nascido é particularmente delicada e, por esse motivo, ele deve ser evitado.

Fonte: Cura pela Natureza

Nenhum comentário:

Postar um comentário