terça-feira, 9 de maio de 2017

Banho de assento trata MESMO infecção íntima: opções com camomila, vinagre e mais

Albina Glisic/shutterstock
Já pensou em sentar em uma solução e curar infecções vaginais e até hemorroidas? Esse método existe é é chamado de banho de assento caseiro. Quem é mais velha, provavelmente se lembra de usar essa "receita da vovó", que é, de fato, eficaz para equilibrar o pH da região íntima e evitar ou interromper a proliferação de bactérias e fungos que causam doenças. Aliás, por que deixamos de fazê-lo?

Banho de assento: o que é?

Banho de assento é um tratamento usado para aliviar anormalidades na região íntima. De acordo com o ginecologista Élvio Floresti, consiste na lavagem externa da vagina em água morna com alguma substância antisséptica ou refrescante dissolvida.

Para que serve banho de assento?

 

O especialista explica que as receitas caseiras são boas para infecções vulvares e corrimentos vaginais, como nos casos de candidíase, vulvite e vaginite, além de hemorroidas, assaduras e infecções urinárias.


De acordo com o médico, o método não é mais eficaz que os tratamentos convencionais, como cremes vaginais e medicamentos orais, que aceleram a cura e reduzem a taxa de recidivas. Assim, os banhos de assento podem ser usados como complementos aos métodos tradicionais indicados pelo ginecologista.


Antes de fazê-lo é preciso saber qual substância diluir na água para cada doença íntima. Por exemplo, o banho de assento para candidíase deve ser à base de substâncias de pH alcalino, já que o fungo causador da infecção gosta de acidez e não consegue sobreviver aos ambientes de fundo básico.


O oposto deve ser feito em caso de vaginose bacteriana, pois esse acometimento prefere ambientes alcalinos, sendo recomendado um banho de assento ácido.

Tipos de banho de assento

Banho de assento com barbatimão

De acordo com o ginecologista Élvio Floresti, o banho de assento com barbatimão ajuda a reduzir os sintomas de candidíase e verrugas vulvares provocadas pelo HPV. Nesse caso, é indicado fazer um chá com as cascas e/ou folhas do barbatimão. Você pode usar, aproximadamente, duas colheres de sopa para cada litro e fazer a lavagem local ou usar uma bacia, bidê ou banheira.

Com bicarbonato

 

Um dos muitos usos do bicarbonato de sódio é no banho de assento. Por ter pH alcalino, ele reduz a acidez da vagina e a deixa imprópria para o fungo Candida Albicans, causador da candidíase. Uma colher de sopa para um litro de água filtrada é uma boa medida. 

Banho de assento com camomila

A camomila é um calmante natural que, quando usado em banho de assento, alivia assaduras, ajuda no tratamento de candidíases e em casos de proliferação de floras mistas, que levam à vaginose.

Banho de assento com flogo rosa

Flogo rosa é uma solução ginecológica em pó composta pelo anti-inflamatório cloridrato de benzidamina. Segundo o médico, pode ser usado para tratar quase todos os tipos de vulvovaginites.


Já a bula do medicamento indica também usos para cervicites, que são inflamações no colo do útero, além de pré e pós-operatório, higiene íntima pós-parto e como auxiliar no tratamento de candidíase e da doença sexualmente transmissível tricomoníase.

Como se trata de um medicamento, o ideal é buscar recomendação médica antes de usar.

Com vinagre

 

A acidez do vinagre, principalmente o de maçã, pode aliviar corrimentos diversos e também reduzir a intensidade e a frequência das crises de infecção urinária recorrente.

Banho de assento para hemorroida

No caso de hemorroidas, o profissional recomenda apenas banhos de assento com água morna para amenizar a dor em momentos que a inflamação está ativa.

Como fazer banho de assento?

O especialista explica que devem ser diluídas duas ou três colheres de sopa do composto escolhido a cada litro de água filtrada ou fervida, exceto pelo flogo rosa, cuja bula especifica 10 a 20 ml da solução ou um a dois sachês por litro. 

Depois, é só misturar bem, despejar a água em uma bacia e sentar-se nela por no mínimo cinco minutos ou até que a água fique fria. 

Para todas as substâncias, é indicado o uso até duas vezes por dia até que o problema em questão esteja controlado. Apesar de ser simples de usar, é indicado consultar um médico para informações mais específicas sobre dosagem e frequência.

Compressas íntimas funcionam?

 Algumas mulheres usam compressas de vinagre ou chá de camomila dentro da calcinha para dormir, porém, o ginecologista Élvio explica que não há o mesmo efeito que o banho de assento. “Usar compressas úmidas por algumas horas pode até ajudar, mas ao mesmo tempo é um fator de risco já que o uso excessivo pode mudar o meio vaginal e dar chances a germes oportunistas”, ressalta.

Fonte: VIX - Escrito por Ligia Lotério

Nenhum comentário:

Postar um comentário