sábado, 11 de novembro de 2017

Ler emagrece

A leitura de certos tipos de livro provoca uma queima de calorias maior. 


Quem nunca achou que uma pessoa com ótima aparência física não pudesse ter uma invejável formação intelectual? Ou nunca reparou em um sujeito completamente desengonçado e logo achou que ele fosse um geniozinho excêntrico completamente desligado de qualquer tipo de vaidade? Sem dúvida, oposição entre mente e corpo não é nenhuma novidade no universo dos assuntos terrenos.

Mas será mesmo que quem “afunda” a cabeça nos livros não tem tempo algum para “puxar um ferro” na academia? Bem, essa relação pode até ser verdadeira, mas um estudo recente demonstra que a leitura pode ser um excelente modo para se perder algumas preciosas calorias. Na verdade, uma pesquisa mais generalizada já comprovava anteriormente que uma hora de leitura consome uma média de cento e vinte calorias.

Entretanto, uma rede de livrarias britânica resolveu aprofundar um pouco mais sobre o assunto, ao encomendar uma pesquisa sobre a queima de calorias em relação à leitura de certos gêneros literários. Segundo os responsáveis pela rede, a intenção era chamar a atenção do público geral com a invenção de uma sessão de livros que, teoricamente, tivessem a capacidade de queimar mais calorias. Ou seja, a intenção era reservar uma prateleira de cada loja para uma seleção de “livros que emagrecem”.

Ao final do estudo, chegou-se à conclusão de que os livros de aventura e sexo conseguem queimar uma quantidade maior de calorias. De acordo com os pesquisadores, o thriller “Polo”, do escritor Jilly Cooper, teria a incrível capacidade de consumir mil calorias. Entre os livros mais populares, “Código Da Vinci”, do aclamado Dan Brown, seria um belo consumidor de oitocentas e oitenta e cinco calorias. Será que esses argumentos numéricos poderiam atrair os mais vaidosos?

Difícil é saber se esse tipo de argumento alargaria o número de frequentadores das livrarias e bibliotecas pelo mundo. Contudo, não deixa de ser interessante o fato de que essa pesquisa quebra esse antigo antagonismo entre conhecimento intelectual e beleza física. Para aqueles que duvidam desse tipo de pesquisa, recomendamos que perguntassem sobre a sensação física que um corajoso estudante de filosofia tem ao tentar compreender a metafísica de Immanuel Kant... em alemão!

Por Rainer Sousa
Mestre em História
Equipe Mundo Educação

Nenhum comentário:

Postar um comentário