quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Eclipse do dia 21 será forte a ponto de mexer com a Terra e até com seu peso: como?

Adventtr/iStock
No próximo dia 21 de agosto irá ocorrer aquilo que a Nasa chama de eclipse solar total. Solar porque o Sol será escondido pela Lua por quase três minutos e total porque poderá ser visto por toda extensão dos Estados Unidos, da costa leste à costa oeste.


No Brasil, o veremos de forma apenas parcial no Norte e Nordeste do país - e seus efeitos serão bem mais curiosos do que a escuridão parcial do céu.

Efeitos do eclipse solar total

Força gravitacional tão forte que elevará crosta terrestre

Nosso planeta é permanentemente influenciado pelas forças gravitacionais do Sol e da Lua, inclusive é o que determina as marés. Quando ocorre um eclipse solar, o Sol, a Lua e a Terra estão alinhados nesta ordem e, portanto, toda a força gravitacional desses astros puxa o planeta na mesma direção.


Durante o eclipse do dia 21 de agosto, a força gravitacional do Sol e da Lua sobre a Terra será tão forte que a Nasa calculou um fenômeno raro: até a crosta terrestre irá “inchar”. Ao longo de uma área de mais ou menos 1 mil quilômetros, a superfície da Terra irá se elevar 4 centímetros - é imperceptível, mas ainda assim, impressionante.

Muratart/Shutterstock

Menos 500 gramas de peso

Um eclipse desta magnitude é a dieta mais eficiente que você vai conhecer. Em menos de três minutos, uma pessoa de aproximadamente 80 quilos perde quase 500 gramas - 482 gramas, para ser mais preciso. O efeito é o mesmo que faz a Terra “inchar” 4 centímetros.

O eclipse em si é potencializado porque a fase da Lua é a Lua Nova, a de maior força gravitacional - todo mês, durante esta fase, ficamos um pouquinho mais leve.


Durante os 2 minutos e 40 segundos do eclipse, a influência do Sol e da Lua fazem uma força “anti-gravidade” que se contrapõe à força produzida pelo centro da Terra. Assim, a “pressão” do nosso corpo sobre o chão diminui e ficamos mais leves.

Onde eclipse poderá ser visto

Total Eclipse/Nasa
A área de observação do eclipse começa no norte do oceano Atlântico e termina no norte do oceano Pacífico, cruzando toda extensão dos EUA, de leste a oeste. Isso ocorre porque o ponto ótico bloqueado pela Lua passa exatamente por este corredor, no qual o eclipse total do Sol pode ser visto por 2 minutos e 40 segundos - o processo de eclipse todo dura quase 10 minutos.

Haverá penumbra residual em áreas mais amplas das Américas. A área de penumbra, que não vê o eclipse total, mas terá algum grau de bloqueio das luzes solares se estende do Canadá, ao norte, até o Brasil, ao sul. Neste site de astronomia oficial britânico, você pode conferir o quanto do Sol será ocultado pela Lua.

A. T. Sinclair/GSFC/NASA

 No Brasil, os seguintes estados poderão ver o eclipse parcial no dia 21 de agosto (quanto mais ao norte, maior a área do eclipse): Amapá, Roraima, Amazonas, Pará, Acre, Rondônia, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Distrito Federal, Goiás (metade norte do estado), Mato Grosso (metade norte) e Minas Gerais (metade norte)

Fonte: VIX - Escrito por Luiz Felipe Silva

Nenhum comentário:

Postar um comentário