sábado, 24 de junho de 2017

Brasil é o provável ninho da próxima grande epidemia global (e a culpa é dos morcegos)

BOLDG/StockSmartStart/Shutterstock
Ao redor de todo o planeta, nenhum lugar corre tanto risco de abrigar a próxima grande ameaça para a saúde mundial do que o Brasil. É o que diz o estudo “Traços hospedeiros e virais preveem derrame zoonótico de mamíferos” [tradução livre] realizado pela agência norte-americana EcoHealth Alliance e publicado na revista científica Nature. Entenda a seguir os motivos para isso. 

Mapa mundial dos vírus

Os pesquisadores analisaram todos os 586 vírus conhecidos que podem infectar até 754 espécies de mamíferos catalogadas; a investigação incluiu também 188 infecções zoonóticas, ou seja, aquelas que afetam o organismo humano e de outros mamíferos.


 No corpo humano, vírus podem ser a causa de pequenos resfriados que rapidamente cessam, mas são também responsáveis pelas duas últimas grandes epidemias que assustaram o mundo, ambas iniciadas em vírus de outros mamíferos: o HIV, original dos chimpanzés, e o Ebola, original dos morcegos.

Culpa é dos morcegos

Os responsáveis por esta potencial nova epidemia global são os morcegos, segundo a pesquisa. Foi constatado que a espécie de mamíferos voadores carrega maior quantidade de vírus que podem afetar mais gravemente a saúde humana.


O trabalho de cruzamento de informações entre os vírus, as infecções zoonóticas e a condição hospedeira e parasitária dos mamíferos detectou que é 70% mais provável morcegos carregarem os vírus que outros animais: o estudo prevê, em média, 17 infecções zoonóticas em cada uma das espécies de morcegos, e dez em cada espécie de primatas e roedores.
Benjamin B/Shutterstock

“A maioria das doenças infecciosas emergentes humanas são zoonóticas, com vírus que se originam em mamíferos selvagens”, diz o artigo. “Demonstramos que os morcegos possuem uma proporção significativamente maior de vírus zoonóticos do que todas as outras ordens de mamíferos. Também identificamos as taxas e as regiões geográficas com o maior número estimado de "vírus desaparecidos" e "zoonoses desaparecidas" e, portanto, de maior valor para vigilância futura”.



Segundo a pesquisa, se considerarmos a segunda maior ameaça de transmissão de vírus entre os mamíferos, os animais selvagens carnívoros, as costas leste e oeste da América do Norte e o leste africano são as regiões mais perigosas.

Predominância no Brasil

Os mamíferos de asas habitam diversos lugares do planeta, mas são as espécies concentradas principalmente na Amazônia as que apresentam mais risco à humanidade - Centro-Oeste e Sudeste brasileiros, centro-leste africano e sudeste asiático, nesta ordem, aparecem como potenciais nascedouros de novas epidemias.

Fonte: VIX - Escrito por Luiz Felipe Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário