sábado, 15 de abril de 2017

Contra o câncer: espermatozoide modificado leva remédios da quimio até colo do útero

Raycat/istock
Cientistas encontraram outra função para o espermatozoide além da reprodução humana: ele pode ser capaz de ajudar no tratamento dos cânceres que atingem mulheres (como o do colo do útero e o do ovário), e impedir que o corpo da paciente fique tão prejudicado pelas medicações.

Tratamento câncer de colo de útero

Um dos métodos de tratar tumores é a quimioterapia, que utiliza diversos compostos químicos tóxicos. Apesar de já ter sido aprimorado o tratamento ainda continua causando efeitos muito desagradáveis, porque afeta tanto as células com tumor quanto aquelas que estão saudáveis.

Em busca de reverter isso, cientistas da Universidade de Tecnologia de Chemnitz e do Instituto de Nanociência do IFW Dresden, na Alemanha, conseguiram pensar em um jeito de minimizar os efeitos do tratamento do câncer de colo de útero.

Para isso, seria preciso que a medicação fosse aplicada de forma local, ou seja, direto no tumor.

Então, os cientistas tiveram a ideia de modificar espermatozoides em laboratório e usá-los como transportadores das substâncias (das drogas da quimioterapia). Como são ambientados com a região, se locomovem tranquilamente, e sua membrana é forte o suficiente para carregar e proteger o conteúdo, impedindo que ele entre em contato com outras partes do corpo durante o transporte.


 O teste foi feito com espermatozoides de boi, que são muito parecidos com os do ser humano. Para que eles chegassem ao local desejado, foi criada uma microestrutura em formato de tubo, feita de ferro, impressa em 3D, com quatro “braços” (imagem abaixo).

Reprodução/IFW Dresden/Chemnitz University of Technology


Ela responde a campos magnéticos e pode ser controlada do lado de fora do corpo por meio de imãs. Isso permite que o espermatozoide vá para a região específica onde está o câncer. Lá, ele se une à célula com tumor, exatamente como ele faria se fosse um óvulo.

Nesse momento, os braços da microestrutura de ferro se dobram e liberam os compostos químicos, que consegue atacar e matar parte do câncer.

O método ainda precisa passar por vários testes antes de começar a ser utilizado em humanos. Ainda não se sabe, por exemplo, se depois de liberar a droga no colo do útero, o espermatozoide seria ou não fértil ainda.

Fonte: VIX - Escrito por Patrícia Beloni

Nenhum comentário:

Postar um comentário