quinta-feira, 27 de abril de 2017

O que causa afta? Falta de nutrientes + 16 alterações aparecem primeiro na boca

Victoria 1/Shutterstock
Não é a toa que a palavra "afta" significa queimar, inflamar ou atear fogo: apesar de pequenas, essas lesões incomodam e doem muito. Brancas ou avermelhadas, se manifestam no céu e parte de baixo da boca, na gengiva ou na língua e possuem papel importante na saúde, já que indicam desequilíbrios e doenças. Veja quais são as causas da afta na boca.

Causas da afta

Apesar de não ter um único agente causador, na maioria das vezes a lesão está relacionada à deficiência imunológica. Porém, outros também podem ser desencadeantes. Veja os principais:

Baixa Imunidade

 

Indivíduos com imunidade baixa, muito comum em portadores de doenças autoimunes como Aids e Lupus, tendem a apresentar mais aftas na boca e gengiva. Isso ocorre porque a mucosa fica menos protegida pelos anticorpos, que são insuficientes.

Bulimia

A bulimia causa danos na região bucal como desgaste dos dentes, vermelhidão na garganta e aftas, tudo em decorrência do pH dos ácidos do estômago, que sobem quando é provocado o vômito.

Deficiência nutricional

A falta de determinados nutrientes, como ferro, ácido fólico e vitamina B12, também propiciam o aparecimento da lesão.

Desidratação

fizkes/Shutterstock
De acordo com a American Cancer Society, as aftas também podem surgir em casos de desidratação, em que a secura da boca cria um ambiente ideal para o desenvolvimento de micro-organismos maléficos.


Diabetes

Diabetes melitus causa sintomas como afta pois altera o metabolismo e, consequentemente, deixa o organismo mais ácido. Com isso, surgem lesões bucais, perda de peso inexplicada, aumento do apetite, infecções, fadiga e sono excessivos, alterações na visão, sede e urina acima do normal.

Doença de Crohn

De acordo com a infectologista Joana D'arc Gonçalves, as aftas também surgem na Doença de Chron, que é uma síndrome inflamatória crônica que afeta todo o sistema digestivo. Seus principais sintomas ainda incluem diarreia, febre, perda de peso e dor abdominal.

Estomatite

Apesar do nome dar a entender que há relação com o estômago, a estomatite é uma inflamação da boca. Pode ser causada por bactérias, fungos, vírus, traumas, entre outros fatores. Seus sintomas incluem bolhas e úlceras únicas ou espalhadas pela mucosa (que são muito semelhantes à afta), vermelhidão na mucosa, febre, dor, alterações no apetite e irritabilidade.

A estomatite em bebês é comum e, em casos extremos, pode causar desidratação, justamente pela dificuldade em tomar qualquer líquido. 

Estresse

A ação do estresse no corpo libera adrenalina e cortisol, acelerando os batimentos cardíacos, aumentando a pressão e a liberação de energia muscular. Contudo, se o problema for crônico a produção excessiva desses elementos enfraquece a imunidade, propiciando o aparecimento de aftas na boca e gengiva.

Herpes

Alguns vírus podem causar diversos tipos de lesões na cavidade oral, como o da herpes. Transmitido pelo contato direto com as feridas, a doença se manifesta por feridas ou bolhas cheias de líquido próximas aos lábios, que muitas vezes são confundidas com aftas.

Intolerância alimentar

Algumas pessoas podem ser sensíveis a determinados tipos de alimentos, como o glúten. Nelas, a ingestão causa uma reação imunológica que gera sintomas como diarreia, aftas, inchaço, gases, entre outros.

Medicamentos

Alguns medicamentos podem alterar a flora bacteriana, que é um conjunto de micro-organismos que equilibram e protegem o organismo, favorecendo a proliferação de germes ruins e levando às aftas.

Além disso, há remédios que podem abalar a imunidade, como no caso de alguns antibióticos e quimioterápicos, o que também contribui para o aparecimento do problema.

Predisposição genética

Algumas pessoas podem ter tendência maior ao aparecimento de aftas na mucosa devido a genes que reduzem a proteção do tecido que reveste o interior da boca.

Refluxo

kowalska-art/iStock
A doença do refluxo gastroesofágico acontece quando a válvula que separa o estômago do esôfago não se fecha por completo. Com isso, uma parte do ácido gástrico vai para o órgão e agride o tecido que o reveste, gerando azia. 

O refluxo também causa afta pois o líquido gástrico entra em contato com a mucosa oral, que não está preparada para tal, causando lesões.

Prisão de ventre

É comum achar que a única função do intestino é pura e simplesmente digerir os alimentos. Mas essa tarefa aparentemente simples é, na verdade, muito complexa, pois envolve “decidir” o que fica ou não no corpo.

Um intestino desregulado tem essas barreiras mais frágeis e, por isso, deixa o sistema imunológico exposto a toxinas e bactérias patogênicas relacionadas ao surgimento de aftas.
Para contornar essa situação, é indicado apostar em uma alimentação equilibrada e alimentos simbióticos, como o kefir, iogurte caseiro que regula o intestino.

TPM

Outra causa da afta na boca são as mudanças hormonais do ciclo menstrual. A infectologista Joana D'arc Gonçalves explica que esses hormônios provocam uma gama de mudanças corporais e alterações de neurotransmissores que aumentam o estresse, gerando aftas, e ainda favorecem o surgimento de patologias ligadas aos transtornos de ansiedade.

Traumas

 

A afta traumática é uma das manifestações mais comuns e ocorre quando há feridas na boca causadas por mordidas, escovar os dentes com muita força ou pressão por aparelhos ortodônticos, por exemplo.

Como tratar aftas na boca?

A afta geralmente regride sozinha em aproximadamente 10 dias. Para acelerar esse processo, podem ser aplicadas pomadas anestésicas para diminuir a dor e antissépticos bucais para reduzir a infecção e promover a cicatrização. Além disso, ingerir alimentos ou bebidas geladas pode aliviar a dor momentaneamente. 

Enquanto a lesão estiver ativa, também é contraindicado ingerir comidas cítricas e picantes, já que podem irritar ainda mais a ferida. Caso a afta não regrida, busque um dentista ou clínico geral que avaliará se há algo mais grave por trás da lesão e, se necessário, poderá removê-la cirurgicamente ou por cauterização.

Se o problema for causado por micro-organismos, podem ser administrados antibióticos e antivirais. 

Como prevenir?

Não há muitas maneiras de prevenir aftas na boca e gengiva, exceto pela correção da causa. Contudo, a correção de hábitos alimentares - com uma alimentação rica em frutas, verduras e fibras e uso de probióticos como o kefir - e a boa higienização oral podem diminuir a incidência. 

A infectologista Joana D'arc afirma que desconhece receitas caseiras que sejam realmente eficientes. Contudo, em entrevista sobre como curar afta ao Vix, o estomatologista José Narciso Rosa Assunção Junior afirma que o uso de bicarbonato sobre a lesão pode equilibrar o pH da região e acelerar a cicatrização.

Fonte: VIX - Escrito por Ligia Lotério

Nenhum comentário:

Postar um comentário