sexta-feira, 19 de maio de 2017

Delicie-se com estas 7 curiosidades interessantes sobre o beijo

Quando o assunto é beijo, é raro encontrar alguém que não se interesse. Nós aqui do Mega Curioso já mostramos pra você, por exemplo, um beijo visto do lado de dentro da boca – bizarro! – e, inclusive, falamos a respeito daquele vídeo feito com um monte de gente estranha que nunca tinha se visto e que, de repente, estava se beijando. Se beijo é um assunto do seu interesse, confira a lista a seguir, cheia de historinhas envolvendo beijos, bitocas e beijoqueiros:


1 – 10% do mundo simplesmente não beija

Pois é. A gente sabe que parece errado isso aí, mas é verdade. Vamos aos fatos: a Ilha de Mangaia, que também é a ilha mais antiga do Oceano Pacífico, só foi saber o que era beijar em 1700, quando os ingleses chegaram com a novidade.

A verdade é que mesmo agora há 10% da população mundial que simplesmente não beija. Há muitos motivos para isso: em algumas áreas do Sudão, por exemplo, as pessoas não beijam porque acreditam que a boca é a janela da alma. Beijar seria, portanto, uma forma de ter suas almas roubadas.

2 – Como o beijo se espalhou pelo mundo

A ciência ainda não tem certeza a respeito de como começou essa história de beijo. Não se sabe nem mesmo se foi uma coisa de instinto ou se foi algo que se aprendeu com o passar do tempo. Há, contudo, algumas teorias a respeito.

A primeira delas não tem muito a ver com romance, já que alguns cientistas acreditam que o beijo foi inventado por mamães que, na tentativa de ajudar seus filhos, mastigavam a comida e a repassavam a eles.

O beijo romântico foi citado pela primeira vez na Suméria, a civilização mais antiga do mundo. O beijo também está presente na poesia do Egito Antigo e até mesmo o livro de Gênesis, na Bíblia, menciona um beijo.

3 – Não somos os únicos

Outros animais além de nós, humanos, também costumam trocar beijos. É o caso dos chimpanzés, que trocam beijinhos depois de uma briga. Há diversos estudos que já comprovaram que outros primatas têm o costume de beijar. E, além deles, vale falar das suricatas e dos elefantes, que também beijam e demonstram afeto.

4 – Benefícios

Que beijar é bom, você já sabe, mas o ato em si traz muitos benefícios à saúde de quem beija. Se por um lado é meio nojentinho imaginar a troca de bactérias que acontece durante o beijo, vale saber que isso melhora seu sistema imunológico. Então tudo bem. Sem crise.


Além disso, beijar ajuda a manter a limpeza dos dentes, já que a saliva extra que fica na sua boca acaba ajudando a matar algumas bactérias desnecessárias. É hipertenso? Pois então beije na boca, afinal o ato diminui a pressão arterial.

5 – A primeira impressão...

É aquela história: só há uma chance para causar uma boa primeira impressão. E o mesmo vale para o beijo. Estudos comprovam que quando o primeiro beijo não é bom, 59% dos homens e 66% das mulheres perdem o interesse logo de cara.


Outro estudo, feito agora com mais de mil estudantes, revelou que as mulheres querem beijar mais do que os homens, especialmente antes da hora H. E você sabe por que beijar é fisicamente bom? Acontece que nossos lábios têm muitas terminações nervosas que acabam nos causando a sensação de bem-estar quando beijamos.

6 – Recordes

Atualmente o casal que mais passou tempo se beijando no mundo foram os tailandeses Ekkachai e Laksana Tiranarat. Os dois ficaram aos beijos por longas 58 horas, 35 minutos e 58 segundos! Haja fôlego, hein!

O recorde anterior pertencia a Andrea Sarti e Anna Chen, que ficaram grudados por 31 horas e 18 minutos. Eles pararam de se beijar porque estavam quase desmaiando. Anna acabou a prova com uma máscara de oxigênio, mas os dois ganharam US$ 12.700, dinheiro que foi usado no casório dos pombinhos.

Uma pessoa normal, que não fica mais de 30 horas beijando o namorado, beija o equivalente a duas semanas durante a vida. É bastante, hein! E tem mais: uma hora de beijo queima 1.560 calorias.

7 – A química da coisa

Quando uma pessoa diz que “tem que rolar química”, ela está certa. Tem mesmo. Quando você está beijando, seu cérebro libera uma substância chamada dopamina, que nada mais é do que um hormônio poderoso que afeta a mesma área do cérebro estimulada pelo uso de cocaína. A dopamina pode provocar sensações extremas de desejo e ânsia. Sem falar nos outros sintomas, como falta de sono, falta de apetite e aumento nos níveis de energia.

Quando você beija alguém que está com você há muito mais tempo, seu cérebro passa a liberar oxitocina, uma substância que tem a ver com a sensação de relaxamento.

Por outro lado, com o passar do tempo, o cérebro deixa de liberar tanta dopamina. Alguns cientistas acreditam que é por isso que muitas pessoas traem seus parceiros, pela falta dessa substância. Será?

Bônus

Você sabia que tem gente com fobia de beijar? A filemafobia, como também é conhecida, é o medo extremo de beijar ou ser beijado. Há muitas explicações para isso: desde o medo excessivo de bactérias até traumas mais sérios envolvendo abusos.

Geralmente as pessoas com filemafobia lutam para entender por que sentem aversão ao beijo, afinal beijar é visto como uma atitude tão normal que não gostar disso pode gerar desconforto psicológico e social.

Fonte: Mega Curioso

Nenhum comentário:

Postar um comentário