quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Doenças do coração são associadas ao gene da insônia

Uma revisão de estudos indica que a influência das más noites de sono no surgimento de problemas cardiovasculares é explicada por uma alteração genética


Não deve ser a primeira vez que você lê que deixar de dormir prejudica a saúde cardiovascular. Mas, agora, uma revisão de pesquisas publicada no periódico científico Circulation indica que uma variação genética que torna as pessoas suscetíveis à insônia também eleva o risco de problemas cardíacos.

De acordo com a epidemiologista Susanna Larsson, professora do Instituto Karolinska, na Suécia, e líder do levantamento, estudos anteriores já revelaram a relação entre sono e problemas do coração. No entanto, eles não determinavam se a insônia era a causa, a consequência — ou apenas uma coincidência.

Nesse estudo, foram utilizados dados de 1,3 milhão de indivíduos de quatro grandes pesquisas e grupos públicos. Os voluntários poderiam ou não ter enfermidades cardíacas ou sofrido um acidente vascular cerebral (AVC).

Os cientistas utilizaram um método que considera apenas o código genético. Dessa maneira, foi possível investigar a origem da pane no peito sem a interferência de outras variantes, como classe socioeconômica, enfermidades crônicas e estilo de vida.

Após a análise, os experts constataram que as alterações no DNA ligadas ao distúrbio do sono também estavam associadas a um risco significativamente maior de desenvolver doença arterial coronariana e insuficiência cardíaca — e mesmo de sofrer um AVC isquêmico.

No entanto, o trabalho tem uma limitação. Os pesquisadores observaram só a presença do gene da insônia — e não se os portadores dessa alteração de fato possuíam dificuldades para dormir. Isso significa que não foi possível determinar quais participantes realmente passam noites em claro.

De qualquer forma, outras investigações já mostraram a importância do descanso diário. E não é só o coração que agradece!

“É importante identificar a raiz da insônia e tratá-la. Dormir é um comportamento que pode ser mudado por novos hábitos e manutenção do estresse”, recomenda Susanna.

Fonte: https://saude.abril.com.br/medicina/doencas-do-coracao-sao-associadas-ao-gene-da-insonia/ - Por Maria Tereza Santos - Foto: GI/Getty Images -via  Blog professor José Costa

Se você fala com seu filho na "linguagem dos bebês" está fazendo muito bem a ele

                                           M-imagephotography/istock

Quando vamos conversar com um bebê, acabamos fazendo uma voz infantil. Pode reparar! Mesmo sem querer, quando vemos já estamos imitando uma criança. Parece ridículo, mas não é. Um estudo da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, revelou que os bebês aprendem mais quando falam de igual para igual com os pais.

Ou seja, quando há uma sincronia entre suas ondas cerebrais e as de seu pai e sua mãe, que são os que mais costumam falar com voz infantil. E essa comunicação, assim como uso das músicas infantis, é o que colabora para que os pequenos se desenvolvam bem.

 Ainda segundo o estudo, quando nasce, o bebê ainda não consegue identificar as informações que recebem, mas com o tempo vai aprendendo a reconhecer os rostos e as vozes, especialmente dos pais. Se essas ondas cerebrais não estão sintonizadas com as da mãe, por exemplo, o pequenino tem mais dificuldade de assimilar as informações e fica difícil aprender algo. 

Porém, quando as mamães falam com eles de forma tranquila, inclusive imitando-os, há a sintonização das ondas e então o aprendizado flui de forma mais eficaz. A chamada “motherese” (na tradução livre, linguagem de mãe) é completamente aceita pelos bebês, que prestam muito mais atenção ao que estão ouvindo.

Então já sabe, quando for conversar com um neném, pode usar e abusar sem dó da voz infantil. Além de conseguir que eles olhem pra você, ainda estarão aprendendo e absorvendo o conteúdo da conversa.

Fonte: VIX- por  Mariana Riscala

Você sabia que bocejar resfria o cérebro?

Por que bocejamos? Bocejar influencia a nossa saúde de alguma forma? A neurocientista Raquel Marín tem muito a falar sobre isso.

Estima-se que realizamos o ato de bocejar cerca de 28 vezes por dia em condições normais. Mesmo que possamos parecer mal-educados, bocejar resfria o cérebro e é importante para a saúde deste órgão.

Dedicamos 4 minutos do nosso tempo diário a essa atividade aparentemente desnecessária e muitas vezes incontrolável. Nós o fazemos ao longo de toda a nossa vida, desde o 5° mês de gestação até os nossos últimos dias.

Por que bocejamos?

Costumamos associar o bocejo ao cansaço ou ao tédio, mas isso não é inteiramente verdade. Na realidade, o feto também boceja, assim como a maioria dos animais vertebrados (peixes, répteis, pássaros e mamíferos).

Embora em muitas culturas bocejar em público seja considerado falta de educação, mesmo as pessoas muito bem educadas inevitavelmente o fazem.

Além disso, o bocejo pode ser tremendamente contagioso. Basta que alguém boceje ao nosso redor para que tenhamos o desejo imperativo de fazer o mesmo.
O bocejo é necessário para a saúde cerebral. Contribui para o correto desenvolvimento do cérebro e sua manutenção ao longo da vida.

O bocejo do feto contribui para o seu desenvolvimento

O feto boceja desde a 20ª semana de gestação, e a partir deste momento continua bocejando até o parto.

O feto não boceja por tédio ou por cansaço. O bocejo nesta etapa de evolução estimula o desenvolvimento do cérebro em um programa sequencial e ordenado. Muitos estudos indicam que bocejar sinaliza um progresso harmonioso no desenvolvimento do cérebro e dos nervos periféricos que regulam o movimento dos músculos.

O bocejo do feto é tão relevante que sua falta é frequentemente associada a possíveis disfunções neuronais após o nascimento.
Após o nascimento, o cérebro ainda precisa que bocejemos várias vezes ao dia.

Bocejar para manter a atenção

Existe uma crença tradicional de que bocejamos para oxigenar o cérebro. No entanto, esta teoria é infundada, já que respiramos constantemente de dia e de noite, tanto pelo nariz quanto pela boca, independentemente da oxigenação cerebral.

O oxigênio utilizado pelas células cerebrais é transportado principalmente através da rede vascular de 600 km de vasos sanguíneos que coexistem com o cérebro.

Não bocejamos mais quando estamos em apneia prendendo a respiração ou quando estamos em ambientes com menos quantidade de oxigênio.

Algumas hipóteses recentes sugerem que bocejar nos permitiria passar de um circuito neural de atividade espontânea basal para um circuito neural de atenção plena. 

Segundo Walusinski (2014), bocejar aumenta a quantidade de líquido no cérebro, permitindo um aumento na atenção e na concentração para executar tarefas que exigem um maior desempenho mental. De alguma forma, bocejar nos ajudaria a mudar de tarefa e manter a atenção plena.

Além disso, outras pesquisas apontam que bocejar resfria o cérebro e ajuda a regular a temperatura deste órgão.

Bocejar resfria o cérebro e evita o seu superaquecimento

Você pode fazer o seguinte teste realizado por pesquisadores americanos da Universidade de Albany. Você precisa estar cercado de pessoas com vontade de bocejar.

Pegue um bloco frio a 4°C e coloque-o na testa, tomando cuidado para não machucar a sua pele. A testa é a área onde existem mais glândulas sudoríparas para dissipar calor.

Se houver pessoas bocejando ao seu redor, é possível que o bloco frio reduza seu desejo de bocejar em até cinco vezes. No entanto, isso não acontece quando você coloca na testa um bloco a 37°C.

Este experimento demonstra que esfriar a testa ajudaria a resfriar o cérebro e a eliminar o bocejo contagioso. Alternativamente, você pode experimentar respirar intensamente pelo nariz para aumentar o resfriamento. Pode ser que também funcione.

Por outro lado, o aumento da ventilação que acompanha o bocejo ajudaria a dissipar parte do calor cerebral. A falta de sono e o cansaço mental após uma alta atividade intelectual também aumentam a temperatura do cérebro.

Portanto, aumenta o desejo de bocejar quando levantamos ou deitamos, ou quando passamos muito tempo trabalhando intensamente em uma tarefa mental. É uma atividade normal e necessária, apesar de ir contra os códigos de boa conduta.

Bocejar além da conta está associado a patologias do cérebro

É importante destacar que bocejar em excesso (mais de 3 vezes a cada 15 minutos de maneira contínua) pode ser um sintoma de doenças.

As pessoas que sofrem de infarto cerebral, esclerose múltipla, doença de Parkinson, enxaqueca, tumor cerebral, hipertensão intracraniana, insônia crônica ou epilepsia tendem a bocejar muito mais do que o normal.

No caso do Parkinson, bocejar excessivamente de maneira contínua é considerado um dos sintomas dessa doença.

Você não deve se assustar se um dia bocejar além da conta, já que pode ser simplesmente porque seu cérebro precisa se resfriar devido à fadiga mental. Bocejar é uma prática normal.

Além disso, bocejamos com mais frequência quando ingerimos alguns medicamentos, como antidepressivos, opioides ou ansiolíticos. Até mesmo o excesso de cafeína pode aumentar a frequência do bocejo.

Ficamos felizes se a leitura deste artigo fez você querer bocejar. Isso significa que ele despertou o seu interesse e aumentou a sua atividade mental.

Fonte: A mente é maravilhosa


terça-feira, 27 de agosto de 2019

Caminhar uma hora por dia fortalece ossos, faz bem ao coração e tem mais 7 benefícios

                                         Jo Panuwat D/shtterstock

  

 Praticar exercício é essencial para melhorar sua qualidade de vida e prevenir doenças. Caminhar é a maneira mais simples e apropriada para pessoas de todas as idades se exercitarem, e é por isso que nunca pode estar fora de sua agenda de hábitos saudáveis. Por isso, reunimos 7 benefícios que caminhar diariamente oferece à sua saúde e bem-estar.

1. Faz bem para o coração

Sem dúvida, o maior beneficiário de caminhar é sentido pelo seu coração, ele ama isso. Andar regularmente reduz o risco de ataques cardíacos e doenças cerebrovasculares. Além disso, reduz o colesterol LDL (ruim e aumenta o HDL (bom). A proposta é caminhar 30 minutos em ritmo acelerado todos os dias para evitar esses problemas e cuidar da saúde do seu coração.


2. Emagrece

Ao contrário do que muita gente imagina, é possível sim perder peso com caminhada. A atividade, que também traz diversos benefícios para a saúde física e mental, pode fazer com que você emagreça porque aumenta o fluxo linfático e melhora o seu metabolismo, o que ajuda a desinchar, queimar gordura e a perder peso. Para perder aqueles quilinhos caminhando é preciso investir pelo menos 30 minutos na atividade.


3. Previne doenças

Além de prevenir doenças cardíacas, a caminhada ajuda a prevenir o diabetes tipo 2, alguns tipos de câncer e doenças respiratórias, como a asma. Além disso, está provado que a caminhada é uma forma de envelhecer de maneira saudável e prevenir em 40% as chances de sofrer de demência, cuidar do cérebro e preservar a memória.


4. Melhora saúde dos ossos

Um dos benefícios de caminhar todos os dias é fortalecer seus ossos e aumentar sua densidade, o que faz com que você evite doenças como a osteoporose. Andar na luz solar, naturalmente aumenta os benefícios da vitamina D em nosso corpo. E se isso não bastasse, caminhar melhora a saúde das articulações e diminui a possibilidade de sofrer de artrite.


5. Tonifica o corpo

Caminhar ajuda a fortalecer e firmar as coxas, pernas, panturrilhas, quadríceps e tonificar as nádegas, especialmente se você andar em uma ladeira. Andar como se você tivesse um copo em sua cabeça é bom para tonificar o abdômen e reduzir a cintura. Além disso, ajuda a tonificar os braços, fortalecer as costas e os ombros.


6. Aumenta a energia

Depois de caminhar muita gente sente que não tem mais energia, mas na verdade é o oposto. Dar um passeio é um energizador natural que mantém você alerta e com mais energia. Aumenta a circulação e o fluxo de oxigênio no sangue e diminui a rigidez muscular. Então vá para um passeio na hora do almoço, em vez de ficar no escritório, e você notará a diferença.

7. Aumenta a felicidade

Andar a pé é o melhor antidepressivo, pois melhora o humor ao aumenta a produção de endorfinas (hormônios da felicidade) no sangue, o que reduz o estresse e a ansiedade. Caminhar é uma atividade social que pode ser feita na companhia de amigos, vizinhos ou parentes, pois diminui o sentimento de solidão. Então, ande!

 Fonte: https://www.vix.com/pt/saude/574229/beneficios-de-caminhar-uma-hora-por-dia-sao-inacreditaveis-e-convincentes 
por Giulia Ebohon

Como pegar no sono estando nervoso?

Os nervos e a ansiedade podem causar dificuldades para pegar no sono. No entanto, existem algumas recomendações que podem ajudá-lo a superar esse problema.
Como pegar no sono estando nervoso? Essa é a pergunta feita por muitas pessoas que vivem com angústia e com dificuldade para adormecer ou descansar sem acordar durante a noite toda. Isso pode causar irritabilidade e mais nervosismo, além de outros problemas de saúde.

Como pegar no sono estando nervoso?

De fato, muitas pessoas se perguntam: como eu posso dormir se estou nervoso? A alteração do sistema nervoso por distúrbios como estresse, depressão ou ansiedade tem uma alta probabilidade de também influenciar negativamente o nosso repouso noturno. De fato, está relacionado a um distúrbio de hiperatividade durante o dia e a noite.

Portanto, há estudos que estabelecem que o tratamento dos problemas do sono deve ter uma abordagem multidimensional. São mencionados alguns exemplos de mudanças que devemos fazer em nosso estilo de vida para relaxar e dormir melhor. Entre elas:
  • Lute contra os distúrbios nervosos.
  • Evite estimulantes como cafeína, tabaco ou álcool.
  • Mantenha um cronograma fixo na hora de deitar.
  • Exercite-se regularmente.
  • Evite tirar sonecas durante o dia.

Dicas para relaxar e dormir melhor

Plantas medicinais

 

As propriedades relaxantes de alguns remédios à base de plantas podem ajudar a aliviar os nervos e a ansiedade para melhorar a qualidade do sono.
Os remédios de ervas oferecidos pela medicina natural são uma excelente opção para ajudar a que nos acalmemos durante todo o dia e, portanto, poder dormir melhor à noite. Aqui estão algumas dessas plantas que você provavelmente não conhece:
  • Rhodiola (Rhodiola rosea): A Rhodiola é uma planta medicinal que pode ser eficaz no fortalecimento do sistema nervoso central e, portanto, diminuir o estresse e a depressão. É um remédio com ação adaptogênica, isto é, melhora a resposta do corpo ao estresse e à fadiga sem os efeitos prejudiciais dos estimulantes, que aliás, piorariam a insônia.
  • Açafrão (Crocus sativus): O estigma vermelho desta planta tem efeitos muito positivos no sistema nervoso central e pode ser tomado como uma infusão ou em extrato.
  • Ginkgo (Ginkgo biloba): A folha desta planta é cada vez mais popular. É rica em flavonóides e terpenóides, o que o torna um excelente remédio natural para tratar a ansiedade e o estresse.
  • Jujuba (Ziziphus jujuba): A decocção da semente seca da jujuba é usada como um remédio tradicional para tratar a ansiedade e o excesso de sonhos causados ​​por esta alteração nervosa. Isto é devido ao seu conteúdo de saponinas, alcaloides, flavonoides e ácidos graxos.

Óleo essencial de lavanda

O óleo essencial de lavanda, apesar de também ser um produto natural que é extraído dessa flor, merece uma menção especial. Este óleo possui propriedades calmantes, além de proporcionar um aroma delicioso à nossa casa.

Podemos usá-lo em um difusor aromático ou impregnar alguma parte do nosso corpo. Nós também podemos diluí-lo em um óleo vegetal (coco, amêndoa, etc.) para realizar uma massagem nas partes do corpo com mais tensão acumulada (pés, cabeça, costas).


Atividade física para pegar no sono estando nervoso

A atividade física é essencial para equilibrar o sistema nervoso. Portanto, é importante que escolhamos algum tipo de exercício para realizar pelo menos duas ou três vezes por semana. Além disso, sempre que possível, optaremos por praticar esportes ao ar livre, em contato com a natureza.


No entanto, devemos ter em mente que cada pessoa é diferente e precisa de uma atividade específica, em termos de tipo e de intensidade. Portanto, nem todos relaxam praticando ioga ou meditação. Algumas pessoas precisam fazer exercícios cardiovasculares intensos para se acalmarem no final do dia.

Agora você conhece algumas dicas e remédios naturais para combater o nervosismo e, ao mesmo tempo, dormir melhor.

Sendo assim: Como posso pegar no sono estando nervoso? Simplesmente fazendo algumas mudanças em seu estilo de vida e incorporando estas propostas você notará uma grande melhora em seu humor e em seu desempenho físico e intelectual ao longo do dia.

Fonte: Melhor com Saúde

Chás emagrecedores: mito ou verdade? Descubra os benefícios da bebida

Chás provenientes da folha de Camelia Sinesis como verde e o preto possuem capacidade de atuar sobre o sistema nervoso simpático

Quando falamos em emagrecimento, surgem muitas dicas de alimentos prometendo milagres. Se você já fez alguma dieta pelo menos uma vez na vida, deve ter escutado sobre os efeitos dos chás. Aquela vizinha, amiga da academia, prima da sua instrutora que comentou que tomou chá de casca de berinjela e emagreceu 7  kg.

Mas será que os chás possuem propriedades que auxiliam realmente no processo de emagrecimento?

O processo de emagrecimento
Já falamos sobre isso aqui na Revista Donna: para que aconteça o processo de emagrecimento, ou seja, perda de gordura, é preciso estar em déficit calórico. Isso significa consumir menos calorias do que seu corpo gasta. Mas calma, ingerir uma quantidade de calorias que fique abaixo da sua necessidade também pode atrapalhar o  processo. Quem pode te auxiliar para que tudo esteja dentro das suas necessidades e objetivos é o nutricionista.
Lembre-se que perder peso não significa emagrecer, já que quando você sobe na balança e o peso diminui, isso pode significar perda de outras elementos, como água por exemplo.

Os chás e suas propriedades
Sim, os chás podem ter propriedades poderosas que auxiliam  na nossa saúde. Os compostos presentes neles são denominados de fenólicos e são biologicamente ativos. Dentre as substâncias mais estudadas atualmente está a categoria dos flavonóides. Os flavonóides auxiliam na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis quando ingerido de forma regular através da dieta. Possui ação antioxidante, anticarcinogênico, anti-inflamatório, antibactericida e antiviral. Isso acaba refletindo na prevenção e tratamento de diversas doenças.

A relação dos chás  e o emagrecimento
Estudos apontam que os chás provenientes da folha de Camelia Sinesis como verde e o preto possuem capacidade de atuar sobre o sistema nervoso simpático através da modulação da noradrenalina, aumentando assim a termogênese e a oxidação das gorduras. O que não se sabe ainda é qual é a quantidade ideal para esse efeito, assim como não se sabe também qual é a melhor forma de consumi-lo para essa funcionalidade. A recomendação, entretanto, é de que não se deve beber mais que três xícaras de chá por dia e é importante consultar um médico ou nutricionista para verificar se há alguma contraindicação.

Aposte em uma alimentação equilibrada e exercícios físicos
Eu costumo dizer que o simples funciona, e é nele que  você deve se atentar. Se a sua alimentação estiver equilibrada e alinhada com seus objetivos e necessidades individualizadas, você irá conseguir emagrecer - se assim desejar. Utilizar os chás para se aquecer agora no inverno é uma ótima opção, mas não espere  que ela vá realizar nenhuma mágica no seu metabolismo. Se alimente bem e se exercite. Essa ainda continua sendo a melhor opção!

Via Blog professor José Costa

Vinagre, cravo, café: como acabar com as formigas sem usar inseticida

Seis truques fáceis para você se livrar dessas pequenas feras que insistem em invadir nossas casas!

A casa está limpinha, aparentemente não tem nenhum doce descoberto fora do lugar, tudo ok mesmo. Mas, de repente, lá estão elas andando sobre a mesa, sobre a bancada da pia na cozinha, sobre eletrodomésticos. Elas: as formigas. Do nada. De onde vieram? POR QUE vieram?

A bióloga Cláudia Campos explica: “As formigas domésticas são onívoras e sobrevivem à base de açúcares e proteínas. Muitas vezes a gente acha que está tudo guardado, tudo limpo, mas alguns microfarelos de pão ou um pouquinho do pó da granola que caiu na mesa ou na bancada, entre o saco de cereais e o bowl, são suficientes para atrai-las e a praga se espalhar pela casa.”

Para combater esse transtorno, você não precisa contratar uma dedetização profissional nem contaminar a casa com inseticidas. Trazemos aqui, com a consultoria da bióloga, seis truques naturais que funcionam mesmo para eliminar as formigas de casa.

Mas atenção: “Eles devem ser usados logo no começo da invasão e, depois, como prevenção – repelente mesmo – à chegada delas”, alerta Cláudia.

Escolha seus ingredientes e dê adeus às malignas ferinhas.

Água + detergente para limpar
Dissolva uma parte de detergente líquido (o que você usa para lavar roupa ou para lavar louça) em uma parte igual de água e com essa mistura limpe todos os lugares por onde as formigas passaram. Esta é a fórmula mais simples e eficaz para dar o primeiro passo na eliminação das formigas que já estão na sua casa. A partir daqui virão os passos de prevenção.

Vinagre de álcool para repelir
Versátil na limpeza da casa, o vinagre também evita o surgimento de novas formigas. Depois de limpar bem as superfícies por onde elas estavam passando, borrife vinagre de álcool (é o “vinagre branco”, o mais comum e mais baratinho) nesses locais e também nos cantos dos pisos e em frestinhas que encontrar ao longo das paredes. Repita a aplicação um dia sim, um dia não. Elas não voltarão.

Limão para repelir
Se você não puder ou não quiser usar vinagre, pode borrife o suco puro do limão nos cantos dos pisos e nas frestas dos ambientes. Essa aplicação também precisa ser repetida um dia sim, um dia não, pois a evaporação do suco faz com que o efeito acabe.

Pimenta ou borra de café para impedir a entrada
Um método de bloqueio físico para impedir a entrada de novas formigas em casa, que poupa o trabalho de borrifar vinagre ou suco de limão dia sim, dia não é tampar cantos, frestas, rachaduras e buraquinhos em geral com borra de café (aquele que sobra depois de você passar sua bebida). A pimenta-caiena também pode ser usada para esse fim, mas só se você não tiver animais em casa. “Cachorros e gatos podem ser intoxicados por ela”, esclarece a bióloga.

Cascas de frutas cítricas para afastar
Colocar pedacinhos – podem ser lascas – de cascas de laranja, limão ou mexerica dentro do açucareiro impede que as formigas entrem nele. “O odor faz as formigas efetivamente desviarem dos potes de açúcar”, diz Cláudia.

Sachês de cravo e canela para afastar
Coloque lascas de canela em pau e algumas unidades de cravo-da-índia em saquinhos de tule e os espalhe pela cozinha. Além de ficar uma graça e perfumar o ambiente, a união desses ingredientes faz com que as formigas não queiram transitar pelo cômodo – elas não suportam o odor de nenhum dos dois, é forte demais para elas. Troque o recheio dos sachês a cada 15 dias para manter a ação sempre em dia.

Fonte: https://mdemulher.abril.com.br/casa/vinagre-cravo-cafe-e-como-acabar-com-as-formigas-sem-usar-inseticida/ - Por Raquel Drehmer - Elizabeth Weinberg/Getty Images - via Blog professor José Costa