quarta-feira, 17 de maio de 2017

7 coisas que os ginecologista querem que as mulheres saibam

Para os desinformados, a ginecologia é a prática da medicina que lida diretamente com a saúde do aparelho reprodutor feminino (útero, vagina, ovários) e mamas. Seu significado literal é “a ciência da mulher”. Mesmo sendo algo completamente normal, muitas mulheres morrem de vergonha quando vão a um ginecologista, ainda mais na primeira vez, mas mal sabem elas o que os médicos pensam sobre essa tal vergonha.


Bom, como todo mundo sabe, existem algumas coisas que os ginecologistas sempre querem dizer para as mulheres, mas raramente tem essa chance, e pensando nisso, nós criamos essa matéria com as 7 coisas que os ginecologistas querem que as mulheres saibam:

1 – Eles não vão julgar os seus hábitos de higiene

Quando você vai em um ginecologista, cara leitora, eles não estão nem aí se você está depilada ou não, eles simplesmente não prestam atenção nisso. Bom, se você tomou banho, se depilou ou não, isso é problema seu, certo? Mas também não precisa chegar depois da academia, não será nada agradável.

2 – Sim, eles querem saber da sua vida sexual

Claro que você não precisa contar com todos os detalhes sobre a sua vida sexual, mas é bom falar se você está tendo relações, se o seu parceiro é um homem ou mulher, se você não sabe se seu parceiro tem DST’s ou simplesmente se você tem relações sexuais com várias pessoas. Essas são informações básicas para que um ginecologista possa te ajudar a fazer um teste ou fazer um tratamento. Então, quando ele te fizer esse tipo de pergunta, não fique acanhada e responda normalmente.

3 – Coceira

Se você sente uma coceira no órgão genital que te deixa incomodada, o ginecologista precisa saber disso. Quando isso acontece, pode ser sintomas de um desequilíbrio, mas a causa pode variar entre falta de higienização até uma doença.

Normalmente, a causa mais comum do incômodo é a limpeza inadequada da vagina, seja por excesso ou falta de higienização. As vezes ela pode ficar ressecada e causar tal coceira, bastante comum em mulheres que estão na menopausa. Mas também essa coceira pode ser por causa de uma alergia, absorvente, protetor diário, sabonete, entre outras coisas. Portanto, qualquer incômodo que você sinta, é necessário que você seja clara e sincera com o ginecologista para que ela possa passar o tratamento ideal.

4 – Candidíase

Para as mulheres que ainda não sabem, a infecção vulvovaginal é causada por um fungo que, normalmente provoca coceira e pode acontecer inúmeras vezes durante a vida. A candidíase também pode causar dor pélvica e incômodo durante a relação sexual, além de ter o corrimento. Essa doença pode ser facilmente tratada por um antifúngico, e no caso de suspeita de outra doença, é preciso fazer coleta de material para fazer uma biópsia.

5 – Corrimento

Toda mulher tem corrimentos que, normalmente, constituem por bactérias e células mortas decorrentes da degradação natural do meio vaginal e é responsável pela autorregulação da região. A cada ciclo menstrual, o aspecto muda, e para evitar com que a secreção natural seja confundida com doenças, as mulheres precisam aprender a identificá-las. Claro que é natural o corrimento durante o ciclo, mas dois tipos de corrimentos podem indicar doenças, principalmente as secreções amareladas ou esverdeadas.

6 – O seu ginecologista deve ser alguém que você realmente gosta e confia

As consultas com o ginecologista, como já citamos, podem ser invasivas, e você precisa se sentir segura e protegida com essa pessoa. Caso você sinta desconfortável, talvez seja a hora de procurar um novo ginecologista. Recomendações das amigas muitas vezes pode ser útil.

7 – Eles querem ver você pelo menos uma vez por ano

 Sim, é crucial que as mulheres vão ao ginecologista ao menos uma vez por ano, mesmo que você ache que está tudo bem. O exame ginecológico de rotina se chama teste papanicolau, que detecta qualquer problema de células cervicais que podem ser pré-cancerosas ou cancerosas.  Então, mesmo que você ache que está tudo bem, mulher, vá há um ginecologista mesmo assim.

Fonte: Fatos Desconhecidos

Nenhum comentário:

Postar um comentário